terça-feira, 31 de julho de 2012

Sila Tarot: Ayurveda - Medicina Tradicional Indiana



Ayurveda é o nome dado ao conhecimento médico desenvolvido na India há cerca de 7 mil anos, o que faz dela um dos mais antigos sistemas medicinais da humanidade. Ayurveda significa, em sâncrito, ciência (veda) da vida (ayur). Continua a ser a medicina oficial na Índia e tem-se difundido por todo o mundo como uma técnica eficaz de medicina tradicional.

A medicina ayurvédica é conhecida como a mãe da medicina, pois seus princípios e estudos foram a base para, posteriormente, o desenvolvimento da medicina tradicional chinesa, árabe, romana e grega. Houve um intercâmbio de informações com o Japão, que tinha a mesma necessidade dos indianos: criar uma medicina barata para atender às suas populações muito pobres e gigantescas, por essa razão existe muito da medicina japonesa nos conceitos de ayurvédica. As duas desenvolveram técnicas muito eficientes e de baixo custo para o tratamento.

A doença, para a Ayurveda, é muito mais que a manifestação de sintomas desagradáveis ou perigosos à manutenção da vida. A Ayurveda, como ciência integral, considera que a doença inicia-se muito antes de chegar à fase em que ela finalmente pode ser percebida. Assim, pequenos desequilíbrios tendem a aumentar com o passar do tempo, se não forem corrigidos, originando a enfermidade muito antes de podermos percebê-la.



Tradição - Os cinco elementos e os doshas

A Ayurveda baseia-se no sistema filosófico samkhia nos cinco elementos que formam toda a manifestação material do universo.

São eles éter, ar, fogo água e terra. Toda a matéria que existe no universo provém destes 5 elementos, inclusive o corpo humano. (que além da matéria, também é formado por buddhi – discernimento, ahamkara - Ego e manas - mente). De acordo com o Ayurveda, quando algum dos 5 elementos está em desequilíbrio no corpo do indivíduo, inicia-se o processo da doença.


Segundo essa tradição, os seres humanos são influenciados pelos 5 elementos através do dosha. Os doshas são Vata, regido por ar e éter, Pitta, regido por fogo e água, e Kapha, regido por terra e água.


Todas as pessoas possuem os três doshas, mas em diferentes proporções. No momento da nossa concepção a nossa constituição é definido, isto é, os doshas que estão presentes em maior quantidade no nosso organismo. Ao nascermos, tal proporção está em equilíbrio (prakrti), mas com o tempo e a vida desregrada surge o desequilíbrio em um ou mais desses doshas (vikrti), contribuindo para o surgimento e desenvolvimento de doenças.

Para o indivíduo ter o corpo saudável é necessário manter seus tecidos saudáveis e isso é possível por meio da alimentação, que deve ser feita de acordo com o estado actual do paciente, ou seja, de acordo com seu dosha predominante e com os desequilíbrios que ele possa apresentar. Os tecidos que formam o corpo humano são formados a partir dos 5 elementos, que consumimos em forma de alimento. Para o Ayurveda, a saúde de uma pessoa é medida pela força de seu agni (fogo digestivo). Um "bom agni" é capaz de extrair dos alimentos ingeridos os nutrientes necessários para formar tecidos fortes; por outro lado, quando o agni está diminuído ou é irregular (menor capacidade digestiva) a nutrição dos tecidos fica mais pobre, comprometendo a saúde e a integridade estrutural do organismo. Costuma-se ouvir muito que "Somos o que comemos", mas podemos concluir, com o exposto anteriormente, que a medicina indiana vai além disso: "Somos o que conseguimos digerir".



A massagem ayurvédica


Além de se utilizar de alimentação adequada, fitoterapia (plantas), yoga e outras técnicas, a massagem é uma das principais técnicas utilizada pelos médicos e terapeutas ayurvédicos, por ser de baixo custo e fácil aplicação. Surgida na cultura dos Vedas (antiga etnia indiana), não é apenas uma das mais antigas e sim uma das mais completas técnicas naturais para restabelecer o equilíbrio físico e psíquico. Trata-se de uma massagem profundamente relaxante, actuando no campo físico e energético, tendo a função de purificação e manutenção da saúde corporal. Tem como objectivo restaurar o bem-estar físico, mental, energético e emocional.




A massagem ayurvédica age nos sistemas: Linfático (desintoxicando o organismo), circulatório (aumentando a produção dos glóbulos brancos e a nutrição e oxigenação celular) e energético (reequilibrando os chakras e actuando nos sete corpos - desfazendo os bloqueios emocionais). Dessa forma contribuindo na cura das principais doenças.

É importante ressaltar que, para uma massagem ser ayurvédica, deve levar em consideração os doshas do paciente, os seus desequilíbrios e suas características. É uma prática individualizada e específica para cada tipo de pessoa. Não existe apenas uma técnica de massagem na Ayurveda, mas sim diversas, que são feitas com óleos medicados, de acordo com o dosha do indivíduo.





Alegadamente fortalece o imunitário, aumentando a quantidade de glóbulos brancos e desentoxica o organismo, mas não existem evidências.

É indicada como um dos tratamentos para quase todas as doenças, principalmente: Dependencias Quimicas, alergias, stress, fadiga, depressão, fibromialgia, bloqueios emocionais, problemas musculares e de coluna, lembrando que na Ayurveda não se trata a enfermidade, mas sim o indivíduo. Deve ser ministrada com cuidado em gestantes.

Reconhecida pela OMS (Organização Mundial de Saúde) a massagem ayurvédica é utilizada por quase toda população na Índia e está a ser amplamente divulgada no mundo.

Benefícios proporcionados pelo tratamento com a massagem ayurvédica:






Rejuvenescimento, realinhamento das estruturas óssea e muscular, aumento da auto-consciência, fortalecimento do sistema imunitário, aceleração da circulação linfática e consequente desintoxicação do organismo; eliminação de bloqueios, prevenção de doenças, aumento de flexibilidade, reequilíbrio dos chakras, maior mobilidade das articulações e possibilita uma vida mais harmoniosa e feliz.

Sila Tarot: Auriculoterapia - Medicina Tradicional Chinesa




Auriculoterapia
A auriculoterapia é um sistema independente da acupunctura e especialidade dentro da Medicina Chinesa. A aplicação actual da auriculoterapia não se restringe apenas ao tratamento das enfermidades através dos pontos auriculares, este sistema tem-se desenvolvido em relação ao diagnóstico em muitas patologias. Através da auriculoterapia podem ser tratadas cerca de 200 enfermidades, entre as quais estão: enfermidades de carácter funcional, enfermidades de carácter neurótico e psicótico: cefaleias, neurastenia, insónia e dor, etc. A auriculoterapia é provavelmente um dos mais antigos métodos terapêuticos praticados na china.




A auriculoterapia tem constituído a sua própria teoria, por ter na actualidade, métodos independentes para o diagnóstico e tratamento das enfermidades. Os pontos auriculares funcionam como uma memória do histórico patológico das pessoas, por isso o diagnóstico através destes, fornece-nos o desenvolvimento cronológico das enfermidades e a preparação para processos patológicos que ainda não se manifestaram clinicamente. O diagnóstico da auriculoterapia tem valor hoje semiológico muito próximo do diagnóstico através do pulso e da observação da língua na Medicina Tradicional Chinesa.

O pavilhão auricular é considerado uma parte muito importante do corpo humano, por constituir um microsistema, capaz de funcionar como um receptor de sinais de alta especificidade, podendo reflectir todas as mudanças fisiológicas dos órgãos e vísceras, dos quatro membros, do tronco, dos tecidos, etc. Quando se produz uma desarmonia em qualquer parte do corpo humano, este é reflectido na orelha com reacções de carácter e localização diferente, específicos a cada enfermidade em particular, e deixando relações muito estreitas entre os locais reactivos e as partes do organismo implicadas na patologia. As reacções podem ser de diferentes tipos, entre as mais comuns são: mudanças na resistência eléctrica das zonas reactivas específicas, mudanças de coloração, descamações, mudanças morfológicas nessas áreas, eczemas, etc. Todas estas reacções podem aparecer no pavilhão auricular, antes que a enfermidade se manifeste e também, desaparecer depois da cura da enfermidade.

 




Tratamento

O método de tratamento em auriculoterapia tem tido muito desenvolvimento durante estes últimos anos, desde as tradicionais agulhas de acupunctura de dimensões relativamente pequenas e muito finas, ás agulhas intra-dérmicas, á utilização do laser, passando pelas esferas magnéticas e moxabustão até á prática mais utilizada na China que é a colocação de pequenas sementes com adesivo demonstraram resultados excelentes, e são utilizados em conformidade com a necessidade do paciente, pois cada organismo reage de uma forma determinada ao estímulo, cada pessoa é um universo único, todo o tratamento pela auriculoterapia tem como objecto promover o equilíbrio do paciente e assim o seu bem-estar. A auriculoterapia é especialmente indicada quando se necessita que o paciente leve o tratamento para casa, podendo o paciente pressionar as esferas ou semente colocadas nos pontos auriculares, estimulando por pressão e efectivando continuamente o tratamento.





História

Este microsistema já era referido nos textos antigos como o Huang Ti Nei Jing, onde se relata a estreita relação do pavilhão auricular com o resto do corpo.

