sábado, 26 de março de 2016

Sila Tarot: A Inquisição, os Gatos e a Peste Negra e a Feitiçaria!

Segundo a lógica, a feroz perseguição aos gatos incitada pela Igreja Católica, dizimando quase por completo a população europeia destes animais no Século XIV, contribuiu decisivamente para a multiplicação de ratos, que eram portadores da Peste Bubónica. A terrível consequência disso foi a proliferação da Peste Negra (Peste Bubónica), que dizimou um terço da população europeia (de 1347 a 1350).

A peste era causada pela bactéria Yersinia pestis, residente no pulga Xenopsylla cheopis que por sua vez habitava no rato preto indiano Rattus rattus. Esta espécie de rato originária da Ásia, foi trazida pela horda de guerreiros mongóis liderados por Gengis Khan, na sua imparável jornada de conquistas que teve como derradeiro destino a Europa.

O número de gatos foi recuperando, e estes ainda chegaram a ter papel activo no controlo das populações de ratos, o que veio a contribuir também para a diminuição da ocorrência da peste.

Não obstante e apesar disso, a perseguição aos gatos continuou ao longo dos séculos seguintes…


A perseguição aos Gatos

A Igreja Católica foi a maior perseguidora de gatos da história, e na Idade Média, travou uma dura e longa cruzada contra os gatos e os seus admiradores. No ano 1232, o Papa Gregório IX fundou a Santa Inquisição, que actuou barbaramente durante seis séculos, torturando e executando, principalmente na fogueira, mais de um milhão de pessoas, sobretudo mulheres, homossexuais, hereges, judeus e muçulmanos. Igualmente médicos, cientistas e intelectuais, e… também os gatos, “ad majorem gloriam Dei”.

Gatos associados a Bruxaria

O Papa Gregório IX afirmava na bula Vox in Roma que o diabólico gato preto, “cor do mal e da vergonha”, havia caído das nuvens para a infelicidade dos homens. Para acabar com a resistência dos celtas ao catolicismo, a Igreja Católica pregava que os sacerdotes druidas eram bruxos. Como os druidas viviam isolados e rodeados por muitos gatos, a Igreja começou a associar os gatos às trevas, devido aos seus hábitos noctívagos, e afirmava terem parte com o demónio, principalmente os de cor preta. Milhares de pessoas foram obrigadas a confessar, sob tortura, que haviam venerado o demónio em forma de gato preto, sendo logo depois, condenadas à morte.

A mesma perseguição foi realizada no Século XV, contra os povos germânicos do vale doReno, adoradores da Deusa Freya, uma divindade pagã, sendo que a Igreja considerava o seu culto um acto de heresia, associando-o à adoração de maus espíritos. Foram destruídas imagens da Deusa e mulheres que tinham gatos foram torturadas e queimadas vivas. Os gatos, que eram protegidos pelaDeusa Freya, foram acusados de serem demoníacos, capturados, enforcados, e jogados nas fogueiras da Santa Inquisição.

A tradição mágica e outras habilidades naturais sobreviviam em alguns locais, durante a Idade Média, mas eram não-oficiais e eficazmente perseguidas pela Igreja, cuja religião monoteísta tornar-se-ia um instrumento institucionalizado do Estado. A magia tornou-se uma actividade suprimida simplesmente porque os sacerdotes da Igreja não eram adeptos da mesma, e também por não quererem correr o risco de que alguém pudesse sobrepujar as suas habilidades limitadas, e o facto de serem considerados a via única para Deus. Desta forma, tudo o que a Igreja considerava “não ideal”, seria identificado na forma de várias imagens do Diabo.

Nos séculos em que a Inquisição agiu na Europa e América, uma pessoa que fosse vista com um gato, principalmente os de cor preta, estava sujeita a ser denunciada como praticante de actos de bruxaria e sofrer tortura e morte, sem nenhum direito de defesa. Uma vez acusado de bruxaria, a pessoa podia ser acusada pela responsabilidade de qualquer desgraça natural, como perda de safras, acidentes, doenças e mortes. No imaginário medieval, o gato preto tornava-se mais uma figura mística, fruto da ignorância, associada ao culto ao demónio.

Em 1484, o Papa Inocêncio VIII promulgou uma bula contra os feiticeiros, acusando de heresia milhares de pessoas, um bom número das quais sendo culpadas apenas por possuírem um gato. Por toda a Europa, milhares de pessoas inocentes foram torturadas em nome de Deus, por serem acusadas de feitiçaria e adoração a Satanás. E juntamente com elas, os seus gatos. Este Papa inquisidor incluiu o gato na lista dos perseguidos pela inquisição, campanha assassina da Igreja contra supostas heresias e bruxarias. Nesta mesma época, Leonardo da Vinci escreveu: “chegará o dia em que um crime contra um animal será considerado um crime contra a humanidade.” Leonardo era um admirador de gatos, e considerava “o menor dos felinos” uma obra-prima.

Em toda a Europa, o Dia de Todos os Santos passou a ser comemorado, acrescentado-se às actividades típicas do mesmo, o arremesso para as fogueiras de sacos cheios de gatos vivos. Em Metz, na França, todos os anos, durante 4 séculos, no culto a São Vito, foram queimados vivos, 13 gatos presos numa gaiola. Em Ypres, também na França, centenas de gatos eram atirados do alto de um campanário num festival religioso. Durante séculos, milhares de gatos foram sacrificados em rituais durante a Páscoa. Estas práticas, incitadas pela Igreja, acabaram por se estender a qualquer tipo de comemoração religiosa, como a noite de São João e de outros Santos.

Na coroação da rainha Elizabeth I, centenas de gatos foram aprisionados e levados em procissão, representando o demónio sob o controle da Igreja, e no final do ritual, acabariam todos por ser queimados vivos. Na Inglaterra elizabeteana, era comum que os gatos fossem colocados em sacos de couro e usados como alvos para os arqueiros. Desta e de outras formas, o homem descarregava nos animais, todos os seus complexos e crueldades.


Gatos associados a Bruxas

Com todo o cuidado para não ser queimado vivo como herege, o navegador Cristovão Colombo tomou a precaução de embarcar nas suas três caravelas, Santa Maria, Pinta e Niña, dezenas de gatos, os quais, ao longo de 35 dias de viagem transatlântica, travaram verdadeiras batalhas contra os ratos, protegendo as provisões alimentícias e permitindo que os membros da tripulação desembarcassem vivos nas margens desconhecidas, em 12 de Outubro de 1492.

No Século XVII, período conhecido como o da “caça às bruxas”, a Inquisição agiu fervorosamente em toda a Europa e América. Mulheres idosas e solitárias, que possuíam um gato como companhia, eram acusadas de bruxaria, torturadas até que confessassem aquilo que a Igreja queria, sendo então condenadas à morte, queimadas vivas em público, e seus bens imediatamente roubados pela Igreja. O julgamento das “bruxas de Salem”, em Massachussetts, é um dos principais registos deste período negro da história dos Estados Unidos.

Mesmo nestes tempos de tanto ódio, os gatos foram amados em alguns países, como na Rússia, onde eram comuns serem encontrados em conventos e mosteiros. Com o tempo, a Igreja também foi sendo mais tolerante à presença do gato, e a perseguição aos felinos foi diminuindo. O Cardeal Richelieu chegou a ter muitos gatos, entre eles um Angorá preto chamado Lúcifer.

No Século XVIII, foram finalmente abolidas as leis sobre feitiçaria.

MARQUE AQUI A SUA CONSULTA: http://www.silatarot.pt/p/contactos.html

Se Gostou do que Leu, (no site) clique G+1= Gosto

Sila Tarot: 10 Problemas que Tem, Mas que Poderia Muito Bem Evitar!

Um homem ao ir ao médico, reclama que quando bate no seu joelho, dói. Então, pega num objeto e passa a bater na sua própria perna, demonstrando quando a dor aparecia. O médico, um pouco abismado, pergunta:“Não passou pela sua cabeça que se parar de fazer isso, talvez pare de doer?” “Bem…”, o paciente pensou por um tempo e disse: “Mas qual o propósito de eu vir a esta consulta, então?”

Muitas vezes, tentamos resolver problemas que nem sequer existem, e que talvez nunca existam. Levantamos hipóteses, pensamos naquilo que poderia acontecer e procuramos soluções totalmente inúteis, enquanto desesperamos.

Abaixo, listo 10 problemas que na verdade não existem, mas a maioria das pessoas tem.

1. O que os outros pensam ou podem pensar sobre mim?

Enquanto está preocupado com o que os outros pensam de si, está possuído por eles. Os outros possuem-no. Somente quando não necessita de aprovação fora de si mesmo, se poderá possuir a si mesmo e ter total poder e controlo sobre a sua vida.

Não deixe de fazer algo, a pensar no que outros vão pensar, nem levante questões do quê, ou como, as pessoas estão a pensar sobre si, qual será o julgamento ou críticas que terão sobre si. Isso irá limitá-la, bloqueá-la, retira-lhe o poder sobre a sua vida e o seu equilíbrio. De que adianta sabê-lo ou procurar sabê-lo, ou ainda levar isso em conta, como uma forma limitante, para perder o controlo, decisões e poder sobre a sua própria vida. Não se esqueça que estamos todos de passagem. Para quê perder tempo com coisas inúteis, que não somam nada á sua vida? Opiniões alheias nunca poderá controlar.

Tenha uma boa imagem de si própria, aja de acordo com a sua consciência, limites e princípios e busque melhorar para si.

2. Os outros aceitam-me ou irão aceitar-me bem?

Se agir de uma forma distante do seu normal, forçar ou fingir ser quem não é, provavelmente não.

Tente integrar-se em ambientes onde se sinta bem, não em locais onde as pessoas querem mudá-la. Eventualmente, encontrará amigos e locais para ir, nos quais não sentirá sequer necessidade de fingir ser outra pessoa.


3. As pessoas que estão perto de mim, não são como achei que fossem

Bem, elas nunca serão. Com a convivência descobrirá coisas diferentes sobre elas, e isto não deve ser um problema. Afinal, também irá apresentar mudanças, isso é um processo natural.

No caso de uma mudança drástica e negativa, é mais maduro entender que as pessoas mudam, quando elas nos veem como um exemplo de mudança, sobre o que elas pensam e agem, para assim, agir e pensar de forma diferente.

4. Eu não consigo entender porque aquela pessoa fez aquilo

Não vai entender, porque não tem acesso ao profundo da mente de ninguém, não há como saber os motivos que a levaram a ter tal atitude, nem a conhecer totalmente a sua vida pessoal, as suas crenças, e o seu modo de ser e pensar.

Muitas vezes, nem a própria pessoa se consegue entender.

5. Eu sou o tipo de pessoa que deveria ser?

O processo de evolução humana ainda não terminou, e quanto mais ambiciosa for em relação a quem quer ser, maior vai ser discrepância entre o tipo de pessoa que acha ser.

Quanto mais inteligente for, mais sente que estupidez magoa, mas só percebe isso, porque já alcançou um determinado nível de sabedoria. Quanto maior for o seu conhecimento, maior será a sua consciência de que no fundo, não sabemos nada, e isso irá ferir a alma por alguns momentos, até que perceba que conhecermos a nossa pequenez, é subir um degrau do conhecimento.

6. O mundo é ruim

“Não sei se o mundo um dia poderá ser salvo; seria preciso uma reviravolta tremenda e quase impossível. Mas se não podemos salvar o mundo, que ao menos possamos saber o que ele é, qual é o nosso lugar nele. Pode encontrar milhares de salvadores do mundo. Quase tantos salvadores, como mortos. E, infelizmente, a maioria dos salvadores do mundo também já está morta. “Esqueceram-se, em algum lugar, de se salvar a si próprios” –Charles Bukowski

Provavelmente, as próximas gerações não serão capazes de crer que uma vez o homem determinou o seu valor baseando-se em bens materiais. A decomposição moral do mundo, muitas vezes motivada pela cultura ou religião, pelo ‘bem’ ou pelo ‘mal’, leva a visões extremistas e falta de aceitação de uma certa ordem ou curso das coisas, o que deveria ser natural na evolução de cada espécie, em cada estágio de desenvolvimento. O que era bom no passado não precisa necessariamente ser bom agora, e o que é bom para mim pode não ser bom para si. A quantidade do que é bom é sempre proporcional à quantidade do que é ruim, e a vida é muito mais fácil se basear menos a sua vida em visões extremistas e mais em factos.

