terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Sila Tarot: Simbologia e Instrumentos nos Rituais!


O círculo, riscado no solo, é um dos símbolos da religião wicca, servindo para evocar e preservar o poder mágico, e para dar proteção. Muitos outros símbolos participam dos seus rituais, entre eles o pentagrama ( a estrela de cinco pontas dentro de um círculo, indicando homem equilibrado e protegido),o tridente (símbolo sagrado de três falos), o triângulo(a magia do número três) ou o olho de Hórus (proteção espiritual, clarividência).

 
Já nas ferramentas de trabalho de uma wicca, não podem faltar a vassoura (de palha ou de ervas aromáticas, que servem para a limpeza energética), a varinha (feita de galho de uma árvore, projeta a energia da pessoa), o caldeirão (simboliza o útero, o local onde as coisas se transformam) ou o punhal (faca ritualística com amplas funções, como cortar forças negativas e direcionar energias).
 
 

 
Sobre o altar invariavelmente estão representados os quatro antigos e místicos elementos (água, fogo, ar e terra), através de um cálice contendo vinho ou água, de velas, incenso e fragrâncias, cristais e pedras.




Confirmando a crença popular, o gato é o animal preferido da wicca, que com ele compartilha de uma sensibilidade aguçada, de um raro espírito de independência.

 
Há várias maneiras de simbolizar o Deus e a Deusa; um girassol para o Deus e um copo de leite para a Deusa, o Sol e a Lua, flores ou frutas femininas e masculinas.
 
Se Gostou do que Leu, clique G+1
 

Sila Tarot: Iniciação á Wicca

 

Nome mágico

Com certeza já deve ter-se perguntado do porque os pagãos se dão nomes e também, dão nomes aos seus instrumentos. Fazemos isso, não por um simples capricho. Tudo tem uma resposta. O nome ou simplesmente o "mote" trazem consigo uma vibração que ajuda o Pagão a conectar-se com as energias daquele nome.

Por exemplo, se antes de se adoptar um nome, fizermos o estudo numerológico desse nome, pode usar um nome que carregue a força de um determinado número que necessita ou quer. Agora, se não quiser ter muito trabalho com cálculos, pode adotar um nome de uma Deidade, que admire por ex.. Desta forma, poderá receber algumas das características da Deidade. Escolhida, atente-se para o fato, de que, se no método da numerologia teria o trabalho de fazer cálculos, neste último método, terá de pesquisar a fundo a tal Deidade para evitar excesso ou possível falta de algo. Ou ainda, adoptar um simples nome que indica diretamente a característica que quer. Mais adiante listarei algumas sugestões de nomes com os seus respectivos significados. E por último, poderá criar um nome sem se preocupar com os aspectos numerológicos, característicos de determinada Deidade. Neste caso, poderá fazer, através das suas próprias atitudes com que ele se torne um nome de poder.

É importante ter em mente que além do nome escolhido trazer as características que deseja, deve estar em harmonia com o nome escolhido. Não se batize perante os Deuses com um nome pelo simples fato de ter sido usado por um grande Deus. Sinta se realmente esse nome combina consigo. Este nome ficará "anotado" para sempre.

Outra coisa importante, o nome é um caminho para que fique mais próximo da Deusa e com o Deus. Sem dúvida, escolher o próprio nome mágico é uma tarefa difícil, porém excitante. E nunca se esqueça...as palavras trazem consigo PODER...o nome é uma palavra e portanto, carregará este poder para sempre.

Depois de ter encontrado o seu nome mágico, deve fazer um ritual (preferencialmente escrito por si) para se apresentar perante os Deuses (Deusa e Deus). Neste ritual, deverá queimar um bom incenso, velas claras e uma música suave. Celebre este ritual criado por si como se fosse uma festa, o que o é, visto que está a nascer dentro da casa da Deusa e do Deus. A partir do momento em que gritar para Eles e para os 4 ventos o seu nome, nasce para uma nova vida.

Após apresentar-se para a Deusa e para o Deus, dê-lhes graças e peça que eles o reconheçam pelo nome dado. Após o pedido, pare em silêncio e faça uma viagem interior. Deixe a sua imaginação levar o ritual. Se quiser dê um presente. Terminado o seu ritual, se desejar, faça uma reunião com os seus amigos para comemorar o seu nascimento.


O Poder do Nome


segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Sila Tarot: Regras da Magia Wicca


 
Antes de praticar qualquer tipo de magia, nunca se esqueça estas dez regras:

1- UTILIZAR O CÍRCULO DE PROTEÇÃO;

2- NÃO PENSAR NEGATIVAMENTE DURANTE A MAGIA;

3- NÃO PREJUDICAR NINGUÉM;

4- SABER LIDAR COM OS ANJOS E ESPÍRITOS;

5- SABER O CONTEÚDO DA MAGIA;

6- QUEIMAR O INCENSO ATÉ AO FIM;

7- NÃO SOPRAR AS VELAS PARA APAGAR;

8- NÃO COMEÇAR NADA NA LUA MINGUANTE;

9- ECONOMIZAR AS ERVAS AO MÁXIMO;

10- O PODER VEM DE DENTRO DE SI;.

