sábado, 24 de fevereiro de 2018

Sila Tarot: Como Conquistar uma Boa Auto-Estima?


Em pleno século 21, com toda a modernização, globalização e evolução da sociedade ainda há quem aguarde a aprovação dos outros para agir. Essas pessoas não se consciencializaram, ainda, do mal que se causam a próprias. Mal sabem que com isso perdem a sua autenticidade, liberdade, conforto e principalmente, a personalidade, ou seja a própria identidade.

A necessidade de agradar terceiros, sem se satisfazer primeiro, é extremamente prejudicial à evolução mental, espiritual e até física. As pessoas que agem dessa forma não se amam, e gostar de si próprio é  um antídoto poderoso, contra a influências de pessoas indesejáveis. Infelizmente, quem tem uma baixa auto-estima, deixa-se influenciar por outras pessoas e muitas vezes, muda o curso da sua vida por causa delas. A consequência é uma vida infeliz, justamente porque vão contra os seus próprios desejos e planos.

Respeitar para ser respeitado. A expressão é bastante conhecida e é válida á letra, no âmbito da educação social, nas relações de trabalho, familiar e afectivas, entre outras. Porém, só consegue respeitar o próximo, aquele que se consegue respeitar a si mesmo. E só consegue respeitar-se a si próprio, aquele que se ama. Para quem não sabe, a auto-estima é a opinião e o sentimento, que cada pessoa tem por si própria. É ser capaz de respeitar, confiar e gostar de si. Quem não se ama, não se respeita, não tem limites e assim sucessivamente. A vida dessas pessoas tende a não ser das melhores, principalmente porque geralmente, são negativas e pessimistas. Os limites, são a prova madura e adulta do amor-próprio e colocar limites ás outras pessoas não é ser agressivo ou mal-educado, mas respeitar-se a si mesmo em primeiro lugar.



O respeito por si, é saber o que deseja, quais são os próprios limites e até onde se pode ir com as solicitações de terceiros. Não é ser egoísta (pensar somente em si), mas sim, não se prejudicar por causa de ninguém.

Normalmente tem como consequência a busca pela aprovação alheia, sem perceber que jamais conseguirá a aprovação de todos. Deve sim, aceitar-se e procurar a sua própria aprovação. Enquanto não descobre quais as causas reais da sua falta de auto-confiança, respeito e amor-próprio, acaba por viver a vida em busca da aprovação alheia. Faz de tudo para se sentir querida, amada, quando na verdade o que precisa é de se amar a si própria.

Além disso, quem vive assim, torna-se cansativa  com o tempo, para quem convive com ela. Este processo psicológico, pode ter origem na Infância, a nível inconsciente. As crianças que foram respeitadas, aprenderam a respeitar-se, sabem dos próprios limites e sabem dizer não, quando é necessário. As pessoas com baixa auto-estima, costumam ter uma vida sofrida, infeliz e contrária aos seus desejos. Por isso, muitas vezes, é necessário algum tratamento psicológico para se conhecerem melhor e aprenderem a respeitar-se a si próprias.


MARQUE AQUI A SUA CONSULTA Tarot+Cartomância: http://www.silatarot.pt/p/contactos.html

Se Gostou do que Leu e para que eu publique mais temas semelhantes, clique (no site) G+1= Gosto - É anónimo!


Sila Tarot: Como Desenvolver-se Espiritualmente?


Quero hoje abordar um tema muito relativo, mas que gera alguma controvérsia. De facto, recebo vários e-mails, ou questionam-me durante a consulta, de pessoas que se questionam sobre o desenvolvimento mediúnico/espiritual. Gostaria agora, de responder a todas as duvidas.

Quando leio o Tarot é comum descobrir que a maior parte das pessoas têm dentro delas uma luz especial - isto acontece naturalmente: pessoas com uma vibração energética mais elevada, tendem a buscar aconselhamento espiritual e então a maior parte das pessoas que me procuram, são na verdade seres evoluídos interiormente e acabamos por nos encontrar/atrair. Quando lhes transmito a mensagem de que existe dentro delas essa luz e que são seres com um nível de consciência superior, a resposta mais comum é “sim, eu sei, mas não sei como posso desenvolver isso”.