7. Eu posso evitar problemas

Não consegue, porque os problemas, muitas vezes, são mais causados pelo seu cérebro do que pelo mundo exterior. Afinal, não pode escapar de si própria. Não importa quão rico ou pobre é, o número de problemas na sua vida será sempre proporcional ao número de benefícios, por isto, é muito mais importante o sentido que dá à sua vida.


8. Os outros irritam-me

Não são os outros, mas a forma como pensa que eles deveriam ser. Não são os outros os responsáveis pelas suas reacções emocionais, porque é o seu julgamento sobre as ações delas que vai gerar certas experiências emocionais.

9. A minha vida não corresponde às minhas expectativas

Desculpe, mas reclamar não irá ajudar. Muitas vezes colocamos-nos em situações de conformismo, e não direccionamos a nossa vida para outro caminho, mesmo querendo fazê-lo.

Culpar o governo, o país, família ou os seus amigos, é apenas uma forma de escape, no fundo, a sua vida está nas suas mãos.

“Duas coisas, sobretudo, impedem que o homem saiba ao certo o que deve fazer: uma é a vergonha, que cega a inteligência e arrefece a coragem; a outra é o medo, que indicando o perigo, obriga a preferir a inércia a acção.” Erasmo de Rotterdam


10. Por que isto só acontece comigo?

Se segue a doutrina Budista, tudo é determinado por quem foi em vidas passadas, e isto é o Karma. Se é católica? É o que Deus quis para si. De maneira intelectual? Porque isso é o efeito de uma certa causa. Lide com as coisas que pode controlar e deixe o resto para Buda/Deus/Karma/destino, se quiser.

A verdade é que muitas coisas estão, de facto, além do nosso controlo, no entanto, temos tantas outras coisas nas nossas mãos, que perde o sentido focarmos-nos só naquelas em que nada podemos fazer.

MARQUE AQUI A SUA CONSULTA: http://www.silatarot.pt/p/contactos.html

Se Gostou do que Leu, (no site) clique G+1= Gosto

Sila Tarot: O Significado das Pedras e Cristais!

O homem tem uma longa história de relacionamento com o reino das pedras e cristais. Analisando a história, verificamos que a sua utilização foi orientada para a cura e rituais de contacto com os mundos intraterrenos e extraterrenos.

Os ancestrais utilizaram-nos de forma consciente como ferramentas de cura e geradores de energia. As pedras e os cristais, têm a capacidade de transmitir frequências de energia por longos períodos de tempo. Saber sobre a sua diversidade, desperta no ser humano capacidades de ligação e respeito por estas formações, que por simples que sejam, ressoam directamente com a alma.

Ao longo dos tempos, no passar dos séculos as pedras e cristais, foram utilizadas como adornos, de acordo com o seu significado e as propriedades dos cristais eram usadas como instrumentos de prevenção e cura de doenças e também, como talismãs e amuletos de protecção. Mais do que um objecto de decoração, são condutores de energia de alta qualidade.

Utilizados conscientemente e sendo colocados à vista, ou sempre consigo, podem ser utilizados individualmente ou sob a forma de Mandala. É fácil perceber a sua natureza, consoante a sua vibração e a sua cor. Cada uma tem uma cor, uma vibração e uma personalidade.

Todos devem ser utilizados tendo em vista boas intenções, ou intenções pessoais directamente relacionadas com quem os utiliza. 

Segue abaixo o significado dos mais utilizados:


Purificação de Energia das pedras e cristais:

Para purificar, deverá deixá-las de molho 24 horas em água do mar ou água com sal grosso, depois retire e lave com água corrente.