Em 1973, antropólogos chineses, encontraram nas escavações realizadas na província de Hu Nan, um livro antigo do período Han, escrito em duas partes intituladas “Os onze canais dos braços e das pernas na moxibustão e os onze canais Yin e Yang na moxibustão”. Segundo os especialistas esta obra, deve ser a mais antiga sobre os canais no tratamento com moxibustão, na 2ª parte do livro menciona-se “Os membros, os olhos, a face e a garganta, todas reúnem-se, através de vasos e canais, na orelha”. Outros livros antigos da Dinastia Tang e Ming, também mencionam o uso de pontos na orelha para o tratamento de diversas enfermidades.

Mais recentemente em 1947, o Dr. P. Nogier (francês), publicou alguns trabalhos nos quais expõe a relação existente entre o pavilhão auricular e o resto do organismo, descrevendo inclusivamente, as experiências realizadas com clientes e os óptimos resultados obtidos. Ao que se sabe, ele partiu da observação dos povos do mediterrâneo, que tinham por hábito o uso de pequenas cauterizações na orelha para o tratamento de várias moléstias, conseguindo descobrir uma série de pontos curativos.

Ao estudar esses pontos estabeleceu uma ligação entre a posição destes no pavilhão auricular e aquela ocupada pelo feto pouco antes do nascimento. Estes trabalhos do Dr. Nogier foram publicados em jornais de Xangai, levando os chineses a acelerarem as investigações sobre esta área, criando vários centros de investigação por toda a China.

Desde a década de 80 do século XX até á actualidade foram feitos progressos enormes na auriculoterapia quando em 1982 foi fundado na China o Grupo Nacional de Trabalho em Auriculoterapia.




Em Outubro de 1989, celebrou-se em Pequim (Beijing) o primeiro congresso Internacional de Auriculoterapia, o qual marcou uma nova etapa no desenvolvimento tanto na China como no Mundo da Auriculoterapia.

Neste momento, a Auriculoterapia constitui uma especialidade Universitária, motivo de estudo tanto de médicos formados em Medicina Chinesa como Ocidental.

Muitas têm sido as publicações literárias que têm saído sobre a auriculoterapia por toda a China, aumentando cada vez mais o acumular de conhecimentos e dando um vertiginoso desenvolvimento na auriculoterapia nos últimos 30 anos, na China.

domingo, 29 de julho de 2012

Sila Tarot: Arte - Terapia: Em que consiste?




Definição
A Arte-Terapia distingue-se como método de tratamento para o desenvolvimento pessoal, integrando no contexto psicoterapeutico mediadores artísticos. Tal origina uma relação terapêutica particular, assente na interacção entre o sujeito (criador), o objecto de arte (criação) e o terapeuta (receptor).


O recurso à imaginação, ao simbolismo e a metáforas enriquece e incrementa o processo.
As características referidas facilitam a comunicação, o ensaio de relações objectais e reorganização dos objectos internos, a expressão emocional significativa, o aprofundar do conhecimento interno, libertando a capacidade de pensar e a criatividade.





Arteterapia é um processo terapêutico que se serve do recurso expressivo a fim de conectar os mundos internos e externos do individuo, através da sua simbologia. A Arteterapia é definida, com conceitos semelhantes no que diz respeito à auto-expressão. É a arte livre, unida ao processo terapêutico, que transforma a Arteterapia numa medicina alternativa.





Crescimento pessoal e expressão criativa

A musicalidade interna, a capacidade de se mover, de dançar, de pintar, de modelar e outros actos criativos, são comuns a todos nós. A criatividade é universal pertencendo ao fenómeno humano e não só a alguns seres talentosos.

Fundamentos teóricos e técnicos

De um ponto de vista lato poder-se-á falar de Artes-Terapias, sendo estas intervenções psicoterapeuticas que recorrem aos mediadores: Pintura, Desenho, Modelagem, Escultura, Colagens, Drama e Jogos Dramáticos, Marionetas, Jogo de Areia, Expressão Corporal, Música, Canto, Poesia, Escrita Livre Criativa e Contos.


O entendimento do fenómeno psicológico em Arte-Terapia deverá ter em conta as perspectivas afectiva-relacional, existencial e cognitiva.


A expressão artística é central nesta psicoterapia. Através do objecto de criação temos acesso a informação e registo sobre o que é, acerca de quê e para quê, como e porquê, sentimentos no momento e após, benefícios para o próprio e para os outros, etc. Assim o objecto de arte tem uma função cognitiva, fornecendo ao sujeito informações sobre si próprio e ao Arte-Terapeuta um registo do processo.

 


No entanto o objecto de arte não interessa tanto pelo seu valor informativo, ou mesmo estético, mas sim pelo seu valor como mediador da expressão, como veículo de elaboração e como ensaio do processo criativo. O contexto do processo Arte-terapeutico não é usado para análise. O foco desta situar-se-á na relação terapêutica.

É adoptada em Arte-Terapia uma visão holística considerando que
o todo é maior que a soma das partes.

