sábado, 1 de março de 2014

Sila Tarot: Como Ultrapassar as Mágoas Parentais?

  • Os pais não são Perfeitos - Como Lidar com Mágoas do Passado e do Presente?
 
Frequentemente, os pais erraram porque não souberam fazer de forma diferente, por não terem um “manual de instrução”, ou mesmo com algum conhecimento, não conseguiram aplicar na educação ou bem estar dos filhos, aquilo que “é assertado”. Assim como qualquer pessoa, eles também têm as suas dificuldades, os seus conflitos emocionais, as suas resistências, limitações e falta de maturidade, em determinadas questões.
 
Mesmo compreendendo isto, não significa que o filho não possa ficar magoado com aquilo de que sentiu falta, ou sofreu. As marcas (boas ou más) deixadas pelos pais, normalmente são as que mais influenciam a vida de qualquer pessoa. Mas não quer dizer que precise de viver “presa” ao passado. Quando adulta, pode-se “libertar” dos fantasmas (medos, insegurança, traumas, …).
 
É importante perceber que já não é uma criança, que já não é “dependente”, que pode mudar o rumo da sua vida e da sua história, pois já tem a força e a autonomia para tomar as suas próprias decisões. Permanecer ou não “aprisionado” aos pais e ao seu passado, depende agora de cada pessoa. É quem define se continua a alimentar ou não alguns padrões de pensamento.
 
O filho adulto é responsável pelas suas escolhas, e tem a opção de permitir ou não, aos pais que comandem a sua vida. É necessário que os filhos também imponham limites aos pais, “mostrem até onde podem ir”. Se os pais invadem a vida dos filhos adultos, é porque de alguma forma os filhos permitem que isso aconteça.
 
Também é importante que aprenda a lidar com os defeitos dos seus pais. Isso ajuda a superar os ressentimentos. Ter em mente que cada um tem a sua maneira de demonstrar sentimentos, afeto ou carinho.
 
Em cada idade, os pais terão um significado na vida de um filho. Eles nunca foram ou serão super heróis (são humanos), e talvez eles nunca consigam chegar perto disso. É preciso lidar com o desejo de “como os pais deveriam ser” (expectativas, decepções e frustrações). Nem tudo é perfeito, às vezes é necessário existir distanciamento (dos pais, das emoções, do passado, …) para que a pessoa se consiga “emancipar emocionalmente” e assim fortalecer-se, elaborar e conviver com as suas cicatrizes, para amadurecer. Este processo não costuma ser fácil, sendo por vezes necessário um acompanhamento psicológico, quando não consegue sozinha.
 
 
Se Gostou do que Leu, clique G+1

Sem comentários:

Enviar um comentário

GOSTOU COMENTE!
NÃO GOSTOU, COMENTE NA MESMA!