O pensamento mágico requer a intenção certa para influir positivamente nas circunstâncias e tornar o encantamento eficiente. O verdadeiro wicca, utiliza a sua arte até nas situações banais do dia-a-dia, na rua, no shopping ou no seu trabalho; sem perder de vista, a fronteira, onde começa a liberdade do outro.
 

 

Lei Tríplice

É comum os wiccans dizerem frases, do tipo: “faz o que quiseres, se for para o bem” e outras frases, que ouvidas ou lidas por pessoas leigas em Wicca, podem ser mal interpretadas e podem levar estes leigos a pensar que a nossa religião não tem qualquer tipo de controle, pois “Tudo é Permitido!”, o que sabemos que não é verdade!

A verdade é que temos a Lei Tríplice, a única Lei Wiccan, que na verdade é a mais completa, das 200.000 que poderiam existir.

Esta Lei baseia-se no princípio de que tudo o que fizermos retornará para nós (aquele que pratica o ato) 3 vezes maior do que fizemos inicialmente.

Veja, se desejarmos, por exemplo, que uma determinada pessoa caia e parta o nariz, pode ter certeza que mesmo demorando este desejo inicial retornará 3 vezes maior fazendo com que (quem desejou) caia, quebre o nariz, os braços e a cabeça!

É claro que isto é apenas um exemplo, mas acho que serve para entender o significado da Lei Tríplice.

Devemos tomar muito cuidado com tudo o que fazemos na Wicca, pois o que pensamos estar certo, pode voltar como uma bomba sobre nós.

Muitas vezes pode interferir, sem saber, na vida de uma pessoa ou no curso natural das coisas ao seu redor. Esta interferência pode ser ruim para o caminhar natural das coisas ou pessoas.

Já parou para pensar que as pessoas têm o seu livre arbítrio para fazer ou deixar de fazer o que bem entenderem?

Antes de ajudar uma pessoa que se encontra enferma numa maca de hospital, precisa de ter o consentimento dela, pois a SUA vontade de que ela melhore e saia do hospital pode ser contrária à da pessoa que quer mais é morrer, porque não vê mais sentido em nada!


O mesmo se aplica àquelas pessoas que por amor ou loucura, não sei, quer “amarrar”, ou seja, obrigar uma pessoa, que nem sabe que ela existe, ficar de “4”, perdidamente apaixonado e cego de amores...Acha isto certo? Acho que não. Pior ainda, quando estas pessoas loucas de amor decidem fazer feitiços mediante o uso de energias e procedimentos mirabolantes para conseguirem o que querem! E Conseguem!!!!!! Não é novidade nenhuma ouvirmos casos de casamentos desfeitos e tragédias por causa destas ações. Com certeza, o troco chegará, cedo ou tarde, mas chegará!

Para estas pessoas, um recado: CUIDADO!!!

Claudiney Pietro, em seu livro “Wicca – Ritos e Mistérios da bruxaria moderna”, diz o seguinte:

“Quando interferimos no livre arbítrio de uma pessoa estamos a realizar um ato negativo contra a pessoa e contra nós mesmos. Quando um Bruxo faz isso, está a trabalhar com a Baixa Magia, e ele pagará caro, pois o Universo retribui tudo o que emitimos aos outros numa escala de >3.”

Tenha em mente: NO UNIVERSO HÁ A FAMOSA LEI DO REFLEXO, OU SEJA, TUDO QUE FAZ, VOLTA PARA SI E MUITO MAIS FORTE! Ponto final e não discutamos mais sobre esta questão.


Claudiney, prossegue afirmando que os feitiços são parte integrante do núcleo operacional da Wicca. Este feitiço é colocado pelo autor como sendo “um conjunto de técnicas e conhecimentos específicos que quando colocados em prática, enviam uma projeção mental ao Universo”...”Um feitiço age DIRETAMENTE com a natureza”... “Tudo na natureza é vivo e possui energias específicas acumuladas”...”quando canalizadas corretamente, passam à agir em benefício daqueles que sabem utilizá-las”.

É agir em consciência quando usar as suas energias nos seus ritos. Tenha em mente que apesar de muitas vezes esquecermos este detalhe, NÃO SOMOS SENHORES DA MAGIA, DAS PESSOAS E DAS SITUAÇÕES!

Scott Cunningham no seu livro Guia Essencial da Bruxa Solitária dá algumas dicas de como se deve utilizar bem o seu poder evitando assim, ser punido por seu mau uso.


1. O Poder não deve ser usado para gerar danos, males ou para controlar os outros. (Se surgir necessidade para tais atos, o Poder deverá ser usado APENAS para proteger a sua vida ou de outros);

2. O Poder só deve ser utilizado conforme as necessidades;

3. O Poder pode ser utilizado em seu benefício, desde que ao agir não prejudique ninguém;

4. Não é sábio aceitar dinheiro para utilizar o Poder, pois ele rapidamente controla o que o recebe. Não seja como os de outras religiões;

5. Não utilize o Poder por motivo de orgulho, pois isto desvaloriza os mistérios da Wicca e da magia;

6. Lembre-se sempre de que o Poder é um Dom sagrado da Deusa e do Deus, e não deve JAMAIS ser mal usado ou abusado;

Deixo uma dica: Antes de agir em favor ou contra algo ou alguém, pare, reflita em cada uma destas dicas de Scott Cunningham e veja se não fere nenhuma. Se estiver tudo certo, prossiga!