MARQUE AQUI A SUA CONSULTA: http://www.silatarot.pt/p/contactos.html

Se Gostou do que Leu, (no site) clique G+1= Gosto

sábado, 19 de março de 2016

Sila Tarot: Porque Ficam as Pessoas Irritadas e Intolerantes?


Uma pessoa torna-se intolerante e fica facilmente irritada, quando está sobrecarregada emocionalmente, quando não consegue dar conta, organizar, controlar algumas situações ou coisas na sua vida. Pode ser por questões que está a viver agora, ou por coisas que já aconteceram há muitos anos e que não consegue superar.

A pessoa sente-se presa e sufocada pelos problemas. Fica carregada de sentimentos negativos, sensível a qualquer situação que a deixe desconfortável, tornando-se cada vez mais impaciente e “explosiva”.

O seu “copo está cheio”, o que a leva a ficar com o “pavio curto”. Encontra-se num grau emocional, no qual não consegue lidar com coisas que a deixam emotiva, irritada. Tem dificuldade em ter controle sobre si.

Muitas vezes a pessoa torna-se agressiva, discute e descarrega a sua raiva em quem mais poderia ajudá-la. Tudo se torna ainda mais difícil, porque com esse comportamento pode afastar oportunidades e pessoas boas e importantes na sua vida. Isso só a deixa com mais problemas e preocupações.


Para entender o que está a desencadear a intolerância e irritação, é necessário:

Perceber em quais situações existe um desgaste emocional. Em que situações fica mais stressada?

Normalmente quando está num determinado local? Surge determinado assunto, ou quando uma determinada pessoa está consigo? O que esse contexto a faz pensar e lembrar?

O que está realmente difícil de suportar e a está agora a incomodar?

O que precisa de fazer para enfrentar essa situação? Quais são as pessoas e profissionais que o podem ajudar neste momento?

É importante a pessoa reconhecer a fonte da sua irritação, procurar formas de enfrentar e lidar com a situação, tomando o devido cuidado para não se descontrolar noutros factores ou circunstâncias da sua vida, pois isso causará ainda mais preocupações e problemas devido á sua impaciência. Quando falhar, reconheça e tente recuperar o que perdeu.

Pode ser importante o acompanhamento com um psicólogo, para que consiga perceber, assumir e ultrapassar o que de facto se passa, quais as causas e “ferramentas” que pode utilizar de forma a não ter ainda mais prejuízos na sua vida.

MARQUE AQUI A SUA CONSULTA: http://www.silatarot.pt/p/contactos.html

Se Gostou do que Leu, clique G+1 ( = Gosto)

Sila Tarot: Dicas para Conseguir Organizar Melhor a sua Vida!

Normalmente, a falta de organização na vida prejudica as pessoas. Pode fazer a pessoa sentir-se pouco útil, desanimada, com dificuldade em realizar as actividades necessárias e de relaxar e aproveitar as coisas boas da vida, de forma saudável.

Não saber administrar o dia a dia pode ser perigoso. A pessoa sente que não consegue cumprir o que gostaria. E nesse ritmo, a sua vida passa e perde a oportunidade de realizar aquilo que a deixaria motivada, que a faria crescer emocionalmente, pessoalmente e profissionalmente. Com isso pode ficar “perdida”, desencadeando depressão, estados ansiosos, transtornos emocionais.

É importante que de alguma forma a pessoa se consiga organizar. Este comportamento irá ajudá-la a sentir-se bem consigo própria.

Quem organiza a vida, organiza o emocional. É necessário auto-conhecimento, para conseguir organizar-se emocionalmente e desenvolver consciência de como aproveitar o próprio tempo.

Criar “uma certa rotina” é importante. A rotina não precisa de ser uma prisão (cansativo ou chato), pode existir flexibilidade nesse planeamento (rotina). Algumas pessoas funcionam melhor sem determinar exactamente aquilo que vão fazer, mas mesmo essas pessoas, de certa forma, planeiam as suas vidas, para assim manter o seu trabalho, relações, diversão…etc.