Na realidade não há uma fórmula ou uma receita para nos tornarmos pessoas mais evoluídas do ponto de vista espiritual. Todos nós temos um potencial enquanto seres pertencentes ao cosmos - o que acontece é que na azáfama diária afastamos-nos da nossa essência e esquecemos a nossa espiritualidade. É importante salientar que somos seres espirituais numa experiência terrena e não o contrário. Assim sendo, apenas precisamos de recordar quem na verdade somos. Em geral, este processo ocorre mediante o auto-conhecimento, a elevação de frequência energética e do nível de consciência. Então surge a questão: E como se atinge esse patamar?

O auto-conhecimento é uma jornada individual. Aprendermos com os nossos erros e com os dos outros, conhecer as qualidades e os nossos defeitos, os pontos fortes e fracos e o nosso potencial, enquanto seres humanos é o ponto de partida. Neste âmbito, o próprio Tarot pode ajudar-nos a descobrir quem somos e todos nós podemos adquirir um baralho, aprender e descobrirmos mais sobre nós.

A elevação de frequência energética atinge-se através de experiências espirituais, como o reiki, a meditação, a terapia de vidas passadas, a terapia com taças tibetanas, entre outros. Estas experiências enchem-nos de boas energias e ajudam-nos a elevar a nossa vibração própria, o que nos faz sentir melhor e consequentemente mais preparados para a nossa jornada na terra.



A elevação do nível de consciência é talvez o ponto mais fácil de alcançar. Aqui trata-se de aprendermos a reconhecer que somos todos seres especiais, que todos nós temos os nossos problemas, de reconhecermos que não estamos sozinhos no universo e que existem guias e entidades espirituais, que nos ajudam no nosso percurso. Alguém que ambicione desenvolver-se espiritualmente, tem à partida consciência desta realidade. A aquisição de conhecimento sobre a doutrina espírita, várias filosofias de vida e princípios, bem como os princípios do reiki, podem ser bastante úteis. Aprender sobre várias áreas que nos ligam ao além, compreender os mecanismos do universo, é um meio para melhor atingirmos um nível de consciência superior.

Evidentemente, somos todos diferentes. Certas pessoas podem desenvolver-se mais que outras, pois já têm um percurso espiritual (ao longo de várias vidas) mais marcado. As manifestações de espiritualidade são diferentes em pessoas diferentes. O importante é que saibamos agradecer pelo que nos é dado, que sejamos seres prontos a ajudar os outros e que estejamos receptivos a estas ideias. Por mais difícil que possa ser a nossa jornada, ela dá-se através de pequenos passos e se não conseguirmos atingir o que almejamos nesta vida, porque estamos á espera da próxima? E porque não preparamos o caminho já?


MARQUE AQUI A SUA CONSULTA Tarot+Cartomância: http://www.silatarot.pt/p/contactos.html

Se Gostou do que Leu e para que eu publique mais temas semelhantes, clique (no site) G+1= Gosto - É anónimo!

sábado, 17 de fevereiro de 2018

Sila Tarot: Do Mundo Carnal para o Espiritual! O que Acontece no Momento da Partida?


    A desencarnação não é igual para todos!

    1. A certeza da vida futura não exclui as apreensões do homem quanto à desencarnação. Há muitos que temem não propriamente a vida futura, mas o momento da morte. Será ele doloroso? Tentando elucidar essas questões, Kardec inquiriu os Espíritos e deles recebeu a informação de que o corpo quase sempre sofre mais durante a vida do que no momento da morte e que os sofrimentos que algumas vezes se experimentam no instante da morte são um gozo para o Espírito.

    2. É preciso, no entanto, que consideremos que a desencarnação não é igual para todos e que, ao contrário, há uma variação muito grande, tão grande quanto as diferentes formas de viver adoptadas pelos encarnados. Vendo-se a calma de alguns moribundos e as convulsões terríveis de outros, pode-se previamente julgar que as sensações experimentadas nem sempre são as mesmas.

    3. A separação da alma é feita de forma gradual, pois o Espírito se desprende pouco a pouco dos laços que o prendem, de forma que as condições de encarnado ou desencarnado, no momento do desenlace, se confundem e se tocam, sem que haja uma linha divisória entre as duas.