Se Gostou do que Leu, clique G+1


domingo, 24 de fevereiro de 2013

Sila Tarot: Conhecer a Wicca - Parte 2



A religião wiccaniana é formada por várias tradições e vertentes (espécie de seitas) como a Gardneriana, Alexandrina, Diânica, Tânica, Georgiana, Tradicionalista ética e outras. Várias dessas tradições foram formadas e introduzidas nos anos 60, e, embora seus rituais, costumes, ciclos místicos e simbolismos possam ser diferentes um dos outros, todas se apoiam nos princípios comuns da lei da Arte Wicca.

O dogma principal da Arte Wicca é o Conselho Wiccaniano, um código moral simples e benevolente: SEM PREJUDICAR NINGUÉM, REALIZE A SUA VONTADE. Ou, em outras palavras, é livre para fazer o que quiser, desde que, não prejudique alguém - nem mesmo a si próprio. (O Conselho Wiccaniano é extremamente importante e não deve ser esquecido na realização de qualquer encantamento ou ritual mágico, especialmente naqueles que podem ser considerados como não-éticos ou de natureza manipuladora.)

A Lei Tripla ( ou Lei de Três ) é uma lei kármica de retribuição tripla que se aplica sempre que faz alguma coisa , seja ela boa ou má. Não que seja "castigado" por um ato mau, porém, quando envia uma energia, o curso natural dela é voltar si. Assim, caso envie algo de negativo, essa força fará o seu caminho, fortifica-se (X3) e retorna a si.

Os seguidores da Religião Wicca são chamados de Wiccanianos, Wiccanos, Wiccans ou Bruxos. A palavra Bruxo (a) aplica-se (ou ao menos deveria ser (aplicada APENAS) aos representantes da Arte. A palavra WARLOCK que significa "aquele que rompe o juramento" é usada para apontar traidores da Grande Mãe.

Como a Arte Wicca é uma religião orientada para a Natureza, a maioria dos seus membros está envolvida de uma maneira ou de outra com movimentos ecológicos e com reivindicações ambientais atuais.

Muitos Wiccans usam um ou mais nomes secretos (também conhecidos como nomes mágicos, ou nomes de iniciação) para significar o renascimento espiritual e uma nova vida dentro da Arte.

Os wiccanianos não aceitam o conceito arbitrário do pecado original ou do mal absoluto, e não acreditam em céu ou inferno. Eles crêem que quando morremos, vamos à Terra de Verão (ou Terra da Juventude Eterna), onde recobramos as nossas forças e para nos tornarmos jovens novamente.

Os bruxos não praticam qualquer forma de baixa magia, magia negra ou "mal". Não cultuam nenhum diabo, demónio ou qualquer entidade do mal, e não tentam converter membros de outras fés ao Paganismo. Respeitam todas as religiões e acham que a pessoa deve ouvir o "chamado da Deusa" e desejar verdadeiramente, dentro do seu coração, sem qualquer influência externa ou proselitismo, seguir o caminho wiccano.


Princípios da Wicca

Aqui eu mostro os 13 princípios wiccanos que nós bruxas(os) devemos seguir:

1- Praticamos rituais para nos colocarmos em harmonia com o ritmo natural das forças naturais, marcadas pelas fases da lua, e das estações do ano.

2- Nós temos consciência de que a nossa inteligência nos outorga uma responsabilidade única face ao nosso ambiente. Pretendemos viver em harmonia com a natureza, num equilíbrio ecológico e respeitando a vida dentro de um conceito evolutivo.

3- Reconhecemos um poder muito maior que o detectado pelas pessoas "normais". Sendo tão forte, é as vezes denominado sobrenatural, mas nós o vemos como parte de algo que pode ser alcançado por todos.

4- Cremos que o poder criativo do universo manifesta-se através de polaridades como masculino e feminino e que esse mesmo poder reside em todas as pessoas e opera mediante a interação do masculino e feminino. Valorizamos os dois iguais, sabendo que cada um é o suporte do outro. Valorizamos o sexo como prazer, como o símbolo e manifestação da vida e como um das fontes de energia utilizada nas praticas mágicas e em adoração religiosa.

5- Reconhecemos tanto o mundo externo como o interno ou psíquico, as vezes conhecido como o mundo espiritual, ou Inconsciente Coletivo, ou os Planos Interiores, etc; vendo na interação destas dimensões a base para os fenómenos paranormais e os exercícios mágicos. Prestamos igual atenção ás duas dimensões, considerando ambas necessárias para a nossa realização.

6- Não reconhecemos hierarquia autoritária, mas sim honramos aos que ensinam, respeitamos aqueles que compartilham os seus conhecimentos e sabedoria e apreciamos aos que valentemente se dedicam a ser mestre e professores.

7- Consideramos que a religião, a magia e a sabedoria nos unem na nossa forma de contemplar e viver dentro do mundo e de identificarmos esta filosofia e a visão mundial como Bruxaria, o caminho dos Wiccans.


8- O chamar-se "bruxa(o)" não constitui ser bruxa(o) tão pouco o faz a herança em si, nem a coleção de títulos, graus e iniciação. Uma bruxa(o) intenta controlar as forças vitais dentro de si mesmo a fim de viver sabiamente, em harmonia com a natureza e sem prejudicar ninguém.

