segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Sila Tarot: Regras da Magia Wicca


 
Antes de praticar qualquer tipo de magia, nunca se esqueça estas dez regras:

1- UTILIZAR O CÍRCULO DE PROTEÇÃO;

2- NÃO PENSAR NEGATIVAMENTE DURANTE A MAGIA;

3- NÃO PREJUDICAR NINGUÉM;

4- SABER LIDAR COM OS ANJOS E ESPÍRITOS;

5- SABER O CONTEÚDO DA MAGIA;

6- QUEIMAR O INCENSO ATÉ AO FIM;

7- NÃO SOPRAR AS VELAS PARA APAGAR;

8- NÃO COMEÇAR NADA NA LUA MINGUANTE;

9- ECONOMIZAR AS ERVAS AO MÁXIMO;

10- O PODER VEM DE DENTRO DE SI;.

O pensamento mágico requer a intenção certa para influir positivamente nas circunstâncias e tornar o encantamento eficiente. O verdadeiro wicca, utiliza a sua arte até nas situações banais do dia-a-dia, na rua, no shopping ou no seu trabalho; sem perder de vista, a fronteira, onde começa a liberdade do outro.
 

 

Lei Tríplice

É comum os wiccans dizerem frases, do tipo: “faz o que quiseres, se for para o bem” e outras frases, que ouvidas ou lidas por pessoas leigas em Wicca, podem ser mal interpretadas e podem levar estes leigos a pensar que a nossa religião não tem qualquer tipo de controle, pois “Tudo é Permitido!”, o que sabemos que não é verdade!

A verdade é que temos a Lei Tríplice, a única Lei Wiccan, que na verdade é a mais completa, das 200.000 que poderiam existir.

Esta Lei baseia-se no princípio de que tudo o que fizermos retornará para nós (aquele que pratica o ato) 3 vezes maior do que fizemos inicialmente.

Veja, se desejarmos, por exemplo, que uma determinada pessoa caia e parta o nariz, pode ter certeza que mesmo demorando este desejo inicial retornará 3 vezes maior fazendo com que (quem desejou) caia, quebre o nariz, os braços e a cabeça!

É claro que isto é apenas um exemplo, mas acho que serve para entender o significado da Lei Tríplice.

Devemos tomar muito cuidado com tudo o que fazemos na Wicca, pois o que pensamos estar certo, pode voltar como uma bomba sobre nós.

Muitas vezes pode interferir, sem saber, na vida de uma pessoa ou no curso natural das coisas ao seu redor. Esta interferência pode ser ruim para o caminhar natural das coisas ou pessoas.

Já parou para pensar que as pessoas têm o seu livre arbítrio para fazer ou deixar de fazer o que bem entenderem?

Antes de ajudar uma pessoa que se encontra enferma numa maca de hospital, precisa de ter o consentimento dela, pois a SUA vontade de que ela melhore e saia do hospital pode ser contrária à da pessoa que quer mais é morrer, porque não vê mais sentido em nada!


O mesmo se aplica àquelas pessoas que por amor ou loucura, não sei, quer “amarrar”, ou seja, obrigar uma pessoa, que nem sabe que ela existe, ficar de “4”, perdidamente apaixonado e cego de amores...Acha isto certo? Acho que não. Pior ainda, quando estas pessoas loucas de amor decidem fazer feitiços mediante o uso de energias e procedimentos mirabolantes para conseguirem o que querem! E Conseguem!!!!!! Não é novidade nenhuma ouvirmos casos de casamentos desfeitos e tragédias por causa destas ações. Com certeza, o troco chegará, cedo ou tarde, mas chegará!

Para estas pessoas, um recado: CUIDADO!!!

Claudiney Pietro, em seu livro “Wicca – Ritos e Mistérios da bruxaria moderna”, diz o seguinte:

“Quando interferimos no livre arbítrio de uma pessoa estamos a realizar um ato negativo contra a pessoa e contra nós mesmos. Quando um Bruxo faz isso, está a trabalhar com a Baixa Magia, e ele pagará caro, pois o Universo retribui tudo o que emitimos aos outros numa escala de >3.”

Tenha em mente: NO UNIVERSO HÁ A FAMOSA LEI DO REFLEXO, OU SEJA, TUDO QUE FAZ, VOLTA PARA SI E MUITO MAIS FORTE! Ponto final e não discutamos mais sobre esta questão.


Claudiney, prossegue afirmando que os feitiços são parte integrante do núcleo operacional da Wicca. Este feitiço é colocado pelo autor como sendo “um conjunto de técnicas e conhecimentos específicos que quando colocados em prática, enviam uma projeção mental ao Universo”...”Um feitiço age DIRETAMENTE com a natureza”... “Tudo na natureza é vivo e possui energias específicas acumuladas”...”quando canalizadas corretamente, passam à agir em benefício daqueles que sabem utilizá-las”.

É agir em consciência quando usar as suas energias nos seus ritos. Tenha em mente que apesar de muitas vezes esquecermos este detalhe, NÃO SOMOS SENHORES DA MAGIA, DAS PESSOAS E DAS SITUAÇÕES!

Scott Cunningham no seu livro Guia Essencial da Bruxa Solitária dá algumas dicas de como se deve utilizar bem o seu poder evitando assim, ser punido por seu mau uso.


1. O Poder não deve ser usado para gerar danos, males ou para controlar os outros. (Se surgir necessidade para tais atos, o Poder deverá ser usado APENAS para proteger a sua vida ou de outros);

2. O Poder só deve ser utilizado conforme as necessidades;

3. O Poder pode ser utilizado em seu benefício, desde que ao agir não prejudique ninguém;

4. Não é sábio aceitar dinheiro para utilizar o Poder, pois ele rapidamente controla o que o recebe. Não seja como os de outras religiões;

5. Não utilize o Poder por motivo de orgulho, pois isto desvaloriza os mistérios da Wicca e da magia;

6. Lembre-se sempre de que o Poder é um Dom sagrado da Deusa e do Deus, e não deve JAMAIS ser mal usado ou abusado;

Deixo uma dica: Antes de agir em favor ou contra algo ou alguém, pare, reflita em cada uma destas dicas de Scott Cunningham e veja se não fere nenhuma. Se estiver tudo certo, prossiga!


Se Gostou do que Leu, clique G+1


Sem comentários:

Enviar um comentário

GOSTOU COMENTE!
NÃO GOSTOU, COMENTE NA MESMA!