sábado, 23 de fevereiro de 2013

Sila Tarot: Conhecer a Wicca - Parte 1


Os praticantes acreditam que já é tempo de começar a eliminar os preconceitos seculares e as discriminações perpetuadas por ignorância e incompreensão.
 
Aqui descrevo como é constituída a Religião Wicca:
 
Não temos um livro como, por exemplo, a Bíblia. Os nossos conhecimentos são transmitidos via oral e ninguém se torna wicca de uma hora para a outra. Algumas pessoas vêm a wicca como um movimento feminista, mas não é. Praticamos uma religião da natureza, e o nosso objetivo maior é a elevação espiritual.
 
Wicca (nome alternativo para a arte da feitiçaria moderna) é uma religião de natureza xamanística, positiva, com duas deidades maiores reverenciadas e adoradas nos seus ritos: A Deusa (o aspecto feminino e deidade ligada à antiga Deusa Mãe em seu aspecto triplo de Virgem, Mãe e Anciã.) e o seu consorte, o Deus Cornífero (o aspecto masculino). Os seus nomes variam de uma tradição wiccaniana para outra, e algumas utilizam-se de utros panteões para representar as várias facetas e estados de ambos os Deuses.
 
Frequentemente, Wicca inclui a prática de várias formas de Alta Magia (geralmente com propósitos de cura psíquica ou física, neutralização de negatividade e crescimento espiritual) e ritos (rituais) para a harmonia pessoal, paralelamente com o ritmo natural das forças da vida, marcadas pelas fases da lua e pelas quatro estações do ano.
 
Wicca (que também é conhecida como "Arte dos Sábios", ou, muitas vezes, somente como "A Arte") é considerada por muitos uma religião panteísta, politeísta e faz parte de um ressurgimento atual do paganismo, ou movimento neopagão, como muitos preferem chamar.


As Vertentes Wiccanas

A vertente Coven, é como se fosse uma família, uma célula com no máximo 13 pessoas que permanecem ligadas energeticamente. Os seus objetivos, como os da maioria das religiões, são reconectar o homem com o cosmo, com Deus, melhorar a situação de vida das pessoas, as condições planetárias, promover a paz, a harmonia. Os Esbás são reuniões rotineiras dos membros do Coven, e servem para discutir os encantamentos, para a troca de conhecimentos, de ideias, para estudos e discussões das atividades do grupo.

 A maioria dos pagãos parece concordar em comum, com várias destas crenças sustentadas:
 
1 - A divindade é imanente ou interna, bem como transcendente ou externa. Isso é expresso com frequência nas frases: "Tu és Deus" e "Tu és Deusa". Isso pretende representar que os Deuses tanto estão no Universo, no Planeta, quanto dentro de cada um de nós. Nós somos manifestações dos Deuses.
 
2 - Uma multiplicidade de deuses e deusas, como deidades individuais e como facetas dos dois Aspectos Divinos.
 
3 - Amor e respeito pela Natureza como algo divino por direito próprio fazem da consciencialização ecológica e dessa atividade uma obrigação religiosa.
 
4 - Descontentamento com as organizações religiosas monolíticas e desconfiança de supostos messias e gurus.
 
5 - A convicção de que os seres foram feitos para viver vidas repletas de Amor, alegria, prazer e humor. A concepção de "pecado original" é não existente.


6 - O direito de agir como bem quiser, desde que isso não prejudique a ninguém.

7 - O conhecimento de que, com treino e intenção apropriados, as mentes e os corações humanos são totalmente capazes de realizar a magia.

8 - A importância da consciencialização e celebração dos ciclos solar e lunar e também de outros, nas nossas vidas.

9 - Uma grande fé na capacidade das pessoas resolverem os seus próprios problemas e dificuldades.

10 - Um total compromisso com o crescimento, evolução e equilíbrio pessoal e universal. Espera-se que o pagão realize esforços intermitentes nessas direções.
 
 
Se Gostou do que Leu, Clique G+1
 
 

Sem comentários:

Enviar um comentário

GOSTOU COMENTE!
NÃO GOSTOU, COMENTE NA MESMA!