É fundamental planear momentos para:

  • Saúde (exemplo: acompanhamento psicológico, atividades física, alimentação saudável)
  • Responsabilidades (exemplo: trabalho, organização financeira, cuidados com aqueles que dependem de si)
  • Família e amigos (exemplo: cultivar as relações e laços familiares)
  • Lazer (realizar atividades que tragam prazer, criatividade e relaxamento)

Esse ritmo ajuda a melhorar a qualidade de vida, a ter objectivo de vida. Terá a sensação de domínio da própria vida, de equilíbrio e segurança. É terapêutico para todas as pessoas, principalmente para aquelas que têm alguma dificuldade emocional.

Inicialmente pode ser difícil organizar-se e cumprir aquilo que se programou a fazer, mas quando se acostuma com a rotina, ela colhe frutos positivos na sua vida.

É interessante pensar sempre sobre:

  • O que faço com minhas horas, semanas?
  • O que eu tenho feito com os meus anos de vida?
  • Como estou “gastar” o meu tempo?

Não precisa de estar sempre a fazer algo. Também é interessante reservar um momento para não fazer nada, para relaxar. Saber aproveitar a vida, exige maturidade.

MARQUE AQUI A SUA CONSULTA: http://www.silatarot.pt/p/contactos.html

Se Gostou do que Leu, clique G+1 ( = Gosto)

Sila Tarot: Porque Temos Medo do Compromisso?


Assumir compromissos e responsabilidades pode gerar angústia, incertezas, medos, principalmente se a pessoa não “amadureceu” para a “nova” situação.

Em vários momentos da vida acontecem mudanças. Por exemplo:

  • Começa a trabalhar ou passa a ter uma função diferente no emprego
  • Torna-se pai / mãe, alterando a rotina e o planeamento financeiro
  • Inicia um relacionamento mais sério (namoro, união de facto, casamento), que trazem dinâmicas diferentes á vida de cada um. Essas transformações modificam o quotidiano, e geram uma necessidade de se estruturar e planear o “novo” dia a dia.

Algumas responsabilidades e compromissos exigem: 

  • Saber confiar no outro
  • Responsabilizar-se por outra pessoa (exemplo: filho)
  • Mudar a rotina
  • Lidar com a possibilidade do fracasso

O desgaste emocional aumenta, quando tem dificuldade em se acostumar às mudanças, e assim pode ter comportamentos impulsivos. Surge a vontade de “largar tudo”, tentar fugir da sua própria vida. Muita vezes porque não se sente preparado, e o medo fá-lo evitar o “confronto” consigo próprio.

É mais provável a pessoa prejudicar-se a tentar fugir ás suas responsabilidades, do que enfrentar as dificuldades e ser responsável. Mesmo com a sensação de “escapar” dos problemas, é muito perigoso não pensar nas consequências, ao fugir. Além disso, a fuga afasta a possibilidade de amadurecer emocionalmente, de melhorar a sua forma de se relacionar e de se fortalecer para os próximos desafios da vida.

Haverão sempre haver fases na vida, que trarão mudanças, e por esse motivo é importante aprender a lidar com os sentimentos confusos. Para isso, é fundamental o “trabalho” emocional, para conseguir adaptar-se e interiorizar o novo “estilo” de vida.

Quando a pessoa se apresenta assim, perante uma dificuldade, é importante descobrir porque está a evitar as responsabilidades e tarefas do momento. Deverá tentar compreender e enfrentar esses desafios. A solução não é fugir dos compromissos, a solução é aprender a lidar com eles.

MARQUE AQUI A SUA CONSULTA: http://www.silatarot.pt/p/contactos.html

  
Se Gostou do que Leu, clique G+1 ( = Gosto)

Sila Tarot: Porque é Importante Valorizar as Suas Próprias Conquistas?


É importante uma pessoa sentir-se vitoriosa, depois de se esforçar e atingir o seu objectivo. Quando não considera que as suas conquistas são suficientes ou razoavelmente importantes, é necessário que reflicta se não se estará a sub-carregar ou a exigir demasiado de si próprio, e assim gerar prejuízos na sua vida pessoal e profissional.

