terça-feira, 10 de julho de 2012

Sila Tarot: Antídotos para a Depressão - Seja Feliz!




O cérebro depressivo é contaminado por tudo que são pensamentos desanimadores e pessimistas. “Não vou conseguir”. “Ninguém faz questão da minha companhia”. “Não tenho com quem conversar e confiar”. “Ir à festa será muito chato, é melhor ficar em casa”. “Depois que perdi a minha mãe/pai/namorado... a vida ficou sem sentido”...

Qual a diferença da mente depressiva para a mente de alguém sem depressão? As pessoas que não tem depressão possuem pensamentos que ressaltam as qualidades de si próprios e da vida em si.



Se conversarmos com o depressivo e dissermos que deve mudar os seus pensamentos, com certeza ele argumentará ser impossível ter pensamentos diferentes, e mais, vai convencê-lo e prova que está certo, que a vida é cheia de pessoas desonestas, que os políticos só fazem erros, que o transito é infernal, a poluição mata e para quê ir aquela festa que só tem gente exibida e fútil? E acabará por concordar. Porque terá razão! O depressivo tem mesmo uma visão mais apurada da realidade. Ele consegue identificar cada mentiroso, cada desonesto, cada momento desagradável da vida. Lembra com raros pormenores cada desavença que tenha sofrido.

Então vamos ficar todos depressivos? Não. Vamos aprender com o cérebro dos que não são depressivos. As pessoas felizes, sem depressão tem um cérebro ilusório. Ele embeleza, intensifica e enaltece tudo o que vê. E o melhor da história, é que isso é bom! Não é preciso ser assim tão realista. Eu sei que tem medo de tomar péssimas decisões caso se permita uma visão mais côr de rosa da vida. Isso não vai acontecer devido a um mecanismo maravilhoso: Profecia que se auto realiza.

 

Uma frase famosa do senso comum é: “Se diz que consegue, tem toda a razão, se diz que não consegue também tem razão”. Isto significa que faz por acontecer o que acredita que é possível de acontecer. Se acreditar que sua vizinha é muito orgulhosa é jamais será sua amiga, sem se aperceber, terá atitudes que a afastarão dessa vizinha. Mas se acredita que ela é muito simpática terá atitudes de aproximação que a encantarão e logo serão boas amigas. Isso é profecia auto realizadora. Ou seja, contou-se uma bonita história, que a principio não era verdadeira, mas se tornou verdadeira por força de seus actos – e nem percebeu que fez ou como fez isso.

Ou seja, as mudanças dos seus pensamentos farão de si uma pessoa mais persistente, lutadora. Cego ás imperfeições e aos obstáculos, alcançará coisas maravilhosas.




Pensa que estou a sugerir, algo impossível de se praticar? Acha que ninguém faz isto? Vamos fazer um teste. Aplique-o aos seus amigos e família: Pergunte a todos eles (que não sejam depressivos) se se consideram bons condutores, se acham que estão na média, ou acima ou abaixo da média. Verá que a maioria, senão todos, dirão que são os melhores condutores e que aestão acima da média. Eu própria fiz este teste. Mas não seria lógico que 100% das pessoas estivessem acima da média, pois se todos estão acima, qual é o grupo que forma a média? Ninguém? Isso não é uma média matemática!

Se quiser continuar com esta brincadeira de testar os seus amigos e familiares, faça outra pergunta: “Considera-se mais sério que os outros colegas da empresa onde trabalha?”. Vai fazê-lo sorrir, quando todos responderem: “Sim, eu sou muito sério, trabalho melhor, mais rápido que a maioria dos meus colegas.”. Novamente, para alguém estar acima da média, é preciso existir um grupo que forma esta média. Mas que grupo é este a que ninguém confessa pertencer? Todos se sentem no direito de pertencer á metade superior da população.




Agora que entendeu e aceitou que o antídoto para a depressão passa pelo caminho dos pensamentos melhorados, ou seja, um pouco de reestruturação cognitiva mudará o seu estado de ânimo sem prejudicar a qualidade das suas decisões e julgamentos. Eu sugiro conceder as seguintes permissões á sua mente:

- Mesmo que seja um total fracasso numa actividade específica, sinta-se no direito de viver muito bem sem isso. Por exemplo, digamos que é péssimo no futebol, ou péssimo em decoração de interiores. Mas quem disse que na sua profissão é necessário jogar futebol ou decorar a sala? Pode perfeitamente jogar aos fins de semana e morrer de rir da sua falta de habilidade. E pode usar os talentos que possui para ganhar a vida e contratar um decorador. Ninguém pode ter talento para tudo. Cada um de nós é especial e único.

- Deite fora a dôr dos fracassos, não queira ser perfeito. Aceite-se como é, na realidade. Remoer as suas lacunas só o deixará deprimido.

- Garanta um lugar de destaque na sua memórias para as coisas boas a seu próprio respeito. Nunca se esqueça das boas notas que teve, da ajuda que deu a alguém, dos momentos felizes que passou.

 

- Dê-se a si próprio o direito de ter esperança. Jamais um apaixonado (e não depressivo) torcedor dirá que a sua equipa irá perder. Ele espera que ganhe, e acredita que ganhará. Ser realista neste momento não será útil, dizer “eu gostaria que a minha equipa ganhasse, mas sei que não ganhará” só fará com que fique prostrado na poltrona e que nem ligue a TV. A esperança pode assim ser contaminada pelos nossos desejos. Preferir ser chamado para o tal emprego, pode-se transformar em esperança de ser chamado. Assim essa esperança se transformará em mais dedicação da sua parte tanto na entrevista como na execução das suas tarefas quando já estiver no cargo. Esta dedicação se transformará em qualidade profissional que se transformará numa bela carreira. E você num belo e orgulhoso profissional, que ama o que faz e que se sente bem em acordar de manhã, para realizar as suas actividades.

O que é isso senão uma bela e útil auto- ilusão? Não fique céptico, tente também.
Faça-o com fervor. Mude os seus pensamentos, e mudará a sua vida.


.

Sem comentários:

Enviar um comentário

GOSTOU COMENTE!
NÃO GOSTOU, COMENTE NA MESMA!