Amor

10 Motivos que levam ao Fim de uma Relação

Falta de confiança, omissões, dificuldade em dedicar tempo ao parceiro...

São muitos os motivos que podem levar ao fim de uma relação. Mas existem realmente sinais claros que anunciam que é o momento de deixar definitivamente a relação?

10 Motivos que levam ao Fim de uma Relação

Está perto de chegar ao fim?
Será que ainda existe esperança para o amor?

Saiba como evitar ou superar alguns destes equívocos, como tal deixo 10 dicas abaixo:

1. Acreditar que sua felicidade é responsabilidade de seu parceiro

A nossa cultura, na qual predomina a fantasia do amor romântico, prega que, uma vez que você encontra “a pessoa”, você dará adeus às frustrações e ao tédio e entrará num estado permanente de felicidade. Embora uma relação saudável de fato traga alegria, não é papel do seu parceiro acabar com todas as suas tristezas. É seu papel lidar com suas frustrações, dores, tédios, problemas que inevitalmente irão aparecer durante o relacionamento.

2. Acreditar que a relação será fácil

Não há nada de fácil em estar numa relação íntima e duradoura. Algumas são mais fáceis que outras e certamente sempre haverá, em qualquer convívio, momentos em que vocês navegarão em águas tranquilas e inevitáveis novas tempestades. Consciente disso, você achará bem mais fácil aceitar estas mudanças. Resistir aos momentos difíceis e vê-los sempre como prova de que há algo “errado” ou de que você está com a pessoa “errada” só vai aumentar as dificuldades. Por outro lado, enxergar as dificuldades como uma oportunidade para aprender, lhe dará a energia necessária para ir adiante e amadurecer a sua parceria.

3. Não entender que segredos são mentiras

Confiança é a essência de uma relação e, quando ela é quebrada, leva tempo e esforço de ambos para consertar o dano. Frequentemente, ouvimos alguém dizer: “Eu não lhe contei, mas eu também não lhe menti”. Esta afirmação é uma contradição, já que omissões também são mentiras. Se você está escondendo os seus atos de alguma maneira é apenas uma questão de tempo até que a verdade seja revelada e a confiança na relação, perdida..

4. Não entender que a confiança perdida pode ser recuperada

Quando a confiança é perdida, o que acontece em quase todas as relações duradouras em algum momento, é essencial entender que ela pode ser recuperada, desde que ambos estejam dispostos a fazer um difícil trabalho de auto-crescimento. De fato, é nestes momentos, quando se sente que algo de muito sólido na relação se rompeu, que é dada a oportunidade para mudar os padrões de comportamento um com o outro que não funcionaram até então. É uma tarefa dolorosa e a reação natural é desistir, especialmente se você não acredita que a confiança pode voltar a ser como o que era antes. A confiança no outro traz-nos segurança para crescer, ser e formar uma parceria, e se for rompida é complicado restabelecê-la. Ainda que a primeira coisa que vem à mente é uma possível infidelidade, a verdade é que existem muitos outros motivos para perder a confiança mútua. Há casais que são capazes de restabelecer a confiança após uma traição, mas na realidade, tudo depende de cada pessoa. Mas se você acredita que os níveis de confiabilidade podem aumentar e diminuir ao longo de um relacionamento, você achará a força necessária para superar essas fases.

5. Não encontrar tempo de qualidade para a relação

Relações requerem dedicação para darem certo. É fácil deixá-las em segundo plano, sobretudo quando se tem filhos pequenos para cuidar, trabalho e um corpo que precisa de cuidados e exercícios. Mas seu casamento é como um ser vivo, que se não for hidratado toda semana, começa a murchar. Tire um tempo toda semana para focar apenas no outro, e todo dia, nem que sejam alguns minutos, para interagir com o seu amor.

6. Não há sinais de cumplicidade

É difícil definir o que compõe um casal, mas um dos conceitos que podem aproximar ou afastar um casal, é o de duas pessoas que têm uma cumplicidade especial. Se ela já não é visível, evidentemente, há problemas e pode ser um dos caminhos para o fim da relação.

7. Relações Tóxicas

Entra-se numa dinâmica tóxica. Começa-se a competir, por ex. Costuma-se falar em pessoas tóxicas, mas muitas vezes o problema não é a pessoa em si, e sim a dinâmica tóxica em que duas pessoas parecem perder-se e da qual já não sabem como sair, para deixar de se magoar um ao outro. Às vezes é uma questão de agressividade, outras de falta de respeito, mas também podem ser co-dependências, competição, inveja ou outros papéis que acabam por destruir a relação entre o casal e por isso é muito importante estarmos atentos a pequenos sinais iniciais e corrigi-los de imediato. Muitas pessoas acham e normalizam essa forma de tratamento e, de fato, chegam convencidas à consulta de que isso não importa, sem perceber o dano que causam um ou outro. Eles não têm limites e perdem constantemente a oportunidade de reconstruir a sua relação.

8. Planos de vida diferentes

Os planos e objetivos já não são os mesmos. Pode ser que quando se conheceram os dois sonhassem em morar em Paris ou ter quatro filhos numa casinha no campo. Mas com o tempo as perspetivas de vida mudam e podem já não coincidir. E renunciar aos nossos sonhos significaria um grande peso a longo prazo. A possibilidade de já não querermos o mesmo traz tanto medo, que as pessoas preferem não ver, continuam a caminhar e a ter âncoras para se manterem com a pessoa ao lado, com filhos, com compromissos, com hipotecas. Aconselho a ser sincero consigo próprio e com a outra pessoa antes de se arrepender para sempre.

9. Má intimidade sexual

A sexualidade entre um casal deveria ser uma forma de união, de sentirem-se plenos e de conexão, mas algumas vezes acaba por ser um dos motivos para a rutura. Nem tanto porque surgem dificuldades, que podem ser superadas, e sim porque se transforma numa maneira de utilizar o outro e de fazê-lo sentir-se mal. Nesse sentido, ocorrem casos em que se observa “um membro do casal limita, manipula, chantageia a liberdade na tomada de decisões de como ter ou não sexo e, até mesmo, no uso ou não de anticoncecionais” ou no modo como se relacionam intimamente. Nesse caso, o trabalho está em fazer com que a outra parte desperte e fuja, procurando uma relação muito mais saudável.

10. O amor acabou

Por fim, ainda que a pessoa se empenhe em trabalhar muito a relação e em fazer a sua parte, nem sempre somos donos dos sentimentos próprios e muito menos dos alheios. Por isso, às vezes o amor simplesmente acaba, pelo menos, para uma das partes. E essas despedidas são as mais difíceis, porque sempre resta o carinho e o medo de magoar o outro. Há muitas pessoas que tentam tudo antes de assumir que não gostam da pessoa da mesma forma do que quando decidiram escolhê-la para viver com ela, para se casar... Isso as faz mentir para si próprias e à outra pessoa, sendo infelizes e tentando procurar escapatória em outros aspetos, estar sempre com outras pessoas, trabalhar 24 horas por dia, fugir sempre que for possível de estar com o outro etc. Se esse for seu caso, talvez seja a hora de parar de se esconder e dar o passo. E sempre que uma porta é fechada, uma janela se abre, para nos lembrar que sempre há tempo para voltar a apaixonar-se.

Venha já obter o melhor aconselhamento e orientação para a sua vida!

Agende aqui a sua consulta!
Voltar
News Background

Relacionados

Também poderá gostar de ler

Sila Tarot, Lda.
Bem-vindo à Sila Tarot, Lda.! Vamos conversar?
Este site usa cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar estará a aceitar a sua utilização Está a usar um navegador desatualizado. Por favor, atualize o seu navegador para melhorar a sua experiência de navegação.