quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Sila Tarot: Porque Adoecemos?


A enfermidade ou doença, é um conflito entre a personalidade e a alma. O nosso cérebro comanda o nosso corpo, assim como todo o sistema imunitário.

Aqui ficam alguns exemplos, para que se compreenda melhor como uma ameaça emocional, pode afectar-nos fisicamente, gerando doenças.

"Mente sã, corpo são...!"

Uma dor de garganta, surge não é possível comunicar as aflições.

O estômago arde ou dói, quando a raiva não consegue sair.

O diabetes invade quando a solidão é demasiada.

O corpo engorda quando a insatisfação aperta.

A dor de cabeça surge quando as duvidas aumentam.

O coração desiste quando o sentido da vida parece terminar.

A alergia aparece quando o perfeccionismo fica intolerável.

As unhas quebram-se quando as defesas ficam ameaçadas.

O peito aperta-se quando o orgulho escraviza.

A pressão arterial sobe quando o medo aprisiona.

As neuroses paralisam quando a "criança interna" tiraniza.

A febre acontece quando as defesas detonam as fronteiras da imunidade.

Os joelhos doem quando o orgulho não se dobra. O cancro mata quando não se perdoa e/ou se cansa de viver.


A enfermidade não é má, apenas avisa quando estamos a ir na direção errada.

O caminho para a felicidade não é linear, existem curvas, existem semáforos chamados Amigos, luzes de precaução chamadas Família, e ajudará muito ter no caminho, uma peça de reposição chamada Decisão, um potente motor chamado Amor, um bom seguro chamado Determinação e abundante combustível chamado Paciência. Mas principalmente um maravilhoso Condutor chamado Inteligência.

Sejam Felizes....!


Se Gostou do que Leu, clique G+1 ( = Gosto)

sábado, 9 de agosto de 2014

Sila Tarot: Hipnoterapia de Vidas Passadas!


A hipnoterapia de vidas passadas é uma terapia de regressão analítica com projecções da mente para vidas anteriores e para momentos antes do nascimento. Pode parecer inacreditável ou completamente irreal para o leigo, porem acontece, e mais importante, pode ajudar a curar pessoas de uma forma rápida, eficaz e duradoura.

É muito frequente, em poucas sessões, tratar patologias do foro psicológico, em pacientes que sofreram durante muitos anos dessas doenças.

A terapia de vidas passadas é um nome dado a uma técnica hipnoterapêutica, que existe apenas com a finalidade de ajudar todo o ser humano, independentemente daquilo em que acredite, a melhorar a sua saúde física e mental e não para provar ou refutar, qualquer verdade, crença ou religião.

Também é verdade, que a maioria das pessoas que regrediram ás outras possíveis existências, parecem concordar, de que não se tratou de uma simples invenção, ou imaginação criativa das suas mentes.

È comum os pacientes mudarem as suas diretriz de vida, com apenas uma ou duas sessões de terapia de vidas passadas .



A oportunidade das pessoas se confrontarem com a essência dos seus próprios problemas e com o seu verdadeiro eu, é uma característica sem paralelos, desta terapia.

A hipnoterapia de vida passada, não se propõe provar ou reprovar a possibilidade da existência da reencarnação, tal como, não tem de concordar necessariamente com nenhuma doutrina ou religião. Deixamos os parapsicólogos, preocuparem-se em comprovar a veracidade dessas supostas memórias e para os religiosos, a apresentação da teoria da reencarnação como uma doutrina. 

Nesta terapia não é de todo importante, acreditar ou não na probabilidade da existência de vidas passadas, pois a terapia resulta da mesma forma para os que são mais cépticos.

O hipnoterapeuta serve-se da projecção da mente dos pacientes a vidas passadas, que pode ocorrer de uma forma espontânea ou não, durante a sessão hipnótica como uma técnica pratica, das mais eficientes, que visa apenas a cura psicológica.

É tarefa do terapeuta ser completamente imparcial, fazer a abstracção da sua personalidade, ideologia, crença e só a sua forca neutra deverá intervir. Deve também, respeitar a livre vontade de escolha dos pacientes e ajuda-los a encontrar o alivio e a compreensão dos sintomas e comportamentos que os incomodam, sobre os quais não tem controle.

Se Gostou do que Leu, clique G+1 ( = Gosto)

domingo, 3 de agosto de 2014

Sila Tarot: O Tarot e os Seus Segredos!

 
A Leitura do Tarot é um processo místico, através de um Baralho de Tarot (o oráculo), e através do qual se encontram respostas. A origem do Tarot é incerta, sendo que se perdeu no horizonte dos tempos. Algumas fontes advogam que a sua origem remonta ao Antigo Egipto, sendo que outras dizem, que na verdade terá tido origem na Europa aquando das invasões Árabes, e outras centram ainda o surgimento desta pratica nos Sécs. XVII/XIX, como uma forma de jogo palaciano para entretimento de salão entre a aristocracia.
 
