domingo, 24 de junho de 2012

Sila Tarot: Porque temos Medo?

Sila Tarot: Porque temos Medo?



Por vezes, deixamos-nos levar por sentimentos que entram na nossa mente, instalam-se e permanecem a vibrar de forma negativa. O medo faz-nos divagar na maioria das vezes sobre o que ainda não existe ou por sentimentos de precaução, ou seja, se um dia,o tal acontecimento se vier a se concretizar, de maneira mental, eu já o vivi e me preparei.
Quando compreendemos que os pensamentos e emoções negativas se instalam na nossa mente como um fluxo de energia gerado por ela, tendo como base ideias e conceitos errados, eles podem ser compreendidos, identificados e transmutados.

Tais sentimentos negativos no entanto, interferem no nosso equilíbrio energético e modificam a nossa frequência vibracional, fazendo com que situações negativas sejam vividas.



Sila Tarot: Porque temos Medo?


Quem é que nunca sentiu medo de perder a pessoa amada, de perder o emprego, de se arriscar numa nova oportunidade, de viajar de avião, de perder um ente querido ou até mesmo de morrer? Por que conviver com sensações como estas? No fundo de cada um destes medos, existe a falta de entrega e confiança, confiança que o amanhã será sempre melhor que o de hoje, e que a cada dia em que a sua mente esteja em pleno equilíbrio, a sua vida será colocada na Ordem Divina.




Culpar as circunstâncias da vida, os outros, os nossos pais, a nossa falta de sorte ou até mesmo o destino, é muito mais fácil do que ser o responsável pela sua própria vida e destino. A cada segundo, decidimos o nosso futuro, os nossos pensamentos e as nossas atitudes geram o que viveremos a seguir. Culpar os outros, somente fará perder mais tempo na busca de uma vida diferente. Tome uma decisão única e certeira, aborde de maneira clara e objectiva tudo que não quer mais para sua vida, elimine e passe a vibrar por aquilo que quer, o Universo está a aguardar o seu sim, para o colocar no caminho da abundância e felicidade.




O medo tem uma função importante de preservação da nossa vida, prepara o nosso corpo para o desconhecido e desaparece rapidamente quando a situação se torna conhecida. Este tipo de medo é o medo real, ou seja, ouvimos um barulho e somos tomados por uma sensação de medo que nos leva a reagir ou a fugir. O medo é uma emoção que aparece do nada na nossa mente, quando percebemos um perigo iminente ou imaginamos que algo de ruim pode acontecer. O corpo produz adrenalina e então, o medo instala-se, como uma capacidade inata de defesa e de protecção. Eis aqui o cerne da questão: com ou sem perigo real, todo o processo cerebral é disparado. Cabe-lhe a si, identificar um perigo real, ou imaginado (como forma de preparação pela mente), e não deixar que esse medo infundado se instale. Tenha confiança, que numa questão de perigo, sberá defender-se. Viver de medos e situações infundadas de nada adianta e é meio caminho, como se as puxasse, para si, para acontecerem. As coisas acontecem quando estamos preparados para elas. Tal acontece com o medo, que gerará situações reais de perigo.



O medo torna-se num impecilho para realizarmos o que desejamos. Por ex: Temos medo da solidão, mas não queremos viver o amor com medo de sofrer. Não suportamos o nosso emprego actual, mas temos medo de mudança. Queremos muito viajar, mas temos medo do avião. Por que não transformar esses medos em realizações de desejos? O medo impede-nos de viver, de sermos felizes e provoca-nos bastante sofrimento, sem necessidade nenhuma, apenas, porque já o vivemos na nossa mente...mas nunca aconteceu.



Por termos medo, podemos passar por situações de mau-estar, a sofrimento absoluto e até sensações de pânico ou fobias e até sintomas e doenças fisicas. Passo a explicar: Quando a situação que dispara o medo é somente imaginária, é gerada a seguir uma ansiedade excessiva que vem acompanhada de sintomas físicos como tensão muscular, tremores musculares involuntários, inquietação, falta de ar, taquicardia e suor excessivo, boca seca, ondas de calor e de frio, dificuldade de engolir e sensação de desmaio .

O mecanismo que dispara o medo é inconsciente e sempre começa com um estímulo que provoca susto ou pavor. O segredo da cura está na descoberta deste estímulo que se repete e ficou com uma energia bloqueada na sua memória e, cada vez que algo semelhante acontece, o estímulo é disparado e então, caímos na tão conhecida doença que é a síndrome do pânico.

Nesses momentos aflitivos, é preciso muita calma, controlar a respiração e levar a mente noutro sentido, fluir o pensamento para situações opostas, ou que nos provoquem bem-estar.

 


Por incrível que possa parecer, os dados estatísticos apontam que 40% das pessoas têm medo do avião sendo que a probabilidade de se ter um acidente aéreo está uma para cada um milhão e trezentas mil pessoas.

Este medo por ex. pode estar associado a excesso de controle, ou seja, como pode confiar sua vida a um desconhecido e não saber a cada segundo o que está a acontecer. Pode estar ainda associada a medo de alturas ou ainda a medo de locais fechados. A cura deste medo está também na identificação do momento, em que este estímulo foi disparado.
É necessário identificar os medos inconscientes, e com uma visão realista trazê-los á tona. Isso advém de uma profunda reflexão e busca interior. Acima de tudo seja feliz.

Sem comentários:

Enviar um comentário

GOSTOU COMENTE!
NÃO GOSTOU, COMENTE NA MESMA!