domingo, 7 de outubro de 2012

Sila Tarot: Descobrir a Astrologia!





A astrologia é antes de qualquer coisa, um instrumento de compreensão do homem no seu tempo e espaço de vida. Durante milénios, o homem tem vindo a atribuir e a compreender os significados através dos ciclos planetários.




SOL-LUA-MERCÚRIO-VÉNUS-MARTE-JÚPITER-SATURNO-URANO-NEPTUNO-PLUTÃO



Não há como dizer que se acredita ou não na astrologia, pois a questão da crença não se aplica, assim como não cabe dizer que se crê ou não num martelo, quando apenas nos utilizamos dele.

“A vida ficaria sem emoção se soubéssemos o que aconteceria...”

Esta afirmação não deixa de ter a sua lógica. Contudo, o estudo da astrologia não engrandece o conhecimento daquilo que irá acontecer. Esta arte-ciência oferece uma visão das possibilidades, tendências do comportamento.

A astrologia é um trabalho de auto-conhecimento, uma filosofia de vida, antes de ser um processo divinatório. É um meio de alcançar serenidade, no meio do caos da existência quotidiana, através do estudo das potencialidades de cada um.

O planeamento (prognóstico) que nos pode oferecer, baseia-se por exemplo, na optimização do uso dos talentos e capacidades latentes do ser humano, e não em factores externos à sua própria psique.





  • ESTÁ ESCRITO NAS ESTRELAS

Qual é o seu signo? Com certeza saberá a resposta, mas alguma vez já parou para pensar porque é desse signo? Quem foi que definiu que alguém que nasce em determinada data é de um signo com características tão diferentes, de quem nasce seis meses depois?

Tudo isso tem uma explicação; é uma história que começou há muito tempo, há mais de 4.000 anos. O homem começou por atribuir um significados ao ciclo dos dias e das noites, e daí derivam todas as ideias e conceitos contidos no Sol e na Lua, constituindo estes em si, uma polaridade básica:

  • Sol representa o masculino, o dia, a consciência, a actividade, o dar, o criador, o emissor, a identidade, a irradiação, entre outros.
  • Lua representa o feminino, a noite, a inconsciência, a passividade, o receber, o nutridor, o receptor, a imagem, o reflexo, etc.

Os responsáveis principais e primários, por essa ciência foram os povos egípcios e gregos, que gostavam de passar as noites a admirar o céu. Com o tempo, perceberam que as estrelas, muitas vezes, aparecem juntas em grandes grupos.

Observando esses grupos, aprenderam a identificá-los e começaram por dar um nome a cada um desses grupos. É o que nós chamamos hoje, de constelações. As constelações mais importantes para a Astrologia são justamente as de:




 
Carneiro (Áries), Touro, Gémeos, Caranguejo (Câncer), Leão, Virgem, Balança (Libra), Escorpião, Sagitário, Capricórnio, Aquário e Peixes.
 

Mas esses povos, também observavam o Sol e à Lua e perceberam que o Sol não nasce sempre no mesmo local. Durante um período, ele nasce mais à esquerda e à medida em que os meses passam, vai caminhando para a direita. Nós também podemos ver isso.

Com todos esses dados, os antigos acabaram por concluir que esse movimento do Sol (eles pensavam que o que se movia era o Sol e, hoje, já sabemos que é a Terra) fazia com que, a cada período de aproximadamente trinta dias, encobrisse uma dessas doze principais constelações.

Também perceberam que as pessoas nascidas durante o período em que o Sol estava a encobrir a constelação de Aquário, por exemplo, tinham algumas características em comum, diferentes daquelas que nascem durante a época em que o Sol encobre uma outra constelação qualquer.






O zodíaco pode ser entendido como a trajetória aparente do Sol no céu. O cinturão zodiacal é simbólico, cada signo ocupa 30º do círculo.

Março é o mês da entrada do Sol em Carneiro, é também o signo dos começos, das germinações, o que traz o florescimento e a renovação da vida. Em março comemoramos o ano novo astrológico, quando o Sol atinge 0º de Carneiro, ponto de cruzamento da eclíptica com o equador celeste, momento em que o dia e a noite tem idêntica duração. Marte, o planeta regente de Carneiro, reverenciado pelos romanos como um deus guerreiro, empresta o seu nome ao mês.

Porém, a nossa personalidade não é tão simples para que baste ser dividida em doze grupos diferentes, apenas de acordo com a data em que nascemos. Procurando explicar melhor a diversidade e a complexidade dos nossos traços individuais, os estudiosos notaram que não só a data de nascimento tinha importância, mas a hora também.

E, assim como a data tem relação com o movimento do Sol durante o ano, a hora está relacionada com a movimentação do Sol durante o dia, ou seja, a posição que ele ocupa em relação ao horizonte no momento do nascimento.






A essa nova descoberta deram o nome de Ascendente. Mas para que serve?

É simples: a data de nascimento indica as características das pessoas, e o ascendente, o seu comportamento. Quer dizer, que o seu signo é o você é, o que sente dentro do seu coração e da sua alma.

Já o ascendente é como se mostra ao mundo. Para poder conduzir melhor a sua própria vida, é preciso conseguir harmonia entre o seu signo e o seu ascendente.

Já teve ter passado pela estranha experiência de ouvir alguém dizer que você é assim e no entanto, poderia jurar a pés juntos que é de outra forma.

Isso acontece por causa do choque entre o signo e o ascendente. Isto é muito comum quando a pessoa tem um ascendente com características muito diferentes das do signo.

Muitas vezes, são pessoas conflituosas, mas também existem as pessoas que conseguem tirar proveito desse factor, saindo-se muito bem em qualquer situação.

Já os que têm signo e ascendente parecidos, ou mesmo iguais, têm menos conflitos internos. (Ex: Signo= Balança (Ar)– Ascendente= Aquário(Ar) No entanto, podem acabar por se tornar muito radicais e só admitirem uma maneira de ver a vida, a sua própria!






Sem comentários:

Enviar um comentário

GOSTOU COMENTE!
NÃO GOSTOU, COMENTE NA MESMA!