domingo, 11 de setembro de 2016

Sila Tarot: Como Encontrar Alguém Para Uma Vida a Dois?

Quando nós, homens e mulheres, estamos sós e nos lançamos em direcção à difícil jornada pela busca da nossa metade para compartilharmos uma vida, temos a tendência de criar um perfil que condiz com nossos melhores desejos, crentes que, com base neles a felicidade será garantida e plena. Porém, desejos comuns e compartilhados por muitos, tende a criar uma legião de decepcionados.

Os meios de comunicação, com razão pelo objectivo no uso da imagem, bombardeia-nos com um perfil de mulheres e homens que não condiz com a realidade da grande maioria das pessoas, e essa imagem normalmente é composta de um perfil corporal, estético, social e financeiro que instiga o desejo, criando automaticamente a falsa crença de que este conjunto seja o sinonimo de realidade e principalmente a felicidade ‘eterna’.

Infelizmente há uma regra que não é seguida pela maioria das pessoas quando buscam alguém para compartilhar uma vida juntos. Essa regra consiste em compreendermos que a felicidade está no que necessitamos e não no que desejamos. Se pensarmos bem, ela pode ser aplicada em vários âmbitos da nossa vida.


Seria hipocrisia dizer que a aparência não é importante, pois é o cartão de visita, a primeira impressão que qualquer pessoa deixa noutra. Ninguém gostaria de estar com uma pessoa que não lhe agrada aos olhos. Mas este ‘agradar’ é muito relativo e pessoal. Temos que ser realistas, a beleza plástica que nos é exposta na TV, nas revistas ou outros meios visuais de publicidade, não é a realidade prima. A beleza nem sempre está só no externo e o conjunto perfeito de beleza interna e externa, também é algo demasiado raro de se encontrar. Com o tempo estas alusões descritas pela publicidade, invadem-nos o inconsciente e sem que queiramos ou sem que nos apercebamos, vamos buscando o estereotipo, que corresponde muito pouco ao real e comum das pessoas. 



A vida em conjunto vai além das aparências. Após anos de convivência e com a chegada da velhice, a aparência deixa de ser um factor importante, o sexo já não terá a mesma importância ou constância e o que sustentará a relação? A personalidade, conteúdo, valores, princípios, alegria e muitos outros sentimentos que não são visíveis aos olhos.

A união entre seres tão diferentes é complicada, pois é feita de um constante ceder. Ambos terão que aprender a ceder, conviver e saber respeitar as diferenças, e perceber que a diferença que está no outro, pode vir para enriquecer e melhorar a relação, mas a cada um cabe saber quais de suas características são passíveis de mudanças. Sabemos porém que ao longo da vida vamo-nos transformando e mudando, através de experiência, maturidade e sabedoria adquiridas ao longo do caminho. Aos 20 anos pensamos de uma maneira, aos 40 de outra. que O que não pode haver é umas das grandes falhas na vida conjugal, o sufocar com exigências de mudanças. Há que aceitar o outro tal como é.

Mesmo quando convivemos durante anos com alguém, muitas vezes ainda não a conhecemos profundamente. Não se pode exigir fidelidade, isso é impossível. A fidelidade é conquistada com diversos fatores, principalmente com a constante conquista, não diária como muitos dizem, mas com a eterna conquista, o nunca deixar o seu homem ou a sua mulher esquecer o quanto é importante na sua vida.

O ser humano por natureza, busca coisas novas, melhorias, novidades, pois o novo gera curiosidade e é sempre atrativo. Infelizmente isso é mais forte nalgumas pessoas e acabam por levar isso também para a relação, fazendo com que uma relação bonita e saudável construída durante meses ou anos de convivência, venha a ter um fim, e muitas vezes em situações muito desagradáveis, ferindo profundamente quem só tinha amor e respeito para oferecer. Isso é reflexo muitas vezes da incapacidade de reconhecer sentimentos, da dificuldade entre diferenciar o amor de uma grande amizade, carinho ou carência.

 A verdade é que independente do motivo, quando uma relação chega ao fim, ficam ambos muito magoados, um mais e outro menos, mas a cada um cabe a sua parcela de culpa.

O primeiro encontro não é o mais importante, pois de nada adianta um lindo inicio com um fim triste. Pode até conhecer alguém especial na internet, na rua, através de amigos, em qualquer lugar ou situação, mas o importante será que fim levará este encontro e o quão forte e sincero será, para permitir que a união seja estável e ultrapasse as tormentas da vida.


MARQUE AQUI A SUA CONSULTA: http://www.silatarot.pt/p/contactos.html

Se Gostou do que Leu, clique G+1 ( = Gosto) 

2 comentários:

  1. Não é facil viver a dois!é prciso muita compreensão...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim...é verdade, assim como outros valores. O respeito e a confiança são outros factores fundamentais. Uma relação, requer reforço...mas no fim, vale a pena! Sejam Felizes, Sila

      Eliminar

GOSTOU COMENTE!
NÃO GOSTOU, COMENTE NA MESMA!