sábado, 4 de junho de 2016

Sila Tarot: Porque Devemos Conformar-nos com a Morte (Desencarne) de um Ente-Querido?


O tema que hoje abordo, é um tema muito sensível. Pelo que tentarei abordá-lo de forma esclarecedora e clara.

Muitas pessoas ficam muito revoltadas quando fazem orações com muita fé, pedindo pela saúde de um amigo ou familiar e os pedidos não são atendidos. Revoltar-se contra Deus, quando se perde alguém, um familiar, um ente-querido, é um grande erro. E tudo se resolve quando mudamos a forma como vemos as coisas. Quando passamos a ver as coisas da forma correta. 

A primeira coisa que devemos entender é que os nossos familiares não são nossos. No caso de ser um filho, significa receber de Deus a responsabilidade temporária de cuidar, amar e educar, um ser que pertence a Deus.

Em segundo lugar, devemos entender que a verdadeira vida, não é a vida terrena. A vida na Terra é uma situação transitória. Jesus falou sobre isto algumas vezes. A vida real, a felicidade real não pertence a este mundo. A vida na Terra é curta e transitória. A vida do nosso espírito é eterna. Todos nós estamos aqui, para cumprir uma processo de aprendizagem que tem inicio, meio e fim. É como matricular-se numa escola, e saber que dentro de alguns anos terminará o curso e voltará novamente para a sua vida normal, longe do universo escolar.

Em terceiro lugar deve-se entender, que todos nós já nascemos e morremos inúmeras vezes. Em cada existência aprendemos alguma coisa de útil e subimos um degrau na escada que nos levará a pureza e perfeição do espírito. Esta não foi a única e não será a última existência do seu filho ou ente-querido. Com certeza não é a primeira e nem a última vez que o verá, pois vocês possuem toda a eternidade e inúmeras existências pela frente.

Na maioria das vezes morremos, quando a nossa missão nesta existência atual se encontra cumprida, ou então quando sucumbimos a missão. Nos dois casos já não existe razão para a nossa permanência aqui. Deus felizmente poupa-nos de viver desnecessariamente aprisionados dentro deste corpo material, limitado, sujeito a tantas dores e doenças. Vivemos até ao momento em que nossa existência é útil para a nossa aprendizagem ou para a aprendizagem de terceiros. E assim que possível, Deus liberta-nos da vida da Terra e retornamos para a nossa verdadeira vida, a vida espiritual.


A dor que sentimos quando perdemos um familiar, é fruto da nossa falta de entendimento sobre as coisas divinas. É fruto da educação que recebemos dentro da nossa sociedade. Dependendo da cultura e dos povos, a dor sentida numa situação de morte pode ser maior, menor ou até não existir. No máximo devemos sentir um sentimento de saudades, que temos quando um familiar nosso embarca numa viagem que irá durar alguns anos. Devemos ter a certeza que a nossa existência é curta e em breve todos nós, nos encontraremos inúmeras vezes...



Se Gostou do que Leu, Clique G+1 ( = Gosto)

Sem comentários:

Enviar um comentário

GOSTOU COMENTE!
NÃO GOSTOU, COMENTE NA MESMA!