    4. Alguns factores podem influir para que o desprendimento ocorra com maior ou menor facilidade, factores que estão relacionados com o estado moral do homem quando encarnado. A afinidade entre o corpo e o perispírito é proporcional ao apego do indivíduo à matéria, que atinge o seu ponto máximo no homem cujas preocupações dizem respeito exclusivamente à vida de gozos materiais. Ao contrário disso, nas almas puras – que antecipadamente se identificam com a vida espiritual – o apego é quase nulo.


    5. Em se tratando de morte natural resultante da extinção das forças vitais por velhice ou enfermidade, o desprendimento opera-se suavemente. Para o homem cuja alma se desmaterializou e cujos pensamentos se destacam das coisas terrenas, o desprendimento quase se completa antes da morte real, ou seja, tendo o corpo ainda vida orgânica, o Espírito já começa a penetrar a vida espiritual, apenas ligado à matéria por elo tão frágil que se rompe com a última pancada do coração.

    O desprendimento da alma jamais é brusco, mas gradual


    6. No homem materializado e sensual, que mais viveu do corpo que do Espírito, e para quem a vida espiritual nada significa, tudo contribui para estreitar os laços materiais e, quando a morte se aproxima, o desprendimento, embora também se opere gradualmente, demanda contínuos esforços. As convulsões da agonia são indícios da luta do Espírito, que às vezes procura romper os elos resistentes, e outras vezes se agarra ao corpo, do qual uma força irresistível o arrebata com violência, molécula por molécula.

    7. O desconhecimento da vida espiritual faz com que o Espírito se apegue à vida material, estreitando os seus horizontes e resistindo com todas as forças, conseguindo prolongar a vida e, consequentemente, a sua agonia, por dias, semanas ou meses. Em tais casos, a morte não implica o fim da agonia, pois a perturbação continua e ele, sentindo que vive, sem saber definir seu estado, sente e se ressente da doença que pôs fim aos seus dias, permanecendo com essa impressão indefinidamente, uma vez que continua ligado à matéria por meio de pontos de contacto do perispírito com o corpo.

    CONTINUAR A LER: Veja Mais!

Sila Tarot: Como Adquirir o Equilíbrio nas Situações do Dia-a-Dia?


Para se saber colocar da melhor forma possível, primeiro é necessário perceber como é que normalmente se posiciona nas situações. É importante perceber os comportamentos a serem mudados: Quando, com quem e onde acontecem.

Para compreender, como se deve colocar de maneira correcta, deve primeiro entender o que significa colocar-se de forma Negativa:

Passa a vida a justificar-se: Tenta proteger-se por insegurança, ou justifica constantemente os seus erros

Eu não fiz a comida porque estava com muitas dores, por isso pensei que não havia problema. Pensei que poderias pedir uma comida feita ”. 

  • Fala e justifica-se com medo de julgamentos ou reprovação dos outros, muitas vezes cobrando-se a si própria por algo que não é da sua responsabilidade.

Eu só agi assim, porque me fizeste aquilo.”


  • Justifica comportamentos errados, não reflectindo sobre o que fez.

É agressiva: Perde o controlo e a razão, é impulsiva / grita

Não sabes fazer nada! Por isso que as coisas não vão para a frente. Não vales nada”

  • Ofensas / ataca a personalidade do outro, deixando de especificar o que é realmente importante, que seria o comportamento que não gostou no outro.

É PassivaDeixa os outros e os acontecimentos decidirem a sua vida, sem se tentar posicionar.

Prefiro não dizer nada, porque não gosto de arranjar discussões.”

  • Os outros acabam por passar por cima de si, invadem o seu espaço, porque não dá limites, até onde o outro pode ir.

Não adianta dizer nada, porque não vai mudar.”

  • Nem tenta argumentar nem marcar uma posição, porque acha que nada vai acontecer, ou alterar-se.

Quando entender qual é a sua postura e em que momentos é que se coloca de forma “incorreta”, abre portas para mudar e aprender formas para se colocar de forma mais positiva.


Saber posicionar-se é: Dizer ao outro de forma clara aquilo que deseja ou que o incomodou, respeitando o seu próprio espaço e o espaço do outro, sem ser agressivo, perder o controlo ou a razão. Isso não significa que o outro entenda, ou que não vão haver desentendimentos.

Mas é a partir daí, que pode advir o entendimento entre as pessoas.

Estes comportamento podem evidenciar, que existem questões emocionais pendentes há mais tempo, pelo que deve tentar perceber-se a si próprio, fazendo uma análise e introspecção profundas, para a partir do auto-conhecimento, começar a mudar-se e assim mudar o mundo que o rodeia.


Se Gostou do que Leu, clique G+1 ( = Gosto)

sábado, 10 de fevereiro de 2018

Sila Tarot: Os 21 Sinais de Abuso Emocional!

O abuso emocional é extremamente fácil de ignorar. Leia estes 21 sinais de abuso emocional, para ver se você está a ser abusada emocionalmente, ao invés de ser amada!



Como seres humanos, não somos irracionais.

Quando alguém se opõe ou nos oprime com abuso emocional, estamos sempre prontos para contra-atacar.

Mas, o que fazer quando se está a ser manipulada pouco a pouco, todos os dias?

Que atitude tomar, se simplesmente não percebe que está a ser enganada e levada a abusos, com doces palavras de amor?

E se o seu amor por esta pessoa a convence de que precisa de se curvar, só para que a agrade, mesmo que isso se traduza em abuso emocional?

O abuso emocional é fácil esquecer

A realidade e a nossa interpretação da realidade, são completamente diferentes e subjectivas.

Você acreditaria que está a ser abusada emocionalmente somente se se convencer de que é verdade.

E até que veja a verdade por si própria, ninguém pode ajudá-la a libertar-se.

É como a metafórica síndrome de sapo a ferver.

A ciência diz que se colocasse um sapo em água fervente, ele salta imediatamente. Mas se colocar um sapo numa panela com água morna e começar a ferver a água muito lentamente, o sapo vai continuar a ficar na panela de água e ferver, até á morte.

Agora, isto pode ser uma metáfora, uma advertência para mostrar sobre a mudança e nossa incapacidade de ver os sinais. Mas esta história tem um papel importante na compreensão do seu próprio relacionamento.

O comportamento do seu parceiro mudou?

Em todos os anos em que estão juntos, você acha que o comportamento do seu parceiro mudou ao longo do tempo?

Se a mudança é gradual e optou por não ver as mudanças, pode nunca perceber isto.

E, mesmo se estiver a ser abusada emocionalmente, nunca poderá ver os sinais.

Qualquer forma de abuso, tem de começar em algum momento. Há um momento no relacionamento em que o seu parceiro faz algo que a perturba mentalmente e ainda assim, opta por ignorá-lo por causa do amor que tem por ele.

E, em seguida, acontece novamente. E você ainda opta por ignorá-lo. E, finalmente, chega a um ponto em que você se sente sufocada e fraca, e nem sabe por que se sente tão impotente.
O que é o abuso emocional?

O abuso emocional é qualquer tipo de abuso psicológico que traumatiza a mente de uma pessoa ou seu estado de ser, forçando-a a se sentir fraca, traumatizada e indefesa.

Você pode sentir momentos de abuso emocional de vez em quando, nas suas próprias relações com as pessoas ao seu redor, sejam elas os seus pais, irmãos, amigos ou até o seu namorado ou marido.

A maneira mais fácil de perceber se está a ser abusada por alguém é se você se sentir fraca e indefesa perto dele.

O abuso emocional pode mudar a sua vida para sempre

Uma pessoa seria capaz de compreender os danos que o abuso emocional pode causar, só se os experimentar. É fácil alguém dizer a outra pessoa emocionalmente abusada, que deve sair do relacionamento. Mas nunca seria capaz de compreender o seu estado de espírito, de como se sente impotente ou a confusão emocional em que está.

Se já experimentou o abuso emocional, é preciso que entenda que pode pedir toda a ajuda do mundo mas, a menos que você se fortaleça por dentro, ninguém pode ajudá-la a mudar a sua vida.
Não tenha vergonha do abuso ou do desamparo

O abuso emocional é vergonhoso e humilhante. Não é fácil falar sobre isso com os outros, especialmente quando você acredita que é a sua própria fraqueza que levou ao abuso. Mas é preciso lembrar que não era o seu ponto fraco, mas o seu amor incondicional por essa pessoa, que lhe deu origem.

Abuso emocional não é restrito a qualquer dos sexos, nem é restrita a um tipo particular de relação. Então a primeira coisa que você precisa é deixar de sentir vergonha.


Os 21 grandes sinais de abuso emocional, que pode estar a ignorar:

O abuso emocional começa sempre aos poucos. O teste mais fácil de perceber se está a ser emocionalmente abusada é perguntando-se se o comportamento do seu parceiro a magoa mentalmente. Se sim, você precisa falar sobre isso com ele.

Afinal de contas, abuso emocional nem sempre é infligido em si para suprimir você. Às vezes, o abuso emocional também pode ser resultado de negligência e ignorância.

Veja os 21 sinais de abuso emocional para saber se foi empurrada contra a parede pelo seu esposo ou namorado. Caso se identifique com estes sinais, talvez agora seja o momento de começar a reagir.

1. Você está com medo - O comportamento do seu parceiro assusta-a. Você tem medo de pedir coisas ou dizer-lhes alguma coisa, porque simplesmente não sabe como ele reagirá.

2. Palestras incessantes - O seu parceiro diz-lhe constantemente como você falha e como ainda precisa de melhorar em muitos aspectos. Mas, em vez de tentar ajudá-la, ele aponta as suas falhas e se comporta como se você fosse uma causa perdida, que não pode ser ajudada, porque é muito fraca ou não é muito inteligente.

3. Comparações dolorosas - O seu parceiro constantemente compara-a, seja com a sua amiga mais bonita ou amigos bem-sucedidos e diz-lhe como eles são muito melhores que você. O seu parceiro pode até ser subtil e aponta para as celebridades e diz como elas são muito mais atraentes do que você.

4. Confusões constantes - O seu parceiro grita consigo muitas vezes. Mas quando você tenta argumentar ou provar que está certa, ele pode até ficar de joelhos ou humilhar-se apenas para lhe pedir desculpas e ganhar o seu afecto de volta.

5. Você é culpada por tudo e por...nada – O seu parceiro culpa-a por coisas que você não tem culpa. Ele culpa-a pelo comportamento do seu amigo, para a forma como as crianças são, por causa do tempo ou sobre qualquer outra coisa. Às vezes, o seu parceiro pode até ouvir falar de alguma coisa na televisão e gritar consigo, porque ele não gostou do programa!

6. Ciúmes possessivos - O seu parceiro tem sempre algo negativo a dizer sobre os seus amigos, especialmente se forem do sexo oposto. O seu parceiro odeia quando receber telefonemas dos seus amigos e às vezes até lhe pede para desligar o telefone. Eles não gosta quando você tem uma vida social activa.

7.A sua auto estima é atacada – O seu parceiro diz-lhe constantemente o quão ruim ou inútil você é e fica com raiva de si, porque você está sempre a contar com ele. Mas mesmo quando você tenta fazer algo sozinha, diz-lhe que você não é capaz de tomar decisões e fá-la sentir-se uma idiota.

8. Dupla personalidade - O comportamento e atitude do seu parceiro confunde-a. Às vezes, ele pode ser extremamente amoroso e cuidadoso. E noutras vezes, ele fica agressivo e intolerante. Você simplesmente não pode prever como ele vai reagir a qualquer coisa que fizer.

9. O Sádico – O seu parceiro se sente melhor em relação a ele próprio, quando aponta as suas falhas ou a critica. Ele pode ficar mais bem humorado ou feliz nos dias em que está a trabalhar demais ou stressada por causa dos seus próprios erros.

10. A humilhação – O seu parceiro humilha-a ou faz comentários desagradáveis, especialmente perto de seus amigos ou pessoas que você admira.

11. Grandes demandas/exigências - Ele estabelece grande expectativas irracionais e exige-as de si, secretamente esperando que falhe, para que possa dizer: “Eu avisei!” “És uma inútil!”

12. manipulação sexual – O seu parceiro manipula-a emocionalmente em actividades sexuais que não gosta. Ele pode até fazer chantagem emocional, dizendo coisas como: “Outras mulheres fazem-no! Porque tu não podes?” 

13. Grandes confissões - O seu parceiro partilha os seus problemas com quem o ouve. Mas se você confessar qualquer um dos seus problemas, especialmente sobre o relacionamento, com os seus amigos ou família, ele iria ficar muito chateado consigo.

14. Colocar todos contra si - Este é um truque sorrateiro que o parceiro emocionalmente abusivo, utiliza para ganhar vantagem e deixá-la sentir-se desamparada. O seu parceiro pode constantemente dizer o quão difícil ou inútil você é para todos, inclusive aos seus amigos, á sua família e até mesmo aos seus filhos. O seu parceiro pode até dar exemplos tendenciosos, apenas para convencer todos e coloca-los contra si, para que ninguém fique do seu lado e contra ele.

15. O tratamento do silêncio - Se você lutar por algo ou tentar tomar o controle da situação, o seu parceiro pode-se ir embora num acesso de raiva e dar-lhe o tratamento do silêncio. Um parceiro emocionalmente abusivo odeia dar o braço a torcer num relacionamento. Ele pode simplesmente ignorá-la até que se desculpe por se opor á decisão dele!

16. Fisicamente abusivo - Às vezes, o seu parceiro pode recorrer ao abuso físico como uma chapada, um beliscão doloroso ou até mesmo um gesto ameaçador, apenas para a assustar, quando você se opor a ele para qualquer coisa.

17. Você não tem permissão para pensar - Um marido/namorado emocionalmente abusivo tem prazer em tomar o controle total da relação. Ele manipula um passo de cada vez, até que perca toda a confiança nos seus julgamentos/decisões. Você se convence de que não é capaz de tomar todas as decisões por conta própria, sem a orientação do seu parceiro.

18. O isolamento e a dependência - Inicialmente, o seu parceiro pode dizer que ele não gosta dos seus amigos ou um membro da família em particular. Logo, ele pode dizer-lhe para evitar determinada pessoa. E antes que se aperceba, o seu parceiro pode cuidadosamente isolá-la de todos que anteriormente conviviam consigo. E um belo dia, verá que a única pessoa quem pode ir para pedir ajuda ou depender é o seu parceiro.

19. Memórias emocionais – O seu parceiro constantemente fá-la lembrar de todas as vezes que fez algo errado, cada vez que há um argumento ou uma discussão. Ele constantemente traz as suas falhas ou os erros que cometeu na sua vida para reforçar a ideia de que depende dele e não pode sobreviver por si própria, sem a ajuda e orientação dele na vida.

20. As suas realizações não lhe importam – O seu parceiro glorifica mesmo a menor das suas próprias realizações e orgulhosamente se gaba sobre isso. Mas, por outro lado, não importa o que você consiga ou faça, o seu parceiro goza-a sempre, ou desqualifica-a/desdignifica-a, pelas suas conquistas e fá-la sentir-se incapaz e/ou de sequer as celebrar.

21. A negação - Mesmo quando você lhe apontar as suas ações emocionalmente abusivas, o seu parceiro não aceita o seu comportamento como uma falha. Em vez disso, ele se convence-se e tenta convencê-la de que ele está a fazer tudo apenas para a ajudar a tornar-se uma pessoa melhor e estar com os pés no chão.

Reconheça os sinais subtis de abuso emocional:

Se não tem certeza do que se está a passar consigo, poderá estar certamente a sofrer de abuso emocional. Basta olhar para si própria do ponto de vista de outra pessoa. Pergunte-se a si própria, como se sentiria se o seu irmão ou o seu filho estivessem a viver a sua vida. Você ficaria feliz por eles? Acredita realmente que eles estão na relação mais feliz de sua vida ou você quer que eles saiam disso ou que se fortaleçam para enfrentar o problema?

Se viu estes sinais na sua própria vida amorosa, é preciso lembrar que a força para superar o abuso está dentro de si. Tudo que precisa fazer é acreditar em si própria e tomar uma posição e decisões firmes.

Pode parecer a coisa mais difícil de fazer agora, mas irá sentir a sua força e confiança a chegarem até si, no mesmo instante em que colocar o pé no chão pela primeira vez e tomar uma atitude.

Se não consegue lidar com isto sozinha, procure ajuda de um membro da família ou uma organização para as vítimas abusadas. Não basta ficar ao lado dele. Afinal, paciência ou amor incondicional não vão mudar um amante emocionalmente abusivo. Apenas uma resposta firme e com vontade!

Estes 21 sinais de abuso emocional irão ajudá-la a decifrar se está a ser abusada na sua vida amorosa. E se vir estes sinais, fale sobre isso com seu parceiro ou com um amigo. Vai ser o primeiro passo para um futuro muito melhor!

Acima de tudo...Seja Feliz!



Se Gostou do que Leu, clique G+1 (= Gosto)

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Sila Tarot: Conheça os Poderes de Yemanjá! 02 Fevereiro


Iemanjá (yemanjá), Muito celebrada no Brasil, a Rainha do Mar, mãe de quase todos os orixás, é exaltada por negros e brancos. Iemanjá, possui vários nomes, dependendo de cada região do Brasil, mas a sua origem vem de África.

Iemanjá é a padroeira dos amores e muito solicitada em casos de desafetos, paixões conflituosas, desejos de vinganças, tudo pode ser conseguido caso ela consinta. Iemanjá exerce fascínio nos homens, sua beleza é o estereótipo da beleza feminina: Longos cabelos negros, feições delicadas, corpo escultural e muito vaidosa.

Têm poderes sobre todos aqueles que entram em seu domínio, o mar. Venerada e respeitada por pescadores e todos aqueles que vivem no mar, pois a vida dessas pessoas estão em suas mãos, segunda a lenda é ela quem decide o destino das pessoas que adentram seu império: enseadas, golfos e baías. Dona de poderes, a tranquilidade do mar ou as tempestades estão sob o seu domínio.

No sincretismo religioso, Iemanja tem identidade correspondente a outros santos, como na igreja católica é Nossa Senhora de Candeias, Nossa Senhora dos Navegantes, Nossa Senhora da Conceição, Nossa Senhora da Piedade e a Virgem Maria.


Em cada local do Brasil Iemanjá é festejada, mas as datas diferem que dependem do local da celebração. No Rio de Janeiro seu culto é festejado no dia 31 de Dezembro, junto a passagem de ano, onde os devotos oferecem oferendas: Velas, espelhos, pentes, flores, sabonetes e perfumes, etc. na esperança de que ela leve todas as tristezas, problemas e aflições para o fundo do mar e traga dias melhores. Na Bahia, é comemorada no dia de Nossa Senhora das Candeias, 2 de Fevereiro. Venerada nos Candomblés da Bahia, recebe muitas homenagens e oferendas.

Iemanjá também é conhecida como deusa lunar, rege os ciclos da natureza que estão ligados a água e caracteriza a "Mudança", na qual todas as mulheres são submetida devido á influência dos ciclos da lua.


Mãe de quase todos os órixas, é a deusa da compaixão, do perdão e do amor incondicional. É o arquétipo da maternidade. Pode ser representada como uma mulher com vestes com as cores branca / azul ou metade mulher, metade peixe, ou seja uma sereia.

Deve-se presentear com ofertas á beira-mar, que devem ser oferecidas á 7ª onda. Se forem levadas, Yemanjá aceitou o pedido, caso contrário, será rejeitado. Quanto mais se der, mais se recebe. Leva o que o aflige e traz dias melhores.

MARQUE AQUI A SUA CONSULTA Tarot+Cartomância: http://www.silatarot.pt/p/contactos.html

Se Gostou do que Leu e para que eu publique mais temas semelhantes, clique (no site) G+1= Gosto - É anónimo!


Sila Tarot: Como a Vida Muda Depois da Morte dos Pais!

Depois da morte dos pais, a vida muda muito. Enfrentar a orfandade, inclusive para pessoas adultas, é uma experiência surpreendente. No fundo de todas as pessoas sempre continua vivendo aquela criança que pode correr para a mãe ou o pai para se sentir protegido. Mas quando eles vão embora, essa opção desaparece para sempre.

Você irá deixar de vê-los, não por uma semana, nem por um mês, e sim pelo resto da vida. Os pais foram as pessoas que nos trouxeram ao mundo e com quem você compartilhou o mais intimo e frágil. Já não estarão presentes aqueles seres pelos quais, em grande parte, chegamos a ser o que somos.

Quando um recém-nascido aperta com sua pequena mão, pela primeira vez, o dedo do seu pai, este fica preso para sempre.” - Gabriel García Márquez-


A morte dos pais: entre falar dela e vivê-la, existe um grande abismo…

Nunca estamos plenamente preparados para enfrentar a morte, ainda mais quando se trata da morte dos pais. É uma grande adversidade que dificilmente pode ser superada totalmente. Normalmente, o máximo que se consegue é assumi-la e conviver com ela. Para superá-la, pelo menos em teoria, deveríamos entendê-la, mas a morte, no sentido estrito, é totalmente incompreensível.É um dos grandes mistérios da existência: talvez o maior.

Obviamente, a forma como assimilamos as perda em muito a ver com a forma como aconteceram. Uma morte das chamadas por “causas naturais” é dolorosa, mas um acidente ou um assassinato é muito mais. Se a morte tiver sido precedida por uma longa doença, a situação é muito diferente de quando acontece de forma súbita.
Também influencia o tempo entre a morte de um de outro: se houve pouco tempo, o luto será mais complexo. Se ao contrário, o lapso for mais extenso, certamente a pessoa estará um pouco melhor para aceitá-lo.
Não apenas é o corpo que se vai, e sim todo um universo. Um mundo feito de palavras, de carícias, de gestos. Inclusive, de repetidos conselhos que às vezes irritavam um pouco e de “manias” que nos faziam sorrir ou esfregar a cabeça porque os reconhecemos nelas. Agora começam a se fazer sentir ausentes de uma forma difícil de lidar.

A morte não avisa. Pode ser presumida, mas nunca anuncia exactamente quando irá chegar.  Tudo se sintetiza em um instante e esse instante é categórico e determinante: irreversível. Tantas experiências vividas ao lado deles, boas e ruins, se estremecem de repente e ficam somente em lembranças. O ciclo se cumpriu e é hora de dizer ADEUS.

“O que está, sem estar”…

Em geral, pensamos que esse dia nunca chegará, até que chega e se faz real. Ficamos em estado de choque e vemos apenas uma caixão, com o corpo rígido e quieto, que não fala e não se move. Que está ali, sem estar ali…


Porque com a morte começam a ser compreendidos muitos aspectos da vida das pessoas falecidas. Aparece uma compreensão mais profunda. Talvez o facto de não ter as pessoas queridas presentes suscita em nós o entendimento sobre o porquê de muitas atitudes até então incompreensíveis, contraditórias ou mesmo repulsivas.

Por isso, a morte pode trazer consigo um sentimento de culpa frente a aquele que morreu. É preciso lutar contra esse sentimento, já que não acrescenta nada e afunda em mais tristeza, sem poder remediar nada. Para que se culpar se você não cometeu nenhum erro? Somos seres humanos e acompanhando essa despedida, precisa existir um perdão: do que se vai para com aquele que fica ou do que fica para com aquele que se vai.


Aproveite-os enquanto puder: não estarão aí para sempre...

Quando os pais morrem, independentemente da idade, as pessoas costumam experimentar um sentimento de abandono. É uma morte diferente das outras. Por sua vez, algumas pessoas se negam a dar a importância que o fato merece, como mecanismo de defesa, em forma de uma negação encoberta. Mas esses lutos não resolvidos retornam em forma de doença, de fadiga, de irritabilidade ou sintomas de depressão.

Os pais são o primeiro amor. Não importa quantos conflitos ou diferenças tenham existido com eles: são seres únicos e insubstituíveis no mundo emocional. Mesmo sendo autónomos e independentes, mesmo que o nosso relacionamento com eles tenha sido tortuoso. Quando já não estão, passa a existir uma sensação de “nunca mais” para uma forma de protecção e de apoio que, de uma forma ou de outra, sempre esteve ali.


De facto, aqueles que não conheceram seus pais, ou se afastaram deles muito cedo, costumam carregar essa ausência como um lastro a vida toda. Uma ausência que é presença: Fica no coração, um lugar que sempre lhes pertence.

De qualquer forma, uma das grandes perdas na vida é a dos pais. Pode ser difícil de superar se houve uma injustiça ou negligência no trato deles. Por isso, enquanto estiverem vivos, é importante ter consciência de que os pais não estarão ali para sempre. De que são, genética e psicologicamente, a realidade que nos deu origem. Que são únicos e que a vida mudará para sempre quando partirem.

MARQUE AQUI A SUA CONSULTA Tarot+Cartomância: http://www.silatarot.pt/p/contactos.html

Se Gostou do que Leu e para que eu publique mais temas semelhantes, clique (no site) G+1= Gosto - É anónimo!