sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Sila Tarot: Como Ser Feliz no Casamento?

Quando escrevi pela primeira vez sobre este tema, nunca imaginei que o mesmo, pudesse gerar tanto interesse. Ressalto que felicidade no casamento é algo que se constrói em conjunto, porém existem pequenas atitudes que pode tomar para garantir a felicidade:



Discussões Não são sinonimo de um casamento infeliz

Existe um conceito recorrente de que um casal feliz é um casal que não discute ou sequer se zanga. Isso é uma grande mentira. As pessoas discutem por possuírem ideias e temperamentos diferentes, e não porque estão infelizes com o outro. Discutem porque lutam e se importam com a relação. O contrário também é real. O importante é que exista respeito mútuo. Numa discussão não pode nunca haver agressões físicas ou verbais, e até é normal e saudável.

Valorize o seu companheiro (a)

É sempre bom receber elogios, principalmente de quem se ama. Mas para receber elogios é necessário também fazer elogios. Relembre o quanto a ama e acha bonita(o) e atraente, inteligente, enfim tudo aquilo que o fez ficar com essa pessoa. Esse hábito tão simples, faz o outro sentir-se amado e com vontade de retribuir esse amor.

Valorize o que seu companheiro (a) faz

É frustrante dedicar-se a alguma coisa ou a alguém e não ser reconhecido (a) por isso. Tenho a certeza que deve sentir-se assim, mas será que tem valorizado o que o outro tem feito por si? Crie o hábito de elogiar os feitos do seu parceiro: se ele ajudou em algo ou se ela fez uma boa refeição, até no acto sexual, etc,etc. Não pense que “fazer isso é obrigação” Ele (a) não é obrigado a nada, nem sequer a ficar consigo, quanto mais a zelar pelo seu bem estar. Além disso, o elogio faz com que a pessoa queira fazer mais coisas e se sinta reconhecido e até estimulado a melhorar.

Não se esqueça de valorizar também as vitórias pessoais, a promoção que ganhou, a faculdade que terminou (ou que começou), a pós-graduação, o elogio do chefe, qualquer vitória é digna de elogios.


Não sobrecarregue o outro

Iremos precisar sempre de contar com o apoio de outras pessoas, para realizar ou concluir qualquer coisa. Ao casarmos acreditamos ter alguém para nos ajudar, em todas as situações que a vida nos trouxer. Porém o seu companheiro (a) não é o seu empregado (a). Não o (a) sobrecarregue com favores ou tarefas, principalmente se esses favores forem de interesse exclusivamente seu. O outro também tem as suas necessidades e coisas que ele precisa de fazer e não pode dedicar-se a si indefinidamente. Essa sobrecarga de afazeres dá ao outro a impressão de estar a ser explorado (a) ou manipulado, ainda para mais quando não é agradecido ou reconhecido.

Não tenha muitos segredos

Não precisa de dizer tudo o que faz ou absolutamente tudo o que acontece consigo durante o dia, ao seu Marido ou á sua esposa. Mas o excesso de segredos, pode trazer ou gerar desconfianças mútuas. Analise o que pode ou não contar, ao seu companheiro e diminua os segredos. Deve haver mais dialogo e partilha. Pedir opiniões, conselhos, mostra-lhe que precisa dele e que valoriza as suas ideias, assim como aceita e respeita o que ele pensa.

Não provoque ciúmes

No trabalho, no local onde mora ou até mesmo na rua, podem existir alguém que lhe “sorria” ou faça um gracejo. São coisas do quotidiano, mas se de todas as vezes, que algo assim acontecer, contar ao seu companheiro (a), pode provocar nele (a) a sensação de insegurança ou até mesmo que está a dar conversa aos “outros”. Evite criar situações desconfortáveis e fazer com que o seu marido ou esposa se senta mal. 


Controle os seus ciúmes

Os ciúmes fazem dois reféns, o primeiro é aquele que sente ciúmes e que vive preso pela sua própria insegurança e o segundo é a vítima dos ciúmes, que se vê impedido de fazer várias coisas por estar prisioneiro dos caprichos do outro. Assim sendo, nada desgasta mais uma relação do que os ciúmes.

Aprenda a ceder

Viver em conjunto, significa perder alguns privilégios para ganhar outros. Essa dinâmica é valida para qualquer casal, ou grupo. Seja o grupo de amigos, trabalho, escola, faculdade etc. No casamento não é diferente. Se apenas uma das partes cede a tudo, o outro vai-se sentir sobrecarregado e começar a considerar que o relacionamento é um fardo. Pare para repensar as suas exigências e verifique se elas são realmente justas e necessárias. Aprenda a abdicar de algumas coisas para o bem estar do seu casamento.


Diálogo, diálogo e Diálogo!

O dialogo é extremamente importante em qualquer relacionamento. Através do dialogo conhecemos o ponto de vista do outro e podemos fazer os devidos acertos. O dialogo é também o termómetro da relação, quanto mais um casal conversa, melhor está a relação. Quando os membros do casal não conversam entre si, existe o sinal de que a relação não está a ir bem. Comece a fazer coisas em conjunto com o seu marido ou esposa e aprenda mais, sobre as coisas que ele (a) gosta, para que tenham mais assunto em comum.

O sexo é definitivamente muito importante

Nada conecta duas pessoas mais do que o sexo. O sexo faz uma parte importante da intimidade. Ele é tão importante para um matrimonio, que a falta dele é considerada uma causa legitima para um divórcio. Mas não adianta apenas que exista, é necessário que seja prazeroso para ambas as partes. Existem no mercado diversas publicações (livros, revistas, vídeos e sites) que falam como deixar o seu companheiro mais feliz nesse sentido. Aprenda mais sobre esse tema e tenha uma vida sexual mais plena.



MARQUE AQUI A SUA CONSULTA Tarot+Cartomância: http://www.silatarot.pt/p/contactos.html


Se Gostou do que Leu e para que eu publique mais temas semelhantes, clique (no site) G+1= Gosto - É anónimo!

Sem comentários:

Enviar um comentário

GOSTOU COMENTE!
NÃO GOSTOU, COMENTE NA MESMA!