Seja como for, o procedimento que o Tarot usa para produzir oráculos, encontra-se retratado na Bíblia, o que faz pressupor que há mais de 5.000 anos que esse método é praticado, fosse com dados, fosse com lanças ou pedras.
E que método é esse?
A Bíblia refere-se diversas vezes ao «lançamento de sortes» como forma de obter respostas de uma divindade. Eis alguns exemplos:
 Os homens lançam dardos para tirar a sorte, mas a sentença vem de Deus
Provérbios 16,33
 depois disseram uns aos outros:«vamos deitar sortes para ver quem é o culpado desta desgraça que nos está a acontecer». Tiraram sortes, e ela caiu sobre Jonas
Jonas 1,7
Em seguida, fizeram esta oração a Deus: «Senhor, Tu conheces o coração de todos. Mostra-nos qual destes dois escolheste para ocupar, no serviço do apostolado, o lugar que Judas abandonou para seguir o seu destino». Então tiraram á sorte entre os dois. E a sorte recaiu sobre Matias, que foi adicionado ao número de 11 apóstolos.
Actos Apóstolos 1,24-26
Ora, o Tarot obedece a esse mesmo método que se encontra descrito na Bíblia, ou seja, através de um jogo de sorte, ( as cartas), que são tiradas ao acaso, (por isso chamado: «lançamento de sorte»), obtém-se respostas oraculares sobre o passado, o presente e o futuro.
Cada carta do tarot chama-se «Arcano», A etimologia do termo advêm do latim «Arcanu», que significa «secreto», ou «segredo profundo», ou «mistério», ou «oculto». O Tarot tem por isso, a função de desvendar aquilo que está oculto.
Há quem defenda que na realidade, isso significa que o Tarot, tem a finalidade de revelar as energias, forças e influências espirituais, ( invisíveis e ocultas), que se estão a manifestar nas nossas vidas e fazendo-nos assim entrar pelos rumos de vida em que nos encontramos, e em que nos encontraremos.
Ao fazê-lo, o Tarot revela as grandes tendências que se estão a manifestar na vida de uma pessoa, revela o conjunto de forças espirituais que estão a actuar sobre a sua existência, e permite dessa forma revelar verdades espirituais e desenhar um mapa dos rumos que se podem tomar, de forma a evitar a dor, a angustia, o tormento, a perda, optando por rumos que levam á harmonia, paz, felicidade e vitória.
No séc. XVIII, Court de Gébelin (1725-1784) realizou estudos em que era sugerido que o Tarot remontava ás tradições místicas do Antigo Egipto, sendo que segundo a sua tese, o Tarot provinha do conhecimento secreto dos mistérios do Antigo Egipto, e assim sendo os seus 22 arcanos encontravam correlação com os símbolos presentes no Livro de Thoth.
No Séc. XIX, o grande ocultista Eliphas Levi (1810-1875) foi o primeiro a estudar profundamente e a sistematizar o Tarot, revelando que os seus 22 Arcanos maiores na verdade correspondiam ás 22 letras do alfabeto hebraico, e assim tinham uma estreita relação com os caminhos e forças espirituais presentes na “arvore de vida” dos hebraicos.
Assim foi possível entender que os arcanos do Tarot contem em si, representações das forças e influencias espirituais que atravessam as nossas vidas, podendo-nos por isso ajudar a encontrar os bons rumos e facilitar-nos as escolhas que levam aos nossos desejos.
Este mesmo principio de correspondência entre o Tarot e a Cabalah Hebraica, foi trabalhado pelo místico Papus (1865-1916) e mesmo por Aleister Crowley (1875-1947), nos seus trabalhos esotéricos e mágicos.
Actualmente, em virtude dos trabalhos explorados pelos grandes místicos do sec XVI-Séc.- XIX, podemos de forma clara, entender as intimas relações existentes entre o Tarot, a astrologia, a numerologia e a Cabalah.
Existem vários Baralhos de Tarot, embora as imagens neles contidas, sejam apenas  semelhantes, a sua representação será sempre a mesma. Ex: A Imperatriz, terá em diferentes Baralhos de Tarot, uma imagem que diverge entre cada um, mas possui sempre a mesma simbologia, independentemente do Baralho utilizado.
 
Imperatriz
 
 
Aqui ficam exemplos dos Baralhos mais populares na actualidade:
 
Rider Waitte - Autor de um dos mais famosos baralhos de Tarot, Dr. Arthur Edward Waite (1857-1942) Tornou-se o mais popular em países de língua inglesa.
Tarot de Marselha - surgiu no final do século XV, na França, e tornou-se popular em toda a Europa.
O Baralho de Tarot
A totalidade das cartas do Tarot são setenta e oito:
  • 22, são os arcanos maiores (Grandes Segredos)
  • 56, são os arcanos menores (Pequenos Segredos)
Os naipes são quatro: Pentagrama (ouro). Taças (copas). Gládios (espadas) e Bastões (paus)

Para entender melhor o funcionamento do Tarot como oráculo, é preciso saber que nele estão representados os quatro elementos do nosso planeta, com a forma dos naipes do baralho, como mostra a seguir:
 
Ouro ou Moedas: Ar

Espadas ou Gládios: Fogo

Copas ou Taças: Água

Paus ou Bastões: Terra

Os Arcanos Maiores são constituídos por 22 cartas com figuras: 21 delas estão numeradas consecutivamente de 1 a 21 e existe também uma carta sem número ou com o valor zero, conhecida como o «Bobo» ou “O Louco”

As 22 cartas correspondem às 22 letras do alfabeto hebraico.
 
Os Arcanos Maiores agrupam-se em três septenários (á excepção de O Louco), que exprimem os três âmbitos da experiência humana:
1º Septenário: reflecte a pessoa na sua relação com a sociedade
2º Septenário: reflecte a imagem da pessoa na sociedade
3º Septenário: Reflecte a verdadeira essência da pessoa, tanto no universo interior como em relação ao mundo
Os 22 ARCANOS DO TAROT  - Veja Mais: