sábado, 18 de fevereiro de 2017

Sila Tarot: 10 COISAS QUE A TARÓLOGA NÃO DIZ!

1. Espero que a consulta lhe seja útil. Espero mesmo que seja, mas mesmo quando temos uma compreensão clara do que estamos a perguntar e eu tenho uma compreensão clara das cartas, elas podem não ser muito úteis e podem dizer apenas o que já sabe. No entanto ajudarão, reflectindo as energias para os acontecimentos estão prestes a suceder, orientando-a, aconselhando-a, no entanto caber-lhe-á mediante isso, apenas a si, decidir se é esse o caminho que pretende seguir.

2. Eu nem sempre tenho visões. Tarólogos nem sempre são videntes, assim como videntes nem sempre são tarólogos. Ocasionalmente tenho intuições e informações mediúnicas numa consulta, mas não conte com isso sempre, porque acontece aleatoriamente.

3. Eu não sei ler pensamentos. Eu não posso ler a sua mente, então se quer saber o que as cartas dizem sobre uma determinada situação, deve dizer-me qual a sua situação. Se quiser esconder uma informação crucial, porque quer testar os meus poderes, poderá não obter a informação importante de que precisa. Isso ocorre porque a mensagem das cartas é filtrada através da minha própria consciência, e eu não posso falar sobre algo que não sei.

4. Eu quero que faça perguntas sobre a sua consulta. Eu prefiro que esteja activamente envolvida na consulta. Sei que às vezes uma consulta parece que é uma simples troca, em que paga por uma leitura de tarot e eu divulgo a informação – mas uma consulta de tarot não é como ir comprar um bolo numa padaria: é sobre si e a sua vida! Eu quero ter a sua participação durante todo o processo, e ouvir o seretorno.

5. Não poderá fazer o meu trabalho. Um tarólogo investe tempo, dinheiro e energia no estudo do tarot e no aperfeiçoamento das suas habilidades e técnicas. Eu não recito apenas os significados das cartas que estão escritos num livro, pois certamente qualquer pessoa poderá fazê-lo. Eu uso o meu talento e dom na leitura das cartas. Há uma razão pela qual sou paga por aquilo que faço. Mesmo que saiba ler bem o tarot para si própria, eu coloco objectividade e a minha própria visão intuitiva na sua consulta – algo que não consegue fazer sozinha.

6. Eu abomino quando me pedem consultas de graça. Eu sou uma profissional e não estou sempre apenas no horário habitual de trabalho. Eu mereço o mesmo respeito que daria a qualquer outro profissional ou profissão. O mesmo respeito com que me apresento perante si. Claro que temos amigos em várias profissões e podemos pedir a sua opinião profissional em diversos assuntos, isso é normal. Mas se não pediria a um amigo médico para a consultar de graça, não me peça uma consulta de graça. Os meus serviços são pagos, esta á a minha profissão, e como qualquer outra deve ser remunerada. Se a ajudo a si, espero a sua ajuda em troca. Excepcionalmente, farei um preço diferente ou movida por uma causa, ou situação, mas sou eu quem decide quem e quando.

7. Se eu não anunciar outros serviçosnão espere que os forneça. Alguns tarólogos também estão habilitados noutras áreas, como astrologia, numerologia, reiki, etc. Mas um tarólogo não tem necessariamente conhecimento de outras práticas.

8. Eu posso cometer erros. As cartas contam uma “história”, como um livro que se lê, e eu faço sempre o meu melhor para aproveitar cada informação que se possa obter delas, mas eu sou humano e posso não perceber alguma coisa. Assim, sinto-me mal quando uma situação se desenrola de uma forma que as cartas avisaram, mas a qual eu não percebi. Eu queria ter visto. Às vezes, as cartas não avisam sobre algo que acontece, porque é inesperado, ou a situação é provocada para que ajam mudanças (o livre-arbítrio) O Tarot reflecte as energias do momento, nada é estático, tudo está em permanente alteração, em movimento, mudança. Tudo é energia, nós somos energia. Isso não é culpa minha. O tarot é perfeito. Eu não sou perfeita, sou humana. Cometo erros. Eu posso não perceber certas coisas. Mas é certo, que tentarei fazer sempre o meu melhor e dar uma correcta abordagem e divulgação, do que me é divulgado.

9. Eu não vou espiar os outros. Não me peça para ler as cartas sobre os seus vizinhos, amigas, o seu primo ou “outra mulher”. Não é que eu não possa ler sobre essas pessoas, pois eu posso. Mas qual será o seu benefício? E como essas informações ajudarão a decidir o que fazer á sua própria vida? Espere que a sua consulta se foque em si, ajudando-a a assumir o controle da sua própria vida através de confirmações, afirmações e sugestões positivas para mudanças.

10. Não se apoie em mim, pois eu não sou a sua muleta. O propósito da leitura de tarot é fazê-la entrar em contacto com sua própria intuição e com o seu inconsciente, e dar-lhe ferramentas para fazer as suas próprias escolhas. O tarot é uma forma poderosa de limpar a confusão mental e emocional e para lhe dar clareza, mas não toma decisões por si. Se começar a sentir que precisa de uma consulta para praticamente tudo, isso não é saudável e eu vou recusar-me a ler as cartas para si, por algum tempo.



MARQUE AQUI A SUA CONSULTA: http://www.silatarot.pt/p/contactos.html

Se Gostou do que Leu, clique G+1 (= Gosto)

Sem comentários:

Enviar um comentário

GOSTOU COMENTE!
NÃO GOSTOU, COMENTE NA MESMA!