Na Arte-Terapia o papel do processo criativo na mudança é central, pretende-se fomentar o uso da criatividade, como meio de entendimento do próprio e dos outros e na resolução da problemática existencial. A arteterapia permitem trabalhar entre outras, a auto imagem, a superação de obstáculos, a estimulação da desinibição, o que conduz uma sensação de integração com o mundo, instigando à resolução de conflitos pessoais. Consequentemente, ocorre um aperfeiçoamento na forma de comunicação do sujeito, consigo. A arteterapia incentiva o desenvolvimento harmonioso em busca do seu eu, a construção de um estado emocional saudável, com espaços para o fortalecimento do ego, que permita a re-situação diante dos acontecimentos.

A função do imaginário é fundamental em Arte-Terapia:

a) Para aceder a pensamentos, sentimentos, memórias, aspectos da personalidade e do self, alguns dos quais sem representação mental consciente e carecendo se serem integrados;
b) Para uma mais intensa e profunda compreensão do sentimento ou situação;
c) Para desenvolver a capacidade de ver e agir através de opções criativas, evitando o recurso a uma cognição prematura e limitada.

A experiência artística pode intensificar a expressão de vivências, bem como incrementar a consciencialização do sensorial e do equilíbrio estético. No contexto da Arte-Terapia, a facilitação de tal tomada de consciência pode ser importante para promover a riqueza, a vitalidade e a qualidade de vida. A expressão mediada possibilita também a mobilização de pulsões reprimidas, facilitando assim uma vida psicológica mais livre. Imagens de transformação e mudança, representadas nas criações artísticas, dão expressão à função reparadora, no decurso do processo terapêutico.



“Arte-terapia é uma ciência fundamentada em medicina e arte em geral, que estuda e pratica os meios adequados para aliviar ou curar os indivíduos por meio da expressão da da arte, trazendo á tona uma idéia,
trauma, fobia etc...“
*
Lou de Oliver

Sila Tarot: A Acupuntura! Todas as Respostas!





Introdução

Acupuntura é uma forma de tratamento desenvolvido pelos chineses á milhares de anos. É uma das técnicas que compõem a Medicina Tradicional Chinesa, com sua filosofia taoísta, onde o físico, o psíquico, e o espiritual interagem com todo o universo.


Definição


Baseia-se no estímulo dos pontos específicos, distribuídos pelo corpo em canais ou meridianos. Nesses canais circulam as energias, força Vital que dá vida ao organismo.


Acupuntura é uma técnica de tratamento milenar originária da medicina tradicional oriental, cujo objectivo é a manutenção da saúde, através do estímulo de pontos específicos do corpo.






Terapia, efeitos e tratamento Segundo esta terapia, nosso corpo possui um fluxo de energia (chi), que, ao ser interrompido, interfere no equilíbrio do corpo. Com a perda do equilíbrio, consequentemente, surge a doença.

A palavra "acupuntura" origina-se do latim, sendo que acus significa "agulha" e punctura significa "puncionar". A acupuntura se refere, portanto, à inserção de agulhas através da pele nos tecidos subjacentes, em diferentes profundidades e em pontos estratégicos do corpo para produzir o efeito terapêutico desejado.

O terapeuta trabalha este fluxo de energia vital através da inserção de agulhas em pontos específicos do corpo, com o objectivo de o equilibrar. Estes pontos podem ser estimulados também por pressão ou calor.





Esta terapia complementar tem seus efeitos reconhecidos na medicina ocidental, entretanto, o tratamento tradicional não deve ser substituído por esta sem o conhecimento e consentimento médico. Seus efeitos benéficos actuam de forma complementar e não substitutiva. As pessoas que fazem tratamento médico devem sempre comunicar ao seu médico qualquer que seja o tratamento complementar que estiver a realizar.
Acupuntura promove um equilíbrio geral no organismo, pois nenhuma doença existe isoladamente, sempre está associada a algum desequilíbrio geral. Além do sintoma principal, haverá outros sintomas, mesmo de menor importância, que são reflexos do mesmo desequilíbrio. Que quando tratado correctamente promoverá a cura do paciente como um todo.

Apresenta muitos efeitos positivos sobre a saúde e bem estar, e de forma geral sentem-se efeitos de relaxamento, bem estar, alívio da dor e tensão, etc.


A acupuntura visa o equilíbrio do ser, melhorando o indivíduo como um todo e não provoca efeitos colaterais, sendo uma técnica preventiva e curativa, portanto tendo um vasto campo de actuação nos desequilíbrios psicofísicos.

Dentro das as mais conhecidas estão: As artroses e artrites em geral, dores na coluna, ciática, tendinites, distensões musculares, contusões, cólica neflítica, cólica e constipação intestinal, asma, alergias, enxaqueca e dores de cabeça crônicas, gastrites e distúrbios digestivos, irregularidades menstruais e dimenorréias, resfriados e gripes, sinusites, sequelas de acidente vascular cerebral e outras sequelas neurológicas, stress, depressão e outros distúrbios emocionais.




ACUPUNTURA CAUSA DOR?

A impressão geral é a de que provoca dor porque são introduzidas agulhas na pele, mas contudo, não é verdade. As agulhas usadas de forma mais comum, são muito finas e são introduzidas á superficie da pele com técnicas especias. Algumas pessoas pensam ser doloroso, possivelmente por uma aversão natural à idéia de ter a pele perfurada.


Curiosidades:

- Há relatos da prática da acupuntura na pré-história chinesa. Esta terapia difundiu-se na Europa durante a Idade Média.

- Já existe a aplicação da acupuntura em animais, como por exemplo, cães e gatos.








BREVE HISTÓRICO

A primeira descrição histórica da acupuntura como terapêutica é feita por Ssu Ma Ch'ien no "Shih Chi", 90 AC. O tratamento seria efetuado através da queima de lã de Artemísia, ou "moxa", ou pela punção de abcessos feita com pedras ponteagudas. O "Nei Ching" traz a primeira sistematização de todos os conceitos de saúde existentes no final da era dos "Estados em Guerra" e início da era Han. Surgem os pontos como locais de estímulo, os doze canais e a associação entre canais e órgãos. Posteriormente o "Nan Ching" refina a Medicina de Correspondência Sistemática, definindo as regras e procedimentos que seriam utilizados pela acupuntura até os nossos dias. Somente na era Song surge outra obra importante, o "Da Cheng", que reúne a experiência prática de acupuntura existente nesta época. O "Nan Ching" foi um pouco esquecido como referência básica nos séculos seguintes, a visão sincrética e controversa do "Nei Ching" se estabelecendo como a principal, inclusive tendo sido o que primeiro se conheceu no Ocidente.




A ACUPUNTURA NO OCIDENTE

Notícias sobre uma forma exótica de medicina praticada pelos chineses já chegavam ao Ocidente desde 1255. Padres jesuítas portugueses, ao viverem longos períodos no Japão a partir do século 16, puderam conhecer mais detalhes da forma japonesa de praticar a medicina chinesa. No século 17 começaram os relatos médicos propriamente ditos. O interesse da comunidade médica foi finalmente aceso quando houve a notícia de que um jornalista americano foi tratado com acupuntura, e de que na China a acupuntura era usada como forma analgésica em cirurgias. Várias clínicas de dor crónica passaram a usá-la como terapia, e com o despertar do movimento alternativo, mais e mais pessoas passaram a interessar-se pela acupuntura. Acupuntura é recomendada pela Organização Mundial de Saúde nos cuidados básicos de saúde.


sexta-feira, 27 de julho de 2012

Sila Tarot: Medicinas Alternativas



    A MEDICINA ALTERNATIVA também conhecida por Terapêutica Complementar, Medicina não convencional ou Terapia Natural baseia-se em sistemas de tratamentos/terapias alternativas que não são muito utilizados pelos “médicos convencionais”.
    A Medicina Alternativa inclui todas as práticas terapêuticas e preventivas, bem como os tratamentos que, geralmente, não são reconhecidos pela comunidade médica, uma vez que estes não se coadunam com a medicina convencional. É também conhecida por Medicina Complementar ou Terapia Complementar, podendo ser usada, ou não, desta forma. Algumas práticas de medicina alternativa não têm qualquer explicação científica.



    Segundo pesquisas realizadas, em Portugal, a procura pelas terapias naturais aumentou nos últimos dez anos “levando” o estado português a ponderar na elaboração de uma lei que enquadrasse as actividades das medicinas alternativas, bem como do exercício dos seus profissionais. A Lei nº 45/2003, de 22 de Agosto, faz o enquadramento base das terapêuticas não convencionais, estabelecendo as terapêuticas reconhecidas, bem como da acreditação dos seus profissionais.


    Quanto às medicinas alternativas um Barómetro DN/TSF/Marktest (realizado entre 20 e 23 de Novembro com o recurso a 807 entrevistas a indivíduos de idade igual ou superior aos 18 anos residentes em Portugal Continental, 428 das quais mulheres. O erro da amostra é de 3,5 por cento) revelou que só 15,4% da população inquirida admitiu ter utilizado este tipo de terapêutica e a população de idade compreendida entre os 35 e os 54 são os que mais desejam este tipo de medicina reconhecida.




    São várias as modalidades da medicina alternativa, tais como:
    • Acupunctura
    • Arte terapia
    • Auriculoterapia
    • Ayurveda
    • Biodança
    • Bioenergologia
    • Cromoterapia
    • Florais de Bach
    • Homeopatia
    • Iridologia
    • Magnetoterapia
    • Quiropráxia ou Quiroprática
    • Reflexologia
    • Osteopatia
    • Naturopatia
    • Fitoterapia
    • Medicina Ortomolecular

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Sila Tarot: Fundamentos da Homeopatia




A palavra Homeopatia é oriunda da palavra grega HOMISPATHOS, onde HOMOIS significa semelhante e Pathos sofrimento.


A origem da homeopatia

Os princípios da homeopatia fundaram-se numa idéia muito antiga, formulada por Hipócrates, no século IV A.C. O médico concluiu que existem três maneiras de obter cura :

  • pelos idênticos;
  • pelos contrários;
  • pelos semelhantes;

Em 1796 o médico alemão Christan Friedrich Samuel Hahermann lançava na Europa as bases científicas da terapêutica homepática através do artigo "Ensaio sobre um novo princípio para descobrir o poder curativo das drogas, com algumas alusões até agora empregadas".


O que é Homeopatia
Ë um ramo da Medicina que reconhece a condição da grandeza do ser humano como um processo de equilibrio entre as funções fisiológicas, psiquicas e o meio ambiente.
A Homeopatia trabalha com a possibilidade de tratar o adoecimento com medicamentos que estimulem as defesas do organismo, reforça a sua imunidade promovendo o equilibrio mais adequado aos processos fisiológicos e psíquicos do ser humano.


O que é medicamento Homeopático

Por definição mediamento homepático é toda a substancia vegetal, mineral ou animal que após sofrer um processo de diluição, agitações mecânicas, é capaz de despertar modificações funcionais ou psiquicas no ser humano, modificações estas que caracterizam a acção do medicamento.

Como agem os medicamentos Homeopáticos
Pelo facto dos Medicamentos Homeopáticos serem diluidos em altas proporções, os efeitos terapeuticos observados são explicados por uma forma de energia contida na substancia que permanece armazenada nas moléculas de água onde esta substancia foi diluida. Esta energia, em contacto com o organismo, estimula processos relacionados com o equilibrio do organismo. Um dos fundamentos da Homepatia reside na chamada "LEI DOS SEMELHANTES OU PRINCIPIO DA ANALOGIA": Os Medicamentos Homepatas tem o potencial de reverter ou anular desequilibrios físicos e psiquicos (doenças).

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Sila Tarot: Atitudes para se abrir ao amor, ao sexo e melhorar o seu relacionamento!




O sucesso afetivo é directamente proporcional à confiança que a mulher deposita em si mesma e no seu parceiro. Especialistas mostram o caminho para se amar e cuidar mais, e assim, atrair a pessoa certa ou extrair o melhor, de quem já está ao seu lado.


1 - A confiança é um ingrediente essencial para realizar os seus desejos. Em vez de se concentrar nos medos e obstáculos, foque-se na sua capacidade de amar. Difícil não significa impossível.

2 - A feminilidade expressa-se nos detalhes, como o modo de cruzar as pernas, o modo de mexer no cabelo, o movimento das suas mãos. Observe-se ao espelho: Usa todas as suas armas de sedução? Um rosto muito sério espanta qualquer pessoa, assim como gargalhadas exageradas. Equilíbrio e suavidade nos gestos são características que atraem.




3 - Experimente este exercício: Pela manhã: deite-se de costas, feche os olhos e coloque uma mão sobre a testa e a outra sobre a barriga, massageando o umbigo enquanto respira profundamente. Isso ajuda a lidar com as emoções reprimidas.

4 - Cansaço e stress são inimigos do libido. Se deseja abrir-se para o prazer, comece por relaxar o seu corpo e mente. Um bom sono e exercícios regulares são altamente estimulantes. Para dormir melhor, aromatize o quarto com lavanda, mas nada de exageros.

5 - O sucesso profissional muitas vezes desperta nas mulheres características muito masculinas, como a austeridade, a competitividade e a ambição. A base da nossa sensualidade, está porém, na feminilidade: resgate a meiguice, a doçura e o afecto no trato com o parceiro. Com ele, você é fêmea.





6 - Os contos de fada ensinaram-nos a projectar no outro a idealização do par perfeito. Livre-se do mito do príncipe encantado e aprenda a ver seu parceiro como ele é, com as qualidades e defeitos.

7 - Para os taoistas, existe uma relação directa entre os seios, o coração e os órgãos sexuais. Sente-se com as costas direitas, feche os olhos e massage as mamas e os mamilos até sentir que estão energizados. Respire profundamente e encha-os de amor. A massagem nos seios ativa o libido feminino.

8 - Faz de tudo para manter uma relação por pior que ela seja? O medo de ficar sozinha gera submissão e anula a personalidade. Assim, perderá o encanto... Auto-confiança é sexy.




9 - As rosas vermelhas representam a persistência e a paciência de um relacionamento longo e são muito bem-vindas em tempos difíceis. Mas não espere recebê-las. Plante uma roseira numa data especial para ambos ou encha a casa de pequenos buquês, inclusive no quarto do casal.

10 - Não se force a vestir o que está na moda, mas não combina consigo. Se gosta de uma linha mais romântica, tente apimentar o visual com um salto alto ou acessórios que valorizem os seus atributos. Se é mais informal, pesquise cores, formas e texturas para fazer o tempero, mas sempre no seu estilo! Seja Natural!

11 - Ninguém é perfeito. Ame-se pelo que é...Talvez o seu charme venha exactamente do que é imperfeito...

 



12 - Receita para preparar um sabonete estimulante: Derreta 1 quilo de glicerina em banho-maria e acrescente 25 gotas de óleo essencial de gerânio, 25 gotas de essência patcholi, 15 gotas de limão-taiti e 4 gotas de corante alimentício vermelho. Despeje em formas de plástico. Depois de ficar sólido, corte em fatias. Use no banho e para perfumar o ambiente.

13 - Se os seus relacionamentos anteriores não forma bons, não desperdice a lição e não repita os mesmos erros. Pense que há mais probabilidades de o próximo ser o certo. Pelo menos já sabe o que não deve fazer.

14 - Quando se trata da beleza, pequenos mimos valem de muito. Um novo corte de cabelo, por exemplo, pode garantir muitos olhares, assim como mãos e pés bem cuidados e um bom perfume na dose certa. Aproveite o verão para exalar sensualidade. Isto tanto vale para as solteiras como para as casadas.

15 - Nada é mais sensual do que uma mulher feliz consigo mesma. O que pensa a seu respeito? Como se sente ao pensar assim? E o que faz a partir disso? Pare de se julgar e compreenda-se. Assim poderá mudar, se quiser, renovar-se e também perdoar-se pelos erros do passado.



16 - Massagens são sempre aliadas. A percepção corporal intensifica os estímulos sensuais. Comece tocando-se para depois tocar o outro. Prepare uma sinergia com óleos essenciais: para cada colher (sopa) de gérmen de trigo, use 3 gotas de gerânio, 3 gotas de patchuli e 2 gotas de limão-taiti. Essa combinação, além de hidratar a pele, estimula a produção de estrógeno e a feminilidade.

17 - Domine as suas críticas internas e evite previsões pessimistas como: "Não vai resultar, nem vou tentar". Seja mais optimista, pois sem perceber, cria profecias que acabam por se cumprir. Nós somos o que pensamos.

terça-feira, 17 de julho de 2012

Sila Tarot: Ter Esperança!



Se há um sentimento que alimenta o lado positivo da vida é, sem dúvida, a esperança.


É muito importante acreditar que podemos transformar as nossas vidas, encontrar novas saídas, outras pessoas para amar e sermos amados, outros modos de lidar com as nossas questões, curar as nossas feridas, ter alegrias apesar das diversidades e perdas, concretizar os nossos ideais.





Ter esperança é fundamental para viver. Ela é fonte de força para que possamos dar um sentido à existência e ao futuro, como um caminho onde será possível superar a infelicidade do passado.


A esperança é como uma estrela cujo brilho nos vai guiando, porém sem dissipar a escuridão da vida.


A esperança não espanta os males, mas, de alguma forma misteriosa, ela oferece a fé.










Entretanto, a esperança não deve ser uma alienação da realidade, pois isso nos traria amarguras e decepções, mais cedo ou mais tarde. É irónico, mas às vezes, a esperança em demasia, faz com que acabemos por perder a própria esperança, devido às frustrações vividas.


Como tudo nesta vida possui dois lados, viver de esperanças pode gerar resultados negativos e improdutivos. A fé cega, que não contém nenhuma acção, não nos ajudará a realizar o que aspiramos.


Paralisados, ficaremos á espera que a vida, outra pessoa ou algo externo a nós, se apresentem como solucionadores dos nossos problemas, em vez de assumirmos a responsabilidade pelas nossas vidas.


É necesário vincular a"esperança"a sentimentos como a paciência e prudência, reflectindo para perceber o que posso mudar, para aceitar o que não posso alterar, e para saber esperar até que o tempo me mostre a diferença entre as coisas.


Ter esperança é preencher de vida a vida, mas sem resistir às mudanças e à passagem do tempo.




quinta-feira, 12 de julho de 2012

Sila Tarot: Estratégias para alcançar os seus objectivos!



A imaginação é uma arma muito poderosa. Através dela podemos erguer muralhas intransponíveis ou construir as ferramentas necessárias para as derrubar.

Se quiser superar os seus limites, siga estas dicas e crescerá diante de cada meta que tentar conquistar.


Passos


1 - Apoie-se nas suas qualidades para conseguir o que quer. Uma visão positiva de si próprio, é a melhor condição para superar os impedimentos.

2 - Amplie os seus conhecimentos e desenvolva as suas habilidades. Sempre haverá situações novas com as quais aprender. Poderá fazer isso durante toda a vida.

3 - Adopte uma postura dinâmica, que valorize a mudança e que possa transformar aquilo que observa no seu dia a dia. Não aposte no estático, no imutável, pois a vida está em constante transformação.

4 - Procure desafios que considere possíveis de enfrentar, mas que ao mesmo tempo, exijam um certo esforço. Assim vai-se manter sempre com uma "energia positiva", que se realimentará a cada objectivo atingido.

5 - Nunca diga "eu não consigo". Comece por relativizar tudo o que parecer impossível no primeiro momento e mentalmente repita "eu não posso por enquanto". E comece a preparar-se para mudar o jogo futuro.



6 - Faça todos os dias alguma coisa, por mais pequena que seja, para melhorar as suas possibilidades.

7 - Pense com ousadia e sem preconceitos. Crie o mundo que deseja na sua mente. O sucesso precisa nascer primeiro na sua imaginação.

8 - Fortaleça os seus melhores desejos. Pense positivo. Deixe de lado a crítica inútil e o pessimismo.

9 - Fortaleça a auto-crítica positiva, perguntando-se a partir de uma abordagem optimista: o que eu ganhei, o que eu aprendi, o que eu somei, do que eu me livrei.



Sila Tarot: Falta de animo e motivação - Porquê?




Será que acorda de manhã e não sabe por onde começar, alias nem sente vontade de sair da cama - não é por não saber o que fazer, pois tem na cabeça tudo o que deve ser feito, mas não tem ânimo para nada? Tudo parece sem côr e precisa literalmente de se arrastar para fazer qualquer coisa?


Depressão

Se se sente desanimado por um periodo de mais de seis meses e não consegue mudar mesmo que os amigos e familiares tentem animá-lo, com passeios ou coisas que noutras alturas lhe dariam muita empolgação, significa que está em depressão. A depressão piora, quando nos falta a sensação de que seremos bem sucedidos nas tarefas que "precisamos" de fazer.


Vou explicar melhor: O nosso cérebro é constituído por uma região responsável pelas recompensas. Tudo o que fazemos e que tem boas recompensas, teremos vontade de o fazer novamente. O inverso também é verdadeiro, tudo o que fizermos que der resultados dolorosos, não nos sentiremos impulsionados para o fazer. Parece obvio, não? Tudo o que é bom desejaremos mais, o que for mau negaremos.


Mas a grande subjectividade do ser humano complica tudo, pois muitas vezes não nos, reservamos ao direito de não gostar de algo, por isso não o negamos, resultado por vezes de baixa auto-estima. Se teoricamente o resultado final for positivo não deveríamos desejar essa actividade? Não, porque no fundo quando está em depressão, não foca o resultado final, ou seja que a sua vida será facilitada ao terminar uma tarefa. Ao invés disso foca-se no processo, ou seja nas dificuldades para as fazer. A mente da pessoa em depressão não consegue pensar a médio e longo prazo, não consegue sequer imaginar a maravilhosa sensação de "missão cumprida" ao terminar qualquer actividade. O prazer do reconhecimento. Por vezes até sentimos prazer em actividades que aparentemente, nem nos dariam prazer, mas que são instintivas e decorrem da necessidade inata de sobrevivência.







Porque algumas pessoas perdem a capacidade de sentir prazer na vida?


Para uma grande maioria de pessoas é porque tiveram experiências destruidoras tão intensas e que deixaram marcas tão profundas, que parece que o cérebro "aprendeu" a pensar que nada adianta e que não tem nenhuma saída - eles serão vencidos, nunca vencedores. Em conjunto ou decorrente da Depressão, vem a falta ou baixa auto- estima, que decorre desses processos de sofrimento, levando assim a estados depressivos, tendo como consequência a falta de ânimo de se sentir prazer na vida.





Como vencer o desânimo e a falta de motivação?


Não é uma tarefa fácil pois este conteúdo é algo que existe na sua memória mais profunda (inconsciente), a qual não tem acesso no dia a dia, e mesmo que as identifique, muitas vezes não são associadas a estes acontecimentos do passado, com os comportamentos e emoções actuais.


 
Identificar quais foram as informações destruidoras que o seu cérebro recebeu e não processou, mas que vieram arrastadas para a sua realidade actual, que já não é a mesma. Uma forma de o conseguir fazer é através do olhar treinado de uma pessoa que está fora desta dinâmica, ou seja um psicoterapeuta. O segundo passo será a substituição desta informação destrutiva por outras, agora verdadeiras. Com certeza terá a sua via de volta, assim como a sua vontade de viver.

Mas lembre-se que quando está em depressão, é quase impossível realizar estas mudanças cognitivas sozinho.