Não conseguir sentir-se merecedor e vencedor é desgastante emocionalmente e fisicamente. Pode alimentar a sensação de “eterna insatisfação”, tornar-se perfeccionista, sempre a querer mais, sentindo a necessidade de provar-se a si e aos outros, que consegue, não tendo limites, e cobrando-se em demasia por isso.

Normalmente tem baixa auto-estima, insegurança e dificuldade em lidar com os próprios erros. Não reconhecer os próprios méritos, pode gerar complicações no dia a dia, nas relações pessoais e profissionais. E principalmente, pode levar a pessoa a sentir-se sempre insatisfeita, triste, angustiada, tornando-se tensa, amarga e ”pesada”.

Desafiar-se é importante, mas também é fundamental:

  • Sentir-se merecedor
  • Sentir prazer pelo seu sucesso
  • Saber usufruir do momento, em que se alcançam os objetivos


Se tem por habito, não reconhecer seus méritos, é preciso que entenda:

  • O que o está a impedir de se sentir bem consigo próprio?
  • O que está por detrás dessas exigências insaciáveis?
  • O que significa para si ser vitorioso?
  • Qual o seu limite? Existe?
  • O que realmente deseja? Esse desejo é para si ou para outra pessoa?

MARQUE AQUI A SUA CONSULTA: http://www.silatarot.pt/p/contactos.html
  
Se Gostou do que Leu, clique G+1 ( = Gosto) 

sexta-feira, 18 de março de 2016

Sila Tarot: Convite para Subscrever Site: SILA TAROT



Como em todos os blogues/sites, é possível fazer uma subscrição, para que receba semanalmente todas as publicações no seu e-mail (deverá ter um e-mail da google - Gmail e deverá estar aberto, para posterior confirmação). Caso deseje, poderá cancelar a subscrição em qualquer altura e não tem qualquer custo associado. É um serviço da google. Eu não terei acesso á sua subscrição. A mesma poderá ser feita de forma anónima (ou não), á sua escolha.

No site ficará a conhecer-me melhor e encontrará dezenas de estratégias especificas para vencer os seus medos, conhecer o seu EU, dicas para se relacionar melhor, de orientação e Auto-Ajuda. A previsão semanal do seu signo ( Astrológica e a carta de Tarot da semana, para cada signo), além de temas relacionados, com todas as áreas em que desenvolvo o meu trabalho e não só.

Quero convidá-la a subscrever, e nessa altura receberá um e-mail semanal sobre o que partilho.


VEJA COMO FAZER:

Para o fazer, quando entrar no site (carregando nas letras azuis), em cima, do seu lado esquerdo, logo abaixo do tradutor, RECEBA NO SEU E-MAIL - insere o seu e-mail e receberá automaticamente o que publico. Mais abaixo, do seu lado Direito diz: SEGUIR SILA TAROT (pode optar e fazer por aí).

Qual a importância do botão G+1: Quando clicar no botão ( sempre no final de cada publicação dentro do site) terá também botões similares, onde poderá partilhar nas suas redes sociais. Ao clicar G+1, saberei que alguém gostou do que partilhei (é anónimo, não saberei quem) e incluirei mais temas semelhantes, nas publicações seguintes.



Visite também no Facebook:





Na Pag Facebook: Clique Gosto+receber notificações ( Para receber na sua conta facebook, tudo o que partilho)

Seja muito bem vinda!

Trabalho com muita honestidade e profissionalismo e Sigilo.

Muito Grata desde já, por seguir o meu trabalho, por todo o carinho e pela confiança de sempre!

Sila Tarot

Marque aqui a sua consulta: http://www.silatarot.pt/p/contactos.html

Se Gostou do que Leu, (no site) clique G+1= Gosto 

sábado, 5 de março de 2016

Sila Tarot: Magia: Verdades e Mitos!


Todas as minhas acções são direccionadas apenas para fazer o bem. Caso deseje fazer o mal, não me contacte!

A magia perde-se no tempo, nas noites claras e escuras. Ao falar-se nela, pode-se imaginar uma mulher ou um homem vestido de preto, usando um chapéu de ponta, portando um punhal, espada , varinha mágica, vassoura e a cozinhar em volta de um caldeirão. Pode-se associar esse nome à rituais macabros, satânicos. Afirmações largamente alimentadas pelo Cristianismo, na tentativa de se afirmar cada vez mais nos tempos idos das noites escuras.

O termo "bruxa" é largamente usado para denegrir a imagem de uma pessoa que julgamos ser má. Porém, os verdadeiros bruxos adotam um único princípio:"Faça o que quiser, desde que não prejudique ninguém". Um verdadeiro bruxo jamais tentará doutrinar uma pessoa que possui um outro credo. A verdadeira fé resulta de escolha individual e espôntanea. Uma de nossas características é a liberdade de pensamento.
Fazemos uso de vários instrumentos, porém, não com a intenção imposta pela ignorância e pelo fanatismo de muitos. Todo instrumental mágico permite um contato maior com a energia do Universo. Assim, o poder pode ser direcionado de várias formas. A magia é algo natural e é usada diariamente, mesmo que não se perceba. Quando transformamos um alimento em uma deliciosa comida, quando entendemos o que o nosso animal de estimação está a "falar", quando temos uma intuição, quando se deseja algo e o desejo se realiza. Enfim, em inúmeras situações, estamos a exercitar o nosso lado mágico e percebe-se que existem verdades que são antigas e profundas que herdamos de magos e bruxos e, pode ter certeza, o mundo, por mais que se robotize, jamais se livrará delas.
Nós bruxos, somos verdadeiros alquimistas. Pode-se ser um alquimista no amor, onde as energias se fundem e se transformam, tornando dois em um. Pode-se transformar ervas em xaropes caseiros maravilhosos. Sim, isso é magia. Muitos estão a voltar-se para a ecologia, tentando salvar o planeta. O que essas pessoas não percebem é que todo o amor à natureza e aos animais, remetem à religião da Deusa , a um povo e lugares muito antigos, onde havia o amor à terra e a todo tipo de vida, onde rituais e encantamentos faziam parte do seu dia a dia. Respeitamos a natureza porque sabemos que fazemos parte dela, porque nós a amamos.

Magia branca ou negra? Uma bruxa(o) percebe o seu poder, nasce com ele. Sabe que tudo o que faz, retorna com o poder de três. Respeita o livre arbítrio de cada ser. Dá-nos a liberdade de seguir nosso próprio caminho. Portanto, cada um viverá uma experiência única. Seria desonesto afirmar que alguns ou muitos, não usam o lado negro da magia, o que nos leva a concluir que a forma como a energia será usada, é que irá gerar o bem ou o mal. O importante é usar a nossa sabedoria, pois devemos ter absoluta certeza do que pretendemos antes de lançarmos um feitiço, fazer um encantamento ou realizar um ritual.
Bruxaria: Refere-se às faculdades sobrenaturais de uma pessoa que utiliza rituais de magia negra ou magia branca, ou outras.
Feitiçaria: Refere-se à pessoa que realiza feitiços, seja ou não um bruxo.
Magia: Refere-se ao uso da energia ou de entidades com o intuito de interferir no plano físico.


SEMPRE SOB CONSULTA PRÉVIA (sem excepções) - Apenas durante a consulta, analisarei cuidadosamente a sua situação individual, pois nenhuma situação é igual. Terei de analisar, qual a melhor forma de ajudar, o que fazer e dependerá da situação em particular. Se puder ajudar, ajudarei, caso não seja viável ou possível, dir-lhe-ei.

Honestidade e Sigilo Absoluto.

VEJA MAIS AQUI: http://www.silatarot.pt/p/magias.html


Quer comprovar a eficácia do meu trabalho? Contacte-me!Realizo todos os trabalhos de magia Branca / Negra e Outras - Todas as minhas acções são direccionadas apenas para fazer o bem. Caso deseje fazer o mal, não me contacte!

Marque aqui a sua consulta: http://www.silatarot.pt/p/contactos.html

Se Gostou do que Leu, clique G+1 ( = Gosto)