quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Sila Tarot: Descubra como se Libertar!

 
Se eu faço tudo o que ele quer que eu faça, por que não se torna no que eu quero?
 
Anular-se para receber afecto das pessoas é algo saudável? O que fazer para evitar isto?
 
Uma pessoa pode passar anos, até a vida toda, a viver para agradar alguém. Isto significa que ela estará provavelmente a anular-se. Nesta auto-anulação perde-se muito, como a liberdade, a autenticidade, o direito de dizer o que pensa, de sentir, de criar, etc. Tanto mais isto é perdido, quanto maior a anulação pessoal devido à obsessão pela outra pessoa.
 
O que leva uma pessoa a agir assim? Não deve ser um problema de falta de bom nível cultural ou mesmo de inteligência, porque pessoas cultas e inteligentes também podem agir assim. A formação intelectual não livra uma pessoa de ter problemas emocionais.
 
Não é raro o caso de uma mulher dizer que ama tanto o seu marido a ponto de se anular no casamento para o agradar a todo custo. Pode ocorrer com o marido, mas parece ser mais encontrado nas mulheres. Mesmo nas histórias em que o marido trai a esposa constantemente, ela pode facilmente perdoar, esquecer facilmente, aceitar facilmente, e ficar ainda numa atitude de bajulação para com este homem. E muitos vivem um comportamento tipo “filho” com a esposa e erotizado com a(s) amante(s). Nestes casos, a esposa faz o papel de boa mãe, cuida da casa, dos filhos, até dos negócios do marido, enquanto ele age sem compromisso do casamento, tendo outra(s) mulher(es).
 
Por necessidade de afecto uma pessoa – qualquer pessoa – pode-se permitir viver histórias destas, perdendo a sua individualidade, anulando-se por completo. É importante dizer que isto não é amor! Pode ser dependência, codependência, imaturidade emocional, fraqueza de espírito, falta de auto-respeito, desprezo de si mesmo, carência, insegurança, etc. Mas não é amor! Porque o amor maduro não leva a pessoa a anular-se em busca de afecto e de aprovação. É verdade que o amor é paciente, mas também coloca limites para abusos diversos, e a infidelidade conjugal é uma forma de abuso e desrespeito pelo cônjuge.
 
Quando alguém aprende a amar-se a si mesma equilibradamente, não se anula para agradar o outro, ficando á espera de com isto obter carinho, companhia, valorização pessoal. Não é uma atitude madura e honesta um cônjuge valorizar o seu (sua) companheiro (a) por este se anular para o agradar! Parece ser exactamente o contrário, ou seja, quando se valoriza a si mesmo saudavelmente, isto favorece a outra pessoa a valorizá-lo também.
 
 
...jamais senti que pudesse ser eu próprio, perto das outras pessoas. Eu estava demasiado ocupado, a tentar ser o que eu achava que os outros queriam que eu fosse, com medo de que eles não me aceitassem da forma que eu era. ...Entendi que posso viver a minha vida pela paz interior e não pelas aparências externas....Conviver com alegrias e problemas confirma a minha condição de ser humano. O que me separa como indivíduo é o caminho no qual fui colocado para caminhar. Ninguém pode fazer o percurso por mim, nem eu posso mudar o caminho para agradar alguém.” Será que está a ser você próprio? Ou anula-se na expectativa e tentativa de influenciar alguém a amá-lo? Repare e veja se a pessoa a quem tenta agradar tem realmente ficado agradado com a sua anulação como pessoa. Ou será que ele(a) não a(o) despreza e valoriza outra pessoa? Será que merece continuar assim, por perder a sua dignidade? Não chegou o momento de viver ao invés de sobreviver? Não é um direito seu, ser você própria(o)?
 
O que deseja? O que não quer? Quais são as suas preferências, escolhas, vontades, anseios, sonhos, projectos pessoais? Não coloque tais coisas nas mãos e na dependência do comportamento de outra pessoa. Não faça esta maldade consigo mesmo.
 
Se faz sempre tudo o que o outro quer, a anular-se, é muito mais provável que este outro não se torne o que realmente quer, podendo desprezá-lo e procurar outra pessoa “mais interessante”. E se analisar, poderá descobrir que esta outra pessoa não se anula e por isso atrai o outro. Não viva obcecado(a) para agradar! Pare de se maltratar!
 
Merece viver a sua vida. Ganhando ou não o afecto ou a valorização da outra pessoa.
 
 
Se Gostou do que Leu, clique G+1

Sem comentários:

Enviar um comentário

GOSTOU COMENTE!
NÃO GOSTOU, COMENTE NA MESMA!