9- Afirmamos nossa crença ao longo da vida, no progresso, na evolução e no desenvolver do caminho, os quais dão um significado ao universo conhecido por mais, e ao nosso papel dentro dele.

10- A nossa única querela contra o cristianismo ou contra qualquer religião ou filosofia reside no fato da liberdade dos demais e suprimidas outras praticas e crenças religiosas.

11- Como bruxas(os) não estamos envolvidos em debates sobre historia da arte, as origens dos diversos termos, a legitimidade de vários aspectos de diferentes tradições, interessado-nos unicamente pelo nosso presente e futuro.

12- Não aceitamos o conceito de mal absoluto, nem adorarmos nenhuma entidade conhecida como Satanás ou Diabo, tal como define a tradição cristã. Não buscamos o poder através do sofrimento dos demais, nem permitimos que se obtenha algum beneficio pessoal por tais meios.

13- Cremos que devemos buscar dentro da natureza o necessário para a nossa saúde e bem-estar.
 

Se Gostou do que Leu, Clique G+1


sábado, 23 de fevereiro de 2013

Sila Tarot: Conhecer a Wicca - Parte 1


Os praticantes acreditam que já é tempo de começar a eliminar os preconceitos seculares e as discriminações perpetuadas por ignorância e incompreensão.
 
Aqui descrevo como é constituída a Religião Wicca:
 
Não temos um livro como, por exemplo, a Bíblia. Os nossos conhecimentos são transmitidos via oral e ninguém se torna wicca de uma hora para a outra. Algumas pessoas vêm a wicca como um movimento feminista, mas não é. Praticamos uma religião da natureza, e o nosso objetivo maior é a elevação espiritual.
 
Wicca (nome alternativo para a arte da feitiçaria moderna) é uma religião de natureza xamanística, positiva, com duas deidades maiores reverenciadas e adoradas nos seus ritos: A Deusa (o aspecto feminino e deidade ligada à antiga Deusa Mãe em seu aspecto triplo de Virgem, Mãe e Anciã.) e o seu consorte, o Deus Cornífero (o aspecto masculino). Os seus nomes variam de uma tradição wiccaniana para outra, e algumas utilizam-se de utros panteões para representar as várias facetas e estados de ambos os Deuses.
 
Frequentemente, Wicca inclui a prática de várias formas de Alta Magia (geralmente com propósitos de cura psíquica ou física, neutralização de negatividade e crescimento espiritual) e ritos (rituais) para a harmonia pessoal, paralelamente com o ritmo natural das forças da vida, marcadas pelas fases da lua e pelas quatro estações do ano.
 
Wicca (que também é conhecida como "Arte dos Sábios", ou, muitas vezes, somente como "A Arte") é considerada por muitos uma religião panteísta, politeísta e faz parte de um ressurgimento atual do paganismo, ou movimento neopagão, como muitos preferem chamar.


As Vertentes Wiccanas

A vertente Coven, é como se fosse uma família, uma célula com no máximo 13 pessoas que permanecem ligadas energeticamente. Os seus objetivos, como os da maioria das religiões, são reconectar o homem com o cosmo, com Deus, melhorar a situação de vida das pessoas, as condições planetárias, promover a paz, a harmonia. Os Esbás são reuniões rotineiras dos membros do Coven, e servem para discutir os encantamentos, para a troca de conhecimentos, de ideias, para estudos e discussões das atividades do grupo.

 A maioria dos pagãos parece concordar em comum, com várias destas crenças sustentadas:
 
1 - A divindade é imanente ou interna, bem como transcendente ou externa. Isso é expresso com frequência nas frases: "Tu és Deus" e "Tu és Deusa". Isso pretende representar que os Deuses tanto estão no Universo, no Planeta, quanto dentro de cada um de nós. Nós somos manifestações dos Deuses.
 
2 - Uma multiplicidade de deuses e deusas, como deidades individuais e como facetas dos dois Aspectos Divinos.
 
3 - Amor e respeito pela Natureza como algo divino por direito próprio fazem da consciencialização ecológica e dessa atividade uma obrigação religiosa.
 
4 - Descontentamento com as organizações religiosas monolíticas e desconfiança de supostos messias e gurus.
 
5 - A convicção de que os seres foram feitos para viver vidas repletas de Amor, alegria, prazer e humor. A concepção de "pecado original" é não existente.


6 - O direito de agir como bem quiser, desde que isso não prejudique a ninguém.

7 - O conhecimento de que, com treino e intenção apropriados, as mentes e os corações humanos são totalmente capazes de realizar a magia.

8 - A importância da consciencialização e celebração dos ciclos solar e lunar e também de outros, nas nossas vidas.

9 - Uma grande fé na capacidade das pessoas resolverem os seus próprios problemas e dificuldades.

10 - Um total compromisso com o crescimento, evolução e equilíbrio pessoal e universal. Espera-se que o pagão realize esforços intermitentes nessas direções.
 
 
Se Gostou do que Leu, Clique G+1
 
 

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Sila Tarot: Como chamar a Prosperidade?


    Como Fazer:
     
    Como muitos rituais utilizados para proteção e limpeza de cargas energéticas negativas, aqui sugiro um banho ritualizado para ajudar a trazer até si, a prosperidade que tanto merece. Relembro que nunca se joga a água pela cabeça, apenas do pescoço para baixo.

Ingredientes:

07 pedaços de canela em pau (7 representa os dias da semana).
07 folhas de louro.
07 casca de laranja. (casca da mesma laranja, corta 7 pedaços)

07 Petalas de Rosas
    Ferva 02 litros de água com os ingredientes acima. Fazer este banho em dia de lua cheia, aumenta a sua potencialidade. É bom fazer este banho também às quintas-feiras, dia do planeta Júpiter que traz abundância e expansão. Fazer também para surgirem oportunidades profissionais, abertura de bons negócios, quando abrir um negócio ou algo esteja bloqueado.

    Se Gostou do que Leu, clique G+1

Sila Tarot: Amuletos Naturais



Dois pedacinhos de canela colocados em forma de cruz na porta ou atrás da escrivaninha formam um bom amuleto protetor para o seu local de trabalho. A canela é consagrada ao Sol e este afasta as trevas.

O Alho afasta energias negativas do ambiente.


Um copo com sal e água, absorve os maus fluidos, promovendo boas energias.


Amuletos doados pela natureza:


Se encontrar uma concha, ou se uma flor ou folha chegar a si trazida pelo vento, saiba que foi agraciado com um presente da Natureza. Não jogue fora esses amuletos, mantenha-os em seu poder, guarde-os sempre consigo. Descubra, nas formas do seu presente, as milagrosas harmonias da criação e sinta-se como parte da energia cósmica.



Se Gostou do que Leu, clique G+1

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Sila Tarot: Como Proteger a sua Casa!


- 1 Punhado de Sal Grosso
- 1 Pedra de Anil*
- 1 Borrifador
- 1 Litro de Água

Na segunda Lua Cheia do mês coloque num1 litro de água, o sal e a pedra de anil. Deixe a descansar até se dissolver tudo na água. Quando isso acontecer coloque o líquido no borrifador e vá borrifando em forma de cruz, por todas as divisões da casa, dizendo:

"Com este sal eu cruzo a minha casa, e nem um mal seja de vivos ou de mortos poderá ultrapassar esta barreira protetora".

Repita este procedimento (encantamento) em todas as divisões da sua casa!

 

Obs: Repare que a divisão fica com uma espécie de luz branca e iluminado e este é o "manto protetor". A sua casa e os seus moradores estão protegidos de todas as formas de energias invasoras.

 
 * A pedra de Anil, está á venda em Lojas de Produtos Isotéricos
 
Se Gostou do que Leu, clique G+1
 

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Sila Tarot: Como Limpar as Energias do Lar?


 
Esta limpeza é indicada para "apagar" registos da memória energética dos ambientes. Faça sempre que tiver acontecido algo desagradável na casa como uma doença, um desentendimento ou simplesmente porque acha o ambiente pesado. Se vai mudar de casa, faça esta limpeza para apagar as memórias energéticas dos antigos donos. Com isso a energia do imóvel irá renovar-se e após a limpeza, será como se fosse o primeiro morador.

MATERIAIS:

1 limão (9 pedaços da casca verde do limão)

1 copo com água;

1 borrifador

Obs: O tamanho da casa altera a quantidade de água para maior ou menor quantidade, mas independente disso, usa-se apenas 1 limão.

MODO DE FAZER:

1) Descascar o limão todo. Mesmo que as tiras se partam, não tem importância. Continue a descascar até ao fim.

2) No final, as tiras da casca devem ser de 9 pedaços, o que exige que se partam algumas para atingir esse total. Coloque as 9 tiras da casca dentro da água, e deixe de molho durante a noite;

3) Após esse tempo, a água com sumo é posta no borrifador (e as cascas podem ir para o lixo)

4) Comece pela entrada da casa, borrifar o chão todo e rodapés, menos os da casa de banho.

5) Não é preciso afastar móveis nem tapetes.

6) Não mancha parede nem tecidos.


Se Gostou do que Leu, clique G+1


domingo, 17 de fevereiro de 2013

Sila Tarot: As Energias da sua casa!

 
 
O padrão vibratório de uma casa tem relação direta com a energia e o estado de espírito dos seus moradores. Tudo o que pensamos e fazemos, as escolhas, os sentimentos, sejam bons ou maus, são energias. O resultado reflete-se nos ambientes, pessoas e situações.

O corpo é nossa primeira morada e a nossa casa, a sua extensão. É ela que nos acolhe, protege e guarda a nossa história. Da mesma forma que limpamos, nutrimos e cuidamos da vibração do nosso corpo, devemos estender esses cuidados e carinhos ao lar.

Mais que escolher o imóvel e enfeitá-lo com móveis e objetos - muitas vezes guiados apenas por moda ou pura praticidade - a elaboração da atmosfera de um ambiente é importante porque reflete a personalidade do dono, dando pistas sobre os seus gostos, estilo de vida, história e sonhos.

 

Há quem acredite que, colocando cristais, sinos de vento, fontes, espelhos, feng shui, é possível atrair bons fluídos e equilíbrio para dentro de casa.
Mas, é muito pouco, pois a personalidade de um ambiente vai além.

Ela é conseguida dia após dia, não apenas com técnicas, mas com pequenos atos de carinho e com muita boa energia.

 
 

Além de atrair bons fluídos para nosso lar, temos todas as condições de os criar no interior do próprio ambiente. O conjunto de pensamentos, sentimentos, estado de espírito, condições físicas, anseios e intenções dos moradores fica impregnado no ambiente, criando o que se chama de egrégora.

Com certeza,que já esteve numa residência ou ambiente onde sentiu um profundo bem-estar e sensação de acolhimento, independentemente da beleza, luxo ou qualquer outro fator externo. Essa atmosfera agradável, sem dúvida, era dada principalmente pelo estado de espírito positivo dos seus moradores.


Infelizmente, hoje em dia, é muito mais corriqueiro entrarmos em ambientes que nos oprimem ou nos dão a sensação de falta de paz e, às vezes, até de sujidade, mesmo que a casa esteja limpa. A vontade que temos é de irmos embora rapidamente, ainda que sejamos bem tratados.

O que poucos sabem é que as paredes, objetos e a atmosfera da casa têm memória e registam as energias de todos os acontecimentos e do estado de espírito dos seus moradores.


Por isso, quando pensar na saúde energética da sua casa, tome a iniciativa básica e vital de impregnar a sua atmosfera apenas com bons pensamentos e muita fé. Evite conflitos e discussões desnecessárias.

 
Repare no seu tom de voz: nada de gritos e formas agressivas de expressão. Não bata portas e tente assumir gestos harmoniosos, cuidando dos seus objetos e entes queridos com carinho.


Não pense mal dos outros. Pragas, nem pensar!

Selecione muito bem as pessoas que vão frequentar a sua casa. Festas, brindes e comemorações alegres são bem-vindas porque trazem alegria e muita energia, mas cuidado com os excessos. Nada de bebedeiras e muito menos uso de drogas, que atraem más energias. Se nutre uma mágoa profunda ou mesmo um ódio forte por alguém, procure ajuda para limpar essas energias densas do seu coração. Lembre-se que a sua casa também pode estar contaminada. Aprenda a fazer escolhas e determine o que quer para a sua vida e ambiente onde mora. Alegria, amor, paz, prosperidade, saúde, amizades, beleza já estão bons para o começo, certo?

Reflita como vive em sua casa, no que pensa, como anda o seu humor e reclamações do seu dia-a-dia. Tudo isto interfere no seu astral. Coloque os pensamentos em dia e utilize flores naturais em sua casa.


Se Gostou do que Leu, clique G+1

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Sila Tarot: O Ritual das Velas na Magia!



Na Arte, as Velas são usadas para aumentar o poder de um encantamento, ou para influenciar um poder em particular. Elas simbolizam a transformação da vontade em energia, elevando-a ao Plano Astral. Pode reparar que enquanto a Vela é consumida, vai desaparecendo, evaporando-se.

As velas são por vezes usadas juntamente com ervas e outros auxiliares dos encantamentos, todos apontando para um objetivo comum. Escolha a vela correspondente ao seu objetivo e com o seu Athame (faca), grave nela os seus desejos. Para fazer isso pode usar siglas, símbolos, abreviações e tudo o mais que lhe convier. Depois use um óleo apropriado para ungir a vela, qualquer óleo que tenha o objetivo em comum com o do encantamento.

Não unte o pavio da vela.

Para untar uma vela, use a Mão do Poder, é a mão que mais usa, esfregue a vela com movimentos circulares ou em espiral. Se deseja que alguma coisa venha até si, esfregue a vela da ponta para a base. Se desejar remover alguma coisa, esfregue da base para a ponta. Role a vela sobre as ervas correspondentes e finalmente coloque-a no castiçal.

Suspenda as mãos ao lado da vela, e mentalmente envie os seus desejos e acenda a vela dizendo:

"Vela de poder, Vela de força, crie os meus desejos aqui, nesta noite. Poder flua do fogo desta Vela. Atenda o desejo do meu coração, as minhas palavras têm força, a vitória esta ganha. Assim digo, Assim seja! Este encantamento está feito".

A Vela nunca pode ser apagada, deve arder até ao fim. É normal que uma parte dela evapore totalmente, os resíduos restantes que sobram (a cera), retire-os com o Athame, cuidadosamente e jogue-os em Água corrente (mar/rio) ou aos pés de uma Árvore, ou num jardim.

Se Gostou do que Leu, clique G+1

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Sila Tarot: Ser Bruxa! Maldade ou Bondade?



Uma Bruxa é geralmente retratada no imaginário popular como uma mulher velha e encarquilhada, exímia e contumaz manipuladora de Magia Negra e dotada de uma gargalhada terrível. É inegável a conexão entre esta visão e a visão da Hag ou Crone dos anglófonos. É também muito popularizada a imagem da bruxa como a de uma mulher sentada sobre uma vassoura voadora, ou com a mesma passada por entre as pernas, andando aos saltitos. Alguns autores utilizam o termo, contudo, para designar as mulheres sábias detentoras de conhecimentos sobre a natureza e, possivelmente, magia.

Algumas bruxas históricas adquiriram alguma notoriedade, como é o caso chamadas Bruxas de Salem, a Bruxa de Evóra e Dame Alice Kytler (bruxa inglesa). São também bastante populares na literatura de ficção, como nos livros da popular série Harry Potter, nos livros de Marion Zimmer Bradley (autora de As Brumas de Avalon, que versam sobre uma vasta comunidade de bruxos e bruxas cuja maioria prefere evitar a magia negra, ou a trilogia sobre as bruxas Mayfair, de Anne Rice.

As bruxas foram implacavelmente caçadas durante a inquisição na Idade Média. Um dos métodos usados pelos inquisidores para identificar uma bruxa nos julgamentos do Santo Ofício consistia na comparação do peso da ré com o peso de uma Bíblia gigante. Aquelas que fossem mais leves eram consideradas bruxas, pois dizia-se que as bruxas adquiriam uma leveza sobrenatural. Se relatassem a oração do Credo da Igreja, também se podiam safar nas penas da Inquisição. Frequentemente as bruxas são associadas a gatos pretos, que dentre as Bruxas Tradicionais são os chamados Puckerel, muitas vezes tidos como espíritos guardiões da Arte da Bruxas, que habitam o corpo de um animal. Estes costumam ser designados na literatura como Familiares.


Diziam que as bruxas voavam em vassouras a noite e principalmente em noites de lua cheia, que faziam feitiços e transformavam as pessoas em animais e que eram más.

Hoje em dia essas antigas superstições como a da bruxa velha da vassoura na lua cheia já foram suavizadas, devido à maior tolerância entre religiões, sincretismo religioso e divulgação do paganismo. Gerald Gardner tem destaque nesse cenário como o pai da Religião Wicca- A Religião da Moderna Bruxaria Pagã, formada por pessoas que são Bruxos/as mas que utilizam a "Arte dos Sábios" ou a "Antiga Religião" mesclada a práticas e conhecimentos de outras tradições.
 
 
A classificação de magia como negra e branca não existe para os bruxos, pois se fundamentam nos conceitos de bem e mal, que não fazem parte das suas crenças, por isso, como costumam dizer, toda magia é cinzenta e com forma energética e Espiritual.

A Arte das Bruxas como era feita antes é chamada de Bruxaria Tradicional, ainda remanescendo até os dias atuais em determinados grupos, na maioria ocultos. Hoje também pode-se encontrar uma vasta quantidade de livros e sites que explicam a "Antiga Religião" mas geralmente se tratam de Wicca, pois os membros de grupos de Bruxaria Tradicional costumam preferir o ostracismo, revelando-se publicamente apenas em ocasiões especiais ou para que novos candidatos os localizem.
 
 
Se Gostou do que Leu, clique G+1
 

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Sila Tarot: Paganismo e Bruxaria Tradicional!



Não queremos reviver a bruxaria, uma vez que ela nunca morreu para nós, mas sim continuou o seu legado através da nossa linhagem.

Não temos razão para erguer a bandeira do paganismo, uma vez que vivemos na era cristã e não defendemos uma era, mas sim fazemos uma iniciação, seja na era que for.

A bruxaria não é pagã ou cristã, ela simplesmente é!

Ela não se veste de bandeiras nem religiões, quem a veste dessa forma são as pessoas que querem ser bruxas sem o ser de fato.

As estações não são pagãs nem cristãs, nem muçulmanas, nem judaicas, elas são fluxos da natureza, assim como nós, e estamos todos interligados, e tradicionalmente não precisamos ditar regras de controle, apenas podemos deixar a Arte Bruxa fluir como os nossos antepassados fizeram. Controle é o seguinte: "tudo que prende, não pode libertar". Quem vive preso a uma instituição é porque não cresceu o suficiente para andar sozinho e fazer as suas escolhas próprias.


A Arte Bruxa vive em nós e em tudo, não precisamos gesticular igualmente, vestir roupa igual e pensar da mesma forma que ninguém, cada ser humano é um ser ímpar, com pensamentos próprios, gestos próprios e gostos próprios, e isso deve ser preservado na sua individualidade. Nós não somos um povo que viveu numa única ilha do mundo, nós estamos em todos os locais e em nós, flui a tradição.

É comum para a verdadeira bruxa, utilizar elementos de todas as religiões, espiritualidades, folclores do mundo inteiro que se alinham consigo, e filosofias que bem entender, pois a bruxa lida com tudo que bem entender, ela não é um movimento pagão, nem mesmo é pagã de fato, pois quem já foi verdadeiramente uma bruxa pagã já está morta há muito tempo e se encontra no rol dos nossos ancestrais, e decerto que ela teve um filho ou filha como herdeiros, e até mesmo os seus agregados que transcenderam a carne.

O legado deixado por ela, é a semente que se encontra hoje em nós, que vivemos na era cristã sem prisões e sem conflito com isso, afinal, somos hereges e abarcamos o todo, não nos limitamos a uma única religião, culto, filosofia, entidade, deidade, demónio, instituição, cultura, povo, etc, enfim, não nos limitamos, somos indomáveis e livres.

A visão de mundo dos antigos ocultistas, ensinavam que aquilo que é igual, é TRADICIONAL para nós, por isso, UNO. Por isso somos bruxos tradicionais.
 

A Nossa marca é visível aos olhos dos nossos iguais. Quem não a enxerga, não pode provar que ela não existe, e podemos facilmente desmascarar alguém que se passe por um de nós, principalmente por aquilo que escreve e pensa.
 
Nascer bruxa é reconhecer-se bruxa desde cedo e deixar o seu dom fluir como as águas, independente do berço, da bandeira religiosa, e do sexo.
 
Uma vez abertas as comportas de uma represa, não se pode impedir a água de passar!
 
Assim é o dom da Bruxa.

Cada um de nós carregamos a tradição perene (eterna, que não morre), a filosofia perene , e em cada tradição bruxa existente, é perene (eterna, que não morre), por isso não precisa ser reinventada, mas sim, introduzida em nós, como bruxos actuais destes tempos, e somos assim, carregamos a tradição e sabemos o que sabemos, os costumes são mantidos, cada um com seu perfil, e sabedorias. Somos fruto de uma evolução, evoluirmos com os tempos e com o progresso, e não temos conflitos por sermos bruxos numa era cristã, vide o tradicional sincretismo de imagens cuja sobrevivência superou e transgrediu séculos de ditadura religiosa. Não somos controlados, a não ser por nós próprios, com ou sem a nossa transformação interna.

Se Gostou do que Leu, Clique G+1

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Sila Tarot: O simbolismo dos Elementais - Todas as Respostas!


 

Evolução

A escalada da evolução, parte dos pequenos elementais da terra seguindo até os dirigentes de grandes extensões e compreensão, chamados Devas e Elohim.

Elohim: São os dirigentes do Reino, ponto alto da Hierarquia Elemental. Trabalham junto aos Mestres Ascensionados e Arcanjos. São doadores do modelo divino para formação dos espaços materiais.

Deva: Palavra sânscrita que significa “Ser Brilhante”. São encarregados da dinamização de grandes áreas como: mares, florestas, cadeias de montanhas, grandes árvores, tendo a seu encargo a instrução de seres menores no trabalho da natureza.

 
A invisibilidade desses Seres

Os materialistas, não acreditam na existência dos Seres da Natureza alegando não serem visíveis. A invisibilidade desses seres é explicada pelo fato de serem formas etéricas, habitantes de planos energéticos com múltiplas graduações, não perceptíveis aos olhos humanos.

Muitas observações mostram que os Elementais usam duas formas distintas:

a) O Corpo Astral Permanente.

b) Um veículo etérico materializado temporariamente.
 
As ações resultantes do seu trabalho, sim, são visíveis. Como exemplo histórico, cito a Comunidade de Findhorn (Escócia). Num local totalmente impróprio para a agricultura, fizeram surgir, com sua orientação, flores, verduras, árvores frutíferas etc. Na ocasião (1962), este fato chamou atenção das autoridades governamentais do país, que mandaram examinar o local.

Nos exames foi constatada ausência de qualquer ingrediente químico e que a terra havia sido enriquecida de forma natural e inteligente. Participemos junto aos Elementais na evolução do Planeta Terra. Assim teremos efetuado nosso papel como co-criadores universais.
A pergunta que fica é: Por que insistimos tanto em não vermos quem de fato somos? Muita coisa poderia ser diferente nas nossas vidas, bastando apenas que prestássemos um pouco mais de atenção à nossa volta!
 
 
Família Cósmica

Temos uma família cósmica que nos acompanha na caminhada da Evolução. Façamos com eles então uma aliança de intenções, para que nos ajudem a manter a saúde nos nossos corpos, o que nos manterá saudáveis e conectados com nossa divindade interna.

 
Sintonizando o Reino dos Elementais

Condições ideais para contatar os Elementais:

1) Com base nas condições climatéricas, podemos ser ajudados no contato:

Primavera: Terra / Água = Junho, Julho, Agosto.
Inverno: Água / Ar = Março, Abril, Maio.
Outono: Ar / Fogo = Dezembro, Janeiro, Fevereiro.
Verão: Fogo / Terra = Setembro, Outubro, Novembro.
 
2) Tendo como base o signo:
Elemento
Signo
Elemental


Fogo
Carneiro / Leão / Sagitário
Salamandra


Terra
Touro / Capricórnio / Virgem
Gnomo

 
 
Ar
Gémeos / Balança / Aquário
Silfo


Água
Caranguejo / Escorpião / Peixes
Ondina

 
Éter
É a substância de onde emanam todos os elementos da criação, elementais e signos.
 
Filhos da Terra

Estes terão de encarar o desafio de enfrentar os estímulos energéticos do mundo ao redor. É importante revigorar a conexão com a energia do gnomo pessoal andando descalço no barro ou na erva. Passar algum tempo junto a plantas e árvores. São ligados ao Arcanjo Uriel.

Filhos da Água

Nestes predomina o intenso envolvimento emocional. Necessitam da a proximidade com a água. A imersão total é o ideal, pois fortalece a ondina pessoal, uma vez que a água é a sua força equilibradora. São ligados ao Arcanjo Gabriel.


Filhos do Ar

Nestes predomina a ordem mental e o envolvimento social. Para recarregar o elemento primordial e fortalecer o silfo pessoal, precisam de ar puro e eletricamente carregado. Topos de montanha, locais afastados da humidade, onde o ar é seco e vivificante, é muito bom para reconectá-los. São ligados ao Arcanjo Rafael.


Filhos do Fogo

As pessoas do fogo necessitam de muito sol e atividades vigorosas para realimentar os seus veículos. Necessitam de passar bastante tempo ao ar livre. Os lugares onde o sol brilha com força e intensidade são essenciais a sua saúde e ligação com a salamandra pessoal, bem como com os demais elementos. São ligados ao Arcanjo Miguel.


Se Gostou do que Leu, clique G+1