segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Sila Tarot: O Que São Crianças Indigo?

As crianças índigo possuem uma estrutura cerebral, capaz de utilizar simultaneamente as potencialidades do hemisfério direito e do hemisfério esquerdo do cérebro, o que significa que  conseguem ir muito mais além do plano racional e intelectual, desenvolvendo capacidades espaciais, intuitivas, criativas e espirituais, e por isso necessitam também de um ambiente propício para poderem desenvolver todas as suas potencialidades, ajudando-nos num futuro próximo, a mudar muita coisa que é necessário que seja mudada no mundo em que vivemos, nomeadamente diminuir a distância existente, entre o pensar e o agir.
 
O “fenómeno Índigo” nasceu a partir da cor índigo que aparece associada à mente (chacra frontal) e à espiritualidade (aura de cor índigo). Segundo alguns autores, as crianças índigo estão envolvidas por uma aura azul-índigo! Nancy Ann Tappe, nos anos 80 observou que inúmeras crianças apresentavam esse tipo de aura e tinham características algo semelhantes. Na última década dos anos 90, dois autores norte-americanos Lee Caroll e J. Tober publicaram o primeiro livro sobre “As Crianças Índigo”.
 
A partir de então, muito se tem falado destas crianças que cada vez em maior número (neste momento 90 % das crianças que nascem já trazem características Índigo, Cristal, Violeta ou outras…) estão a invadir o nosso planeta e apresentam as seguintes características: Inteligentes, sensitivas, intuitivas, com tendência hiperactiva, perceptivas, compreendem facilmente as leis universais, são muito criativas e possuem uma memória privilegiada (por vezes falam de vidas passadas com toda a naturalidade) e são dotadas, como referem alguns autores, de uma espécie de “inteligência espiritual”. Quando o assunto não lhes interessa podem apresentar características de défice de atenção, mas se pelo contrário, algum tema lhes desperta a atenção, entregam-se apaixonadamente e passam horas atentas e envolvidas em novas descobertas. 
 
Vários autores referem que podem distinguir-se 4 tipos de crianças índigo: as humanistas (líderes), as conceptuais (cognitivas ou intelectuais), as artistas (portadoras de grande sensibilidade e intuição) e as interdimensionais (globalmente sobredotadas mas com potencialidades espirituais invulgares).
 
 
Desde quando começaram a aparecer no planeta?
 
Não é a primeira vez que o planeta assiste à chegada de consciências que trazem características diferentes do habitual e que põem em causa as culturas instaladas. Poderia enumerar uma quantidade delas, que desde há muito, vêm surgindo aqui e ali para nos abrirem um pouco a porta do conhecimento e que na maioria das vezes, foram perseguidos, mal entendidos na época em que viveram, e até, alguns chegaram a ser mortos. Tudo apenas porque apresentaram comportamentos diferentes e formas de pensar que punham em causa as instituições e organizações políticas ou religiosas vigentes.
 
Temos, por exemplo: Pitágoras, Sócrates, Platão, Aristóteles, Jesus Cristo, Leonardo da Vinci, Gandhi, Shweitzer, Einstein e muitos outros... Eles surgiam para ajudarem a que a mudança fosse algo possível de acontecer e com a sua coragem e determinação se abrissem caminhos novos e diferentes. Graças a eles a humanidade foi dando os seus passos no sentido de romper com as velhas tradições de pensamentos e culturas.
 
 
Como identificar as Crianças Índigo?
 
Proponho que façam um pequeno teste às vossas crianças para poderem identificá-las, ou não, como crianças índigo. Este teste (embora com algumas adaptações) é apresentado por Lee Carroll no seu livro "As Crianças Índigo".
 
  • Trata-se de uma criança muito intuitiva (parece adivinhar as coisas) e traz consigo, desde a nascença, uma certa realeza comportando-se como tal?
  • Sentem que merecem estar aqui e admiram-se quando outros não os reconhecem. Revelam-se bastante sensitivos (parecem observar, ver, ouvir e detectar acontecimentos, objectos e situações aparentemente impossíveis)?
  • São muito sensíveis à música, à pintura, às paisagens grandiosas e sublimes, ao belo.
  • Dizem, com naturalidade aos pais quem são e donde vêm e alguma vez referiram ter falado com anjos, Deus, extraterrestres ou outras entidades?
  • Preocupam-se muito com questões humanitárias, a fome, as guerras, os problemas ambientais, com os animais abandonados ou maltratados? 
  • Gostam de ver programas sobre História, Religião e Arte na TV ou na Internet?
  • Sentem-se frustrados com sistemas que obedecem a rituais e sem criatividade, apresentam outras formas de fazerem as coisas, tanto em casa como na escola, o que os torna rebeldes ou simplesmente desinteressados?
  • Costumam desenhar figuras exóticas, seres extra-terrestres, figuras estranhas?
  • Apreciam conversar sobre Deus, o princípio do Mundo, a Vida, os OVNIS, etc? 
  • Parecem ser anti-sociais e por vezes, a escola é o local onde lhes é muito difícil socializar.
  • Apreciam a solidão?
  • Gostam de se fechar no quarto para ficar sozinhos? 
  • Têm dificuldade em aceitar uma autoridade absoluta. Falam ou escrevem sobre assuntos que parecem não ser para a sua idade e formação?
 
Se respondeu SIM a mais de 4 perguntas... esteja mais atento ao seu filho ou educando, porque poderá estar perante uma criança índigo, por isso tente retirar dele mais informações, mas proceda com carinho e amor verdadeiro, porque estas crianças devido à sua sensibilidade e capacidades extra-sensoriais, apercebem-se facilmente das suas intenções, sobretudo se estas não foram para o seu bem. Como sabem elas trazem consigo um verdadeiro detector de mentiras e intuitivamente, lêem os pensamentos das pessoas com quem lidam.
 
Qual a educação mais adequada para estas crianças e jovens?
 
Em primeiro lugar é fundamental que exista para a criança, uma só escola e uma só educação. O complexo processo educativo, para atingir os seus plenos objectivos deve fazer um compromisso com todos os seus intervenientes, que em conjunto devem-se envolver em uníssono: pais, professores, alunos.
 
Todos têm que ter consciência de três verdades insofismáveis:
 
O potencial humano é muito superior àquilo que nos convenceram. (Einstein desenvolveu, e dizia que utilizamos apenas, entre 5 e 10% das capacidades do cérebro....)
 
A educação deve ser adquirida naturalmente e com prazer, porque educar sem prazer é deseducar e é como um dia sem sol.
 
A educação e a aprendizagem são o único motivo que nos trouxe a este planeta, por isso, deve ser feita com esmero.
 
Um sistema de educação alternativo e muito conhecido, é o da pedagogia Waldorf que explica de uma forma harmoniosa, a relação existente entre o processo íntimo do desenvolvimento da criança e do jovem e as modificações sofridas pelo homem na sua evolução histórica, pois ajuda a criança a passar por um processo evolutivo de crescimento, amadurecimento e consciencialização progressivos, até atingir a maturidade.
 
Para isso promove um acompanhamento adequado com respeito pela sua individualidade e criatividade, para que floresça e desabroche livremente em todas as suas vertentes.
 
 
Existem no nosso país escolas adequadas a estas crianças?
 
Existem muito poucas escolas com pedagogias adequadas e preparadas para promoverem uma educação adequada a estas e muitas outras crianças.
 
Em Portugal existem algumas poucas escolas com pedagogia Waldorf.
 
Será um Índigo adulto?
 
Se quer saber se é um índigo adulto analise as afirmações que se seguem:
 
São muito criativos, ainda que na escola não tenham tirado as melhores notas.
 
Têm algumas características que fazem parte de crianças índigo.
 
Apresentam alguns problemas de concentração e atenção (Sintomas de Desordem de falta de Atenção. Podem apresentar problemas para se concentrarem nas suas tarefas. Podem saltar de tema nas conversas (palestras, dissertações, etc.)
 
Têm uma verdadeira empatia por algumas pessoas e sentem-se bem com pessoas que tenham a sua vibração, mas têm também, uma profunda intolerância pela estupidez.
 
São muito intuitivos, muito criativos e desfrutam fazendo coisas, mesmo que espalhem tudo à sua volta como um caos, sentem-se bem assim...mesmo que os outros reclamem da desordem.
 
É difícil para eles fazerem um trabalho repetitivo e obrigatório e sobretudo na escola recusavam-se a fazê-lo.
 
Vivem em constante mudança e têm ainda hoje, problemas com a autoridade. Rejeitavam muitas vezes, a autoridade do professor ou mesmo dos pais quando procuravam impô-la. Questionaram-na e continuam a questionar a autoridade.
 
Aprendem rapidamente e quando acham que já sabem o suficiente, aborrecem-se e desinteressam-se pelos assuntos?
 
Se uma coisa ou um tema lhes interessa, põem nele toda a sua atenção e não se importam de estar horas a fio, a fazer o mesmo.
 
Na escola parecia que tinham “picos” e não paravam quietos, quando a matéria não lhes interessava, não lhe servia para nada ou achavam que já sabiam o suficiente sobre o assunto.
 
Por vezes mostram ser extremamente sensíveis, ou emocionalmente instáveis, chorando ao mínimo motivo (sem protecção). Ou podem mostrar uma certa falta de emoção (protecção completa).
 
Por vezes revoltam-se com certas coisas ou pessoas, parecendo que têm problemas com a Ira.
 
Não compreendem e até se revoltam, ou irritam com os chamados sistemas ineficazes que consideram caducos: sistema político, educativo, médico, jurídico, etc.
 
Sentem uma verdadeira irritação e ira, quando privam dos seus direitos e detestam que os observem ou controlem os seus passos, ficam irritados quando alguém está sempre a observá-los e a criticá-los.
 
Procuram o significado da vida e sentem uma grande vontade de mudar, ou até melhorar o mundo, aderindo por vezes, à espiritualidade ou a alguma religião ou a grupos, ou livros de auto-ajuda.
 
 
Tiveram alguma experiência psíquica, premonições (ver anjos, seres extrafísicos, fantasmas...) experiências fora do corpo, ouvir ruídos ou vozes, etc.
 
São sensíveis à electricidade e por vezes os relógios não funcionam, as lâmpadas apagam-se quando passa por baixo deles, os aparelhos eléctricos funcionam mal ou queimam-se fusíveis ou rebentam lâmpadas...
 
Já alguma vez, tiveram consciência da existência de outras dimensões, de extraterrestres ou da existência de outras realidades paralelas.
 
São muito expressivos sexualmente, mas também podem recusar a sexualidade por aborrecimento ou para conseguirem uma ligação espiritual mais elevada. Podem explorar tipos alternativos de sexualidade.
 
Tiveram poucos ou nenhum, exemplo índigo para imitar.
 
Quando conseguem encontrar o seu equilíbrio, podem transformar-se em indivíduos muito realizados, fortes, sãos e felizes. 
 
 
Se Gostou do que Leu, clique G+1

Sem comentários:

Enviar um comentário

GOSTOU COMENTE!
NÃO GOSTOU, COMENTE NA MESMA!