sexta-feira, 16 de março de 2012

Sila Tarot: Os altos e baixos dos signos duplos

Porque algumas pessoas são mais volúveis que outras? Porque algumas nos parecem mais seguras e outras não? A astrologia pode explicar essas diferenças.

O zodíaco é dividido em quatro quadrantes e cada um destes é subdividido também em três partes. Os quatro quadrantes representam as quatro estações do ano e as subdivisões (em 3 partes) representam os três meses em que são divididas as estações. O primeiro mês de uma estação tem relação com aquilo que astrologicamente chamamos de Casas Angulares onde os signos são chamados de Cardeais, e elas ocorrem nos quatro elementos: Fogo, Água, Terra e Ar. Portanto, no início da estação de Fogo (a Primavera no hemisfério Norte e que corresponde ao início do ano solar) encontramos o signo de Áries, sabidamente um signo de impulso, de iniciativa e de pioneirismo. No primeiro mês da estação de Água (e que corresponde ao início do Verão no Hemisfério Norte) encontramos o signo de Câncer, que indica o domicílio e expressa qual é nossa vida familiar, nosso lar. No primeiro mês da estação de Ar, dando início ao Outono (sempre no Hemisfério Norte) encontramos o signo de Libra, que expressa como vivemos em sociedade e que tipo de parceiros buscamos. No primeiro mês da estação de Terra, inicia-se o Inverno e encontramos o signo de Capricórnio, representando as tradições e as metas sociais que desejamos alcançar. Todos esses signos são chamados de Cardeais, porque iniciadores de algo, dentro de sua qualidade energética específica. Nestes signos encontramos geralmente as pessoas que têm espírito de iniciativa e de liderança, mas que também são autoritárias!

No meio das estações encontramos os signos Fixos, que são Touro (Terra), Leão (Fogo), Escorpião (Água) e Aquário (Ar). Esses são signos nos quais as estações se estabilizam, ou seja, chegam ao seu auge e, portanto, indicam pessoas com personalidades que têm dificuldade em ‘mudar de opinião’ ou de atitude e que, geralmente, detestam novidades e imprevistos. Costumam, porém, ser boas cuidadoras, cada um em sua área de actuação.

No final das estações, encontramos os signos Mutáveis, que são Gêmeos (Ar), Virgem (Terra), Sagitário (Fogo) e Peixes (Água). Nesses signos, encontramos as pessoas mais adaptáveis do zodíaco, cada um com suas características particulares. Assim: Gêmeos, pertencente ao elemento Ar, e indica alguém com uma mentalidade volátil, curiosa e adaptável, muitas vezes, até mesmo superficial. Virgem, pertencente ao elemento Terra, indica uma personalidade prática e analítica, mas com boa capacidade de adaptação às circunstâncias exteriores. Sagitário, Fogo e Mutável, é o aventureiro por excelência, expansivo e bem humorado, procura sempre algo novo para conquistar (inclusive no amor!). E Peixes, pertencente ao elemento Água, indica uma personalidade de grande instabilidade emocional, sensibilidade extrema e influência psíquica ao ambiente exterior. E é aqui que queria chegar com este raciocínio. Porque os piscianos são tão instáveis emocionalmente?

Exactamente porque pertencem ao elemento Água e possuem a qualidade Mutável!

Na simbologia do signo, vemos dois peixes, cada um nadando de um lado oposto! Isso diz muito sobre a personalidade pisciana que pode passar do riso ao choro com a mesma facilidade. Emotivos e sensíveis, os piscianos procuram se adaptar a qualquer tipo de água, nadam rio acima ou rio abaixo, enfrentam altas ondas ou marés tranqüilos sempre procurando sobreviver. Escorregadios e flexíveis, os piscianos parecem não ter a espinha dorsal, de tão maleáveis e adaptáveis que são. Porém, quando alguma dificuldade surge diante deles, eles podem usar a técnica do avestruz, enfiando a cabeça na areia para não precisar enfrentar os desafios. Os piscianos ‘do bem’ são caridosos, compassivos, generosos, intuitivos e até proféticos, mas aqueles ‘do mal’, podem se desassociar da realidade fugindo de compromissos e responsabilidades. Muitos se sentem vítimas do destino e se queixam a Deus pelos reveses eventuais aos quais são submetidos. Fugir das situações difíceis não ajuda ninguém a evoluir! Muito pelo contrário!

Como todos nós temos um nosso ‘lado pisciano’, aconselho aos meus leitores que reflitam sobre a forma como enfrentamos os percalços e obstáculos de nossa vida. Se somos pró-ativos, estaremos aprendendo e evoluindo com as experiências vividas, se formos passivos, estaremos enfiando a cabeça na areia (ou embaixo d’ água) agindo como vítimas do ‘destino cruel’! Esse lado ‘pisciano’ de nossa personalidade pode ser verificado no nosso mapa natal pela localização e aspectação do planeta Neptuno, pois será ele, o Deus do Mar e dos Oceanos, que indicará de que forma reagimos, nos envolvemos e enfrentamos no coletivo as dificuldades da vida. Todos nós temos altos e baixos na vida, todos nós enfrentamos tsunamis e tempestades, mas será nossa capacidade de adaptação que nos fará sobreviver. O envolvimento que cada um de nós tem com o Todo determinará o nosso grau de evolução.

Se quisermos continuar firmes no caminho de nossa evolução espiritual devemos procurar viver as qualidades piscianas na ‘oitava superior’, ou seja, no campo mais espiritualizado de nossa personalidade, buscando o Conhecimento que nos indicará o porto seguro que nos abrigará.

Então, caros leitores e leitoras, aproveitando essa energia do mês de Peixes, vamos fazer um esforço para enfrentar as tempestades de forma pró-ativa? De nada adianta freqüentar as igrejas ou os templos e ouvir a palavra de Deus ou dos evangelhos (como fazem muitos crentes) para depois pronunciar palavras de ódio ou inveja contra o próximo! Nas ações do nosso dia-a-dia sabemos ser bondosos? Generosos? Acolhedores? Pacientes? Parece que a palavra bondade saiu de moda e até se tornou símbolo de fraqueza!

Logo o Sol entrará em Áries, dando início a um novo Ano Solar. Agora, é o momento da reflexão e da interiorização.

Sem comentários:

Enviar um comentário

GOSTOU COMENTE!
NÃO GOSTOU, COMENTE NA MESMA!