sábado, 9 de julho de 2016

Sila Tarot: Como Tomar Decisões? - 20 Sugestões Para Exercitar!



01 – RISCOS E RECOMPENSAS – Antes de tomar uma decisão tenha uma visão geral da situação, analise os prós e os contras, assim como as pessoas envolvidas no assunto;

02 – CONSEQUÊNCIAS – Deve tomar decisões cuidadosas e nunca precipitadas. Não aja e nem reaja, sem pensar antes nas consequências. Evite em todas as situações os trabalhos redobrados e os desgastes nos relacionamentos;

03 – EMOÇÃO E IMPULSO – Não permita que as emoções e os impulsos o influenciem nas suas decisões, - Regra Geral, na maioria das vezes - estarão erradas e irá lamentar-se por as ter tomado;

04 – NÃO SE TORNE PRISIONEIRO – Uma decisão mal elaborada e encaminhada, dificilmente permite que volte atrás ou no pior dos casos, terá que conviver com a decisão que tomou, por longos períodos de tempo, a tentar acertar as arestas ou as rotas necessárias;




05 – DEVE BASEAR-SE EM FACTOS E NÃO EM PESSOAS – Não cometa o erro de analisar coscuvilhices alheias, procure avaliar com realismo os factos ocorridos. Na maioria as vezes uma decisão mal encaminhada, alicerçou-se em falácias e interesses de outro.

06 – EQUILÍBRIO E MODERAÇÃO – Defina e clarifique bem, o curso que deve ser tomado por todos, após a tomada da sua decisão. Em geral quando o rumo não está nítido a todas as pessoas envolvidas, isso trará frustração, e passam a não respeitar a decisão tomada, tentando mudá-la.

07 – MÚLTIPLAS DECISÕES – Acompanhe o andamento e o desenvolvimento de uma decisão tomada, bem como o entendimento e a aplicação na prática, por todos e fique atento para não tomar novas decisões superficiais, que venham prejudicar a decisão principal.


08 – ANALISE OS VÁRIOS CENÁRIOS – Avalie, elabore retrospectivas, pesquise, procure as melhores cabeças experientes e faça exercícios de visualização dos mais variados cenários, para que a decisão a ser tomada seja a correcta.

09 – MOMENTO DE GLÓRIA – Não se deixe entusiasmar pelos falsos momentos de gloria no andamento de uma tomada de decisão. Analise friamente as emoções das pessoas e busque focar o objectivo principal da decisão tomada. Falsos momentos obrigam-no a trabalhos redobrados, e avaliação constante das rotas.

10 – IMEDIATISMO – Nunca tome decisões que contemplem o imediatismo, principalmente quando o assunto se apresenta como novidade no ambiente, quando isso ocorre é porque não houve qualquer analise da situação em curso, e com certeza tem 90% de hipóteses de não acertar. Cabe aqui lembrar, que não se deve confundir com as tomadas de decisões que necessitem de agilidade.

11 – DECISÕES DE MÉDIO E A LONGO PRAZO – No mundo dos negócios e em liderança, é primordial que todas as decisões devam ser tomadas no mínimo a Médio e no máximo a Longo Prazo. Quando isso não ocorre, o preço a ser pago é muito alto, além da grande aventura dos conflitos diários, semanais, mensais, etc.



12 – CANAIS DE COMUNICAÇÃO – Mantenha os canais de comunicações abertos a todas as pessoas envolvidas e que possam contribuir em qualquer tomada de decisão. Não se feche a nada, nem mesmo as mais absurdas sugestões que se apresentem.

13 – ATENTO A INFORMAÇÕES EXTERNAS – Utilize a regra para que possa avaliar o fluxo de informações vindas dos Canais de Comunicação. De modo geral 80% das informações de nada servirão nas decisões, porém 20% poderão contribuir numa decisão mais eficiente.


14 – NERVOSISMO E IRRITAÇÃO – Nunca, jamais, tome qualquer decisão quando estiver nervoso, irritado e ou por coação / pressão externa. Independente da sua posição peça o tempo necessário ou razoável para estudar e reflectir sobre o assunto.

15 – SAIBA OUVIR – O processo decisório é um processo de informação que a grande maioria das pessoas estão habituadas e sabem como funciona. Por exemplo, numa empresa na sua hierarquia, sobem informações e descem decisões. Portanto é de extrema importância, ouvir as pessoas sobre todos os assuntos e detalhes que fazem parte de uma decisão.

16 – EVITE ADIAR – Adiar, demorar, ou deixar para o outro dia. Uma vez que tem todas as informações possíveis e necessárias, não cometa o mau habito de deixar para depois. O momento é agora, vá em frente e tome a decisão que o assunto exige e merece.

17 – ATENÇÃO AOS DETALHES – Valorize na sua avaliação, todos os detalhes de cada assunto. Nunca se esqueça de que qualquer decisão só será totalmente correcta, se todas as partes que a compõem forem igualmente perfeitas. Não negligencie a sua decisão só porque um pequeno detalhe foi deixado de lado, porque alguém ou alguns entenderam que não tinha a menor importância.

18 – AUTOCONFIANÇA E HABILIDADE – A maioria das decisões, não requer uma sabedoria dos imperadores romanos, mas sim, que analise atentamente os factos e compreenda os indivíduos envolvidos. Eventualmente, quando uma decisão no decorrer de seu curso, se apresente equivocada, precisa de ser bastante flexível para poder alinhar a rota.



19 – TRANSPARÊNCIA – Independente do ambiente em que esteja inserido, toda e qualquer decisão deve ser transparente para que as pessoas a possam observar de forma simples e clara. Lideres, habitualmente, tomam as decisões estratégicas e confiam nas pessoas as decisões tácticas.

20 – DECISÃO E PODER – Com frequência o Poder e a Decisão caminham praticamente juntos, é necessário muita sabedoria, ética, carácter, integridade e humildade, para que não se perca na vala comum dos arrogantes, orgulhosos e vaidosos. Entrementes, se de repente perceber que é o todo poderoso, repense e comece a reaprender tudo de novo.


Se Gostou do que Leu, clique G+1 ( = Gosto)

Sem comentários:

Enviar um comentário

GOSTOU COMENTE!
NÃO GOSTOU, COMENTE